Autoconhecimento

A divertida mente humana

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Dependendo do dia e da ocasião, nós agimos de maneira diferente diante das situações. Quem nunca acordou com o famoso “pé esquerdo”? Quando uma pessoa deixa de nos agradecer por uma gentileza, na maioria das vezes deixamos passar numa boa. Mas por que tem vezes que esse mesmo ato pode nos deixar possessos? É como se dezenas de pensamentos e sentimentos tivessem vida própria dentro de nossas mentes pautando nossas ações, mas como isso se explica exatamente?

As definições são variadas e remetem há muitos séculos atrás. Uma das correntes mais atuais deriva da psicanálise de Sigmund Freud, no qual afirma a existência do id (pensamentos primitivos) e superego (moral) em contante conflito, influenciando na formação do ego (balanço entre o id e o superego). Mais antiga ainda, uma definição para a existência desses pensamentos divergentes tem como base a religião, o conflito entre o bem e o mal, o anjinho e o diabinho que nos aconselham a agir de formas opostas.

Divertida_Mente_capaIndependente de ciência ou religião, o tema é complexo e ainda não é possível afirmar totalmente uma explicação para a existência desse fenômeno. Se o assunto já não é nada fácil, como então abordá-lo ao público infantil? Essa é a proposta da animação Divertida Mente.

Dos mesmos criadores de Toy Story e outros sucessos da Disney, a Pixar conta a história dos diversos sentimentos que controlam a vida de uma criança comum: Alegria, Tristeza, Raiva, “Nojinho” e Medo. Segundo a premissa do filme, essas cinco sensações se revezam no controle da mente da garota de acordo com as situações em que a pequena Riley vive. Por exemplo: quando ela se sai bem numa prova, a Alegria comanda a mente dela, já quando se sai mal, então a Tristeza ou a Raiva assumem o controle.

Não vamos detalhar o enredo do filme, afinal o objetivo desse artigo não é dar nenhum spoiler para alguém que pretenda assistir a animação. Além de recomendarmos o desenho, principalmente ao público infantil, ressaltamos a simplicidade em que um tema complexo é abordado nas telonas, apresentando às crianças e também aos adultos um conflito diário que todos nós temos em nossas mentes. No caso, em nossa Divertida Mente.

Os pensamentos em nossa mente são um vasto campo de liberdade, no qual ninguém pode nos privar da imaginação. Um grande dilema ocorre a partir do momento em que vamos transformar esses sentimentos em ações, pois a partir do momento em que se materializam, o conflito sai de nossa mente para a vida social. Da mesma forma que devemos dar asas à imaginação, devemos também ter um controle para que não tome voos muito distantes e saia do nosso controle. Afinal, somos livres para pensar e agir, mas responsáveis pelas consequências de nossos atos.


  • Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]