Saúde Integral

Amamentar é natural e essencial

Neusa Botana
Escrito por Neusa Botana

O leite materno é um recurso natural que oferece todos os ingredientes necessários durante os primeiros seis meses de vida. Além disso, amamentar a criança até os dois anos fortalece a imunidade, previne doenças e prepara a musculatura para os sons da fala.

Não importa a hora nem o lugar, a amamentação é um direito e possibilita crescimentos físico e emocional saudáveis. Além disso, o leite materno é um recurso natural sustentável e que contribui de maneira significativa para o meio ambiente.

O fonoaudiólogo incentiva, apoia, defende, orienta e empodera as mães e seus bebês durante o aleitamento materno.

Bebês recém-nascidos com dificuldade na hora da amamentação

Segundo o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde, o aleitamento materno deve ser o alimento exclusivo durante os primeiros seis meses de vida do bebê.

O leite materno evita diarreias, infecções respiratórias e diminui o risco de alergias, mas amamentar não é tão simples quanto parece.

Mother breastfeeding her baby

Muitos bebês logo após o nascimento podem apresentar dificuldades na amamentação por vários motivos: prematuridade, alterações neurológicas, síndromes, refluxo gastroesofágico ou até mesmo por simples imaturidade e dificuldades específicas no processo de alimentação e deglutição.

É extremamente importante que o fonoaudiólogo avalie o padrão motor oral do bebê assim que as dificuldades no momento da amamentação surjam.

Atualmente, muitos bebês já são avaliados durante a fase hospitalar, logo após o nascimento, para definir as condições específicas para o início da alimentação por via oral e se há necessidade do trabalho terapêutico, de utensílios apropriados e outras avaliações.

Alimentação em seio materno é sempre a prioridade nos hospitais brasileiros.

As pesquisas e a prática hospitalar apontam que 78% da população de prematuros necessita de trabalho fonoaudiológico específico desde a maternidade.

A avaliação fonoaudiológica neste momento e o tratamento terapêutico, quando necessário, podem facilitar o início de vida dos prematuros e possibilitar uma situação de alimentação prazerosa para mãe e filho.

Sobre o autor

Neusa Botana

Neusa Botana

- Formada em Fonoaudiologia e Psicopedagogia pela PUC - SP.
- Especialista em motricidade oral, leitura e escrita, método reorganização neurofuncional – Padovan.
- Pós graduada em Distúrbio de Aprendizado pela PUC-SP.
- Pós graduanda no setor de pediatria do Instituto da criança do HC- FMUSP.
- Professora convidada para cursos de pós graduação na área de Distúrbio do Aprendizado em indivíduos portadores de dislexia, autismo, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade.
- Fonoaudióloga em equipe multidisciplinar no Ambulatório do Distúrbio do Aprendizado – Instituto da Criança do ICR – FMUSP.

Fonoaudióloga – CRF2: 3296

Contato:

Clínica: Rua Guaipá, 1238 – Vila Leopoldina/SP
Telefone: (11) 3832-2419
Email: [email protected]