Autoconhecimento Psicologia

Seja o autor da sua própria história!

46650488 - female hands with pen writing on notebook on grass outside
Tatiane Mosso
Escrito por Tatiane Mosso
Estamos tão habituados a pensar alguns aspectos da vida por determinados prismas que, quando questionados a respeito de certos temas, já temos uma opinião previamente formada. Muitas vezes nossas respostas são baseadas em livros, notícias publicadas em jornais e veiculadas por canais de televisão, ou simplesmente foram reproduzidas por nós desde pequenos a partir do momento em que, algum dia, alguém, de alguma forma, seja verbalmente ou através de ações, nos ensinou.

A cada dia é possível perceber mais pessoas vivendo de forma quase automatizada, reproduzindo modos de pensar e agir sem parar para avaliar se esse modo lhe é próprio, ou se ainda lhe faz sentido. Digo “ainda”, pois a Psicologia pautada nas abordagens existenciais entende que somos um eterno vir-a-ser, ou seja, nos transformamos e somos transformados o tempo todo, afinal compartilhamos o mundo com outras pessoas e nessa relação afetamos os outros e somos afetados por eles a todo momento.

Este modo de nos relacionar faz com que tenhamos o outro muitas vezes como referência em nossa vida. É a partir disso que pensamos no que queremos ou não para nós e isso implica em uma abertura para novas possibilidades. Então, quando outro modo de fazer – que não o nosso – nos faz mais sentido, acabamos por nos questionar o porquê de não nos darmos conta antes de que poderíamos pensar por outros ângulos ou fazer de uma outra maneira algo que fizemos sempre tão igual.

E é nesse processo de desvelamento, de descobrimento do que nos faz sentido, que passamos a ter nós mesmos como referência e não o outro, como estamos tão habituados. Assim passamos a ser quem somos verdadeiramente, a descobrir qual é o nosso jeito e a viver uma vida muito mais autêntica.

Quero dizer com isso que não estamos “prontos” nem ”acabados”. Nos transformamos ao longo de nossas vidas e temos possibilidades de fazer isso a cada momento. Não é que nada no modo como vivemos seja verdadeiro, apenas não estamos fadados a ser o que estamos sendo se não estivermos assim sendo felizes.

O autoconhecimento é muito importante, pois é mais do que a oportunidade de olharmos para nossa própria vida, é uma forma de nos sentir e nos perceber inseridos em uma realidade que nos foi dada e dentro da qual cabe a nós fazer escolhas para que possamos vivê-la de modo autêntico, mantendo o que queremos e que verdadeiramente nos faz bem, transformando o que não faz sentido por não ser genuíno.

Sobre o autor

Tatiane Mosso

Tatiane Mosso

Psicóloga (CRP 06/117983), com aprimoramento clínico em Fenomenologia-Existencial pela PUC-SP e especialização em psicologia clínica na perspectiva Fenomenológico-Existencial pelo Instituto de Psicologia Fenomenológico-Existencial do Rio de Janeiro – IFEN. Atua na área clinica, em seu consultório particular em São Paulo.

Uma breve elucidação...

A psicologia é uma ciência da área da saúde e minha sustentação dessa clínica se faz na perspectiva Fenomenológico-Existencial, que é uma área do conhecimento inspirada na filosofia e que busca uma compreensão ampla do ser humano, considerando sua história de vida e respeitando sua singularidade. A psicoterapia existencial é apenas um dos caminhos da psicologia para acompanhar a experiência do outro, que se dá a partir da articulação de sentido que se faz e que não é estática, afinal, vida é movimento!

Contatos:

E-mail: [email protected]
​Facebook: /conversadeterapia