Saúde da Mulher Saúde Integral

Aprenda a fazer a ginástica íntima

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
A maioria das mulheres se preocupa em exercitar o corpo para garantir pernas torneadas, um bumbum que passe longe dos efeitos da gravidade e que seja durinho, seios no lugar e uma barriguinha sarada, mas existe uma minoria que se preocupa em exercitar músculos mais escondidos e não menos importantes: os músculos da vagina e região. Estou falando de uma espécie de ginástica íntima.

Você é adepta desta ginástica ou ao menos já se importou com isso? Aposto que a maioria esmagadora das respostas será negativa. Infelizmente vivemos em uma sociedade em que o pudor é supervalorizado e a mulher não é nada encorajada a conhecer o próprio corpo, estimular sua sexualidade e ter intimidade com sua região vaginal.

A ginástica íntima, no entanto, vai muito além da sexualidade, ela proporciona saúde e bem-estar a todas as mulheres. É através da estimulação e exercício dos músculos da região chamada de assoalho pélvico (todos os músculos que envolvem a região entre a barriga e as pernas) que fortalecemos a região e evitamos problemas como incontinência urinária, dificuldade na hora do parto e até mesmo frigidez. Ao estimular esta região ganhamos autoconfiança, autoconhecimento e de quebra um maior controle a regiões tão importantes como a vagina e o ânus.

O melhor é os exercícios são extremamente fáceis de serem feitos e podem ser executados em qualquer local e em qualquer hora. Aprenda a seguir como fazer a ginástica íntima e pratique:

– Exercício de contração simples para ganho de força

É composto de 10 contrações rápidas com apenas 8 segundos de intervalo entre elas. Pode ser feito em qualquer posição, mas deitada é mais fácil.

Respire lenta e profundamente e contraia o assoalho pélvico com força como se estivesse segurando o xixi por 2 segundos. Relaxe e descanse por 8 segundos. Repita 10 vezes.

– Exercícios de contração simples para ganho de resistência

O primeiro é composto por 10 contrações lentas sustentadas por 10 segundos. Pode ser feito em qualquer posição, mas deitada é mais fácil.

Respire lenta e profundamente e contraia o assoalho com toda força possível. Segure esta contração por cerca de 10 segundos. Relaxe e descanse por 20 segundos. Repita 10 vezes.

Para o segundo, deite de barriga para cima e dobre os joelhos. Respire profundamente e contraia o assoalho pélvico. Afaste o bumbum do chão e levante as costas aos poucos. Fique nesta posição com o assoalho contraído por três segundos. Volte lentamente para o chão e repita este movimento por 10 vezes.

Para o terceiro exercício fique em quatro apoios, com os joelhos e mãos tocando o chão. Inspire enquanto puxa a barriga para trás e contrai o assoalho. Segure desta forma por um breve período sem respirar. Expire estufando a barriga e encaixando as costas. Repita o movimento 10 vezes seguidas.

Para o último exercício, com um grau maior de dificuldade, fique com os pés virados para frente, os joelhos um pouco afastados como se fosse sentar mas sustente-se assim sem tocar em nada. Respire profundamente e contraia o assoalho pélvico. Abaixe e levante por 10 vezes. Descanse por 30 segundos e repita a sequência por três vezes.


Escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]