Energia em Equilíbrio Espiritualidade

Anatomia de um Japamala

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
O Japamala — em sânscrito, Japa: repetição, Mala: cordão — é um acessório muito utilizado para ajudar na contagem de orações ou entoações de mantra. Popularmente conhecido como rosário de orações, ele nasceu na Índia e foi trazido ao Ocidente pelos romanos como um importante artefato de devoção espiritual, principalmente para as religiões hinduísta e budista. A verdade é que todos sabem do seu uso, mas poucos conhecem a sua anatomia e significados. O Japamala pode ser dividido em 4 partes:

Tassel

Também conhecida como borla, essa parte representa a energia criada a partir da meditação. Dizem que os fios individuais estão se movimentando e fluindo a todo momento em constante mudança. Isso representa a mudança dentro do imutável, a ilusão da separação e o lembrete ao desapego e à impermanência. Ele também é símbolo das mil pétalas de Saharsrara – ou chakra da coroa – e ainda significa iluminação espiritual.

Contas

No total são 108 cristais semi-preciosos, pedras ou contas de rudraksha, incluindo o grânulo do guru que compõe o cordão.

Guru Bead — Meru

O uso do japamala é antigo e começou há milhares de anos; seus primeiros vestígios aparecem no hinduísmo em que era tradicionalmente composto por 108 contas. Dizem que há 108 linhas de energia ligadas ao coração; uma delas está diretamente ligada à autorrealização. Quase todos os cordões apresentam um talão extra, maior na extremidade próxima ao Meru, que sinaliza o fim de uma rodada no ciclo japa. Também dizem que o Meru é feito para representar a conexão professor/aluno. Quando um ciclo japa é completado, não deve-se cruzar o Guru Bead; em vez disso, deve-se virar o cordão ao contrário e continuar recitando o mantra através das contas. Dizem que o Meru também representa os solstícios de verão e inverno, quando o sol para o seu curso e reverte as direções.

Usar esse artefato é uma maneira simbólica de se conectar consigo mesmo, com os elementos e com os ciclos naturais do universo.

Os malas são normalmente amarrados com fio de seda para que tenham força e apoio. Isso simboliza a Força Universal que nos sustenta e nos apoia. O fio é atado a fim de manter um espaço consistente entre cada pérola. O nó representa a ligação divina entre todos os seres.

É importante lembrar que essa é apenas a anatomia do artefato. A escolha dos materiais também é muito importante para o significado da sua composição final. De qualquer forma, ainda que ele seja um acessório ligado a determinadas religiões, sua maior utilidade é auxiliar na concentração durante as práticas espirituais em geral. Dizem que quanto mais você usa seu Japamala, maior a energia sagrada carregada, o que aumenta a sua força de oração e, consequentemente, faz com que as Forças Divinas conspirem a seu favor. Preparado para comprar ou montar o seu? Conte-nos nos comentários suas experiências com esse artefato tão mágico!


Texto escrito por Amanda Magliaro Prieto da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]