Autoconhecimento Ho'oponopono

A cura amorosa através do Ho’oponopono

Mulher apoiando em seus braços e olhando para frente
Anna Shvets/Pexels
Anna Bheatriz Nunes
Escrito por Anna Bheatriz Nunes

“Sinto muito, perdão, obrigado, eu te amo.” A primeira vez que li essa frase estava em uma viagem. As palavras logo chegaram ao meu coração e sem saber estava me abrindo para a cura por meio da grande sabedoria havaiana.

O Ho’oponopono é uma filosofia de vida ancestral havaiana. As nossas memórias nos sobrecarregam ao longo da vida e o Ho’oponopono nos ajuda a liberá-las e transformá-las, dissolvendo o peso para que assim possamos enxergar quem verdadeiramente somos, a nossa própria essência.

Segundo os havaianos, nossas memórias, que ficam no subconsciente, eles as chamam de “Criança Interior” ou Unihipili. Então o Ho’oponopono nos estimula por meio da nossa criança interior, para que ela possa se liberar dos medos, traumas e consequentemente das memórias que os causaram. Nossa criança interna, assim como qualquer outra, tem a necessidade de ser amada e cuidada e só por meio do amor podemos ser livres das memórias que nos aprisionam.

Mulher sentada em um gramado olhando para o céu e sorrindo
Gabriela Cheloni/ Pexels

A limpeza das memórias com o Ho’oponopono começa com a fórmula: “Sinto muito, perdão, obrigado, eu te amo”. Em “O Grande Livro do Ho’oponopono – Sabedoria Havaiana de Cura”, de Jean Graciet, Luc Bodin e Nathalie Bodin, há a seguinte passagem:

Você diz “sinto muito” porque não sabia que tinha essa memória dentro de si. Depois, diz “perdão” à Divindade e lhe pede para ajudá-lo a se perdoar por ter-se deixado levar por tais memórias. Você “agradece” em seguida às memórias por terem aparecido para você, dando-lhe oportunidade de liberá-las, e você também agradece à Divindade pela ajuda nessa liberação.

E você conclui com “Eu te amo”, pois somente o amor cura. Dizendo isso, você está se dirigindo às suas memórias, bem como a si mesmo.

Você também pode gostar

Comecei a praticar o Ho’oponopono nas situações em que percebia que por trás do sentimento havia uma memória escondida, esperando para ser curada. Desde então, o processo tem me feito mais consciente das minhas ações, emoções, pensamentos e principalmente de que sou merecedora de um despertar amoroso. Todos somos.

Sobre o autor

Anna Bheatriz Nunes

Anna Bheatriz Nunes

Eu sou Anna Bheatriz Nunes, arquiteta, urbanista, escritora e poetisa. Autora do livro de poemas "da distorção à transformação", publicado pela Ape'Ku Editora. Expresso-me para dar vazão ao que sou e para me encontrar. Que as nossas expressões criem belos encontros!

Email: [email protected]
Instagram: @annabheatriznunes