Autoconhecimento Comportamento

Aprenda a usar a mandala lunar

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ter um conhecimento e um entendimento mais profundo sobre o seu próprio corpo e aprender a se reconectar com o seu ciclo são coisas extremamente importantes, e cada vez mais se tornam presentes na vida das mulheres. Por esse motivo, vamos te contar um pouco mais sobre uma ferramenta muito poderosa para que você entre em contato com o seu eu feminino de uma forma simples e fácil: a mandala lunar, que proporciona coisas além do autoconhecimento, como ressaltar a sua conexão com o sagrado feminino.

O que é mandala lunar?

Mandala lunar é uma ferramenta criada para e por mulheres, que possui o intuito de tornar mais fácil a conexão com o próprio corpo e também com os ciclos naturais. Essa ferramenta é uma forma supersimples de observar de maneira consciente as alterações que ocorrem durante o ciclo menstrual da mulher, sendo baseada nas quatro fases da lua, para que assim haja um entendimento maior sobre a influência que as energias lunares têm sobre os aspectos da vida. A organização da mandala lunar é feita a partir da união do calendário lunar e solar, possibilitando uma maior percepção dos ciclos manifestados pela natureza de forma interna e externa em cada mulher.

Imagem em preto de branco de uma mandala lunar.
Imagem de rightchoicejr por Pixabay

Para que ela serve e quais os seus benefícios?

A mandala lunar serve para registrar diversas experiências emocionais, físicas, sociais e mentais, que variam de acordo com a fase do ciclo em que você estiver. Essa forma de mapear o seu ciclo permite que você observe e analise alguns padrões que você não tinha percebido antes – tais padrões irão te instruir sobre como agir para que o seu comportamento flua no decorrer dos seus ciclos de forma mais equilibrada e consciente.

Fazer e entender a mandala lunar é um método incrivelmente eficaz para alcançar o autoconhecimento e se conectar conscientemente com o próprio corpo, respeitando a sua natureza feminina. Com essa ferramenta, ao mesmo tempo que você olha para dentro, automaticamente se atenta ao que está fora do seu corpo. É como se você olhasse para a sua lua interna, que representa os seus ciclos e, para a lua externa, que representa a Lua do céu. Assim, fica mais simples de entender como o externo afeta o seu ser.

Além de promover o autoconhecimento e mudar a sua forma de lidar com tudo durante determinadas fases, esse método de anotações te proporciona uma conexão real com a sua natureza e com a natureza externa.

O ciclo menstrual e a Lua

A fase da Lua que antecede o ciclo menstrual tem uma conexão muito importante com o que você está vivendo no momento, de acordo com a energia das fases de cada lua. Ter o primeiro dia de menstruação quando a Lua estiver na fase minguante tende a indicar que algum ponto da sua criança interior ou da sua infância está passando por um processo de purificação, por exemplo. Ou talvez que você esteja desenvolvendo algum novo projeto ou que novas ideias estão surgindo na sua vida.

Algumas pessoas dizem que a menstruação no decorrer da lua nova é melhor, e que menstruar comumente na mesma fase da Lua representa uma conexão mais profunda, mas essas crenças são apenas mitos, que comprovam como a mente humana é controladora, tentando sempre rotular os processos da vida.

Ficar menstruada durante a lua nova pode significar que algumas questões do seu subconsciente estão sendo curadas, por exemplo. Mas entre tantos exemplos saiba que a melhor maneira de entender o que cada fase lunar significa diante dos seus ciclos é observar a si mesma, observar a Lua e essa relação entre a Lua do céu, a lua que existe dentro do seu ser e as diversas manifestações que surgem fora disso tudo.

Linda imagem de uma manda lunar grafitada ao fundo de uma parede cinza.
Imagem de arturo_p910a por Pixabay

A TPM e a mandala lunar

A mandala lunar pode ser usada também para quebrar alguns padrões da TPM. Existem alguns questionamentos que você pode fazer a cada ciclo para ter um maior entendimento sobre a sua natureza feminina. São eles:

– O que eu quero modificar na minha vida?
– O que precisa ser diferente?
– O que eu sou?
– Quem eu sou?
– O que devo deixar para trás para viver este novo ciclo de forma condizente com a verdade do meu eu?
– Estou levando para este novo ciclo algo que destoa da pessoa que eu sou ou do que eu estou buscando?
– Quais são os meus desejos para o ciclo que chega?

Anotar e fazer esses questionamentos a cada mês e comparar determinados padrões que surgem durante a tensão pré-menstrual permite que seja possível alcançar um entendimento mais claro sobre o seu crescimento pessoal e também identificar se você repete padrões de comportamento.

Fertilidade x mandala lunar

É possível fazer a mandala lunar para manter o controle da fertilidade de uma forma totalmente orgânica e saudável, diferentemente dos contraceptivos que não são naturais.

A partir do momento em que você conhece os padrões que o seu físico e o seu emocional manifestam, os períodos inférteis e a ovulação, você fica menos ligada e dependente dos controles sequenciais de datas, pílulas e calendários, começando assim a usar a sua consciência de si e o seu autoconhecimento como uma ferramenta muito mais confiável.

É muito importante enfatizar que se você toma anticoncepcional, será um pouco mais difícil fazer a mandala lunar, pois os hormônios artificiais que você ingere alteram consideravelmente o ciclo natural da mulher.

Como fazer a mandala lunar

Faça um círculo bem grande e dentro dele diversas circunferências. Cada mandala precisa ter três ou quatro circunferências. Coloque uma dentro da outra. Divida as circunferências conforme os dias do seu ciclo menstrual, contando sempre desde o primeiro dia em que você ficar menstruada até o dia que antecede a menstruação seguinte.

Imagem de um mandala lunar.
Imagem de inmorino por Pixabay

Veja a seguir passo a passo para fazer:

1º passo – Escreva os números correspondentes à duração dos dias da sua menstruação na circunferência externa. Exemplo: se o seu ciclo menstrual durar 27 dias, escreva até o número 27 e se durar 20 ou 30 faça a mesma coisa. Deixe sempre um espacinho sobrando, caso você não tenha certeza sobre o tempo de duração do seu ciclo ou se ele geralmente é irregular.

2º passo – No círculo seguinte, escreva os dias do calendário que usamos na vida cotidiana: o gregoriano. A partir desse calendário, caso a sua menstruação chegue no dia 12 de abril, coloque essa data no primeiro dia da sua menstruação, e assim consecutivamente.

3º passo – Registre as fases da Lua no círculo mais interno da sua mandala lunar, ou seja, escreva os dias de lua cheia, lua nova, crescente e minguante. Na parte externa, registre todas as suas observações no decorrer do ciclo, tanto como o que você reparar nas suas sensações físicas quanto nas mentais, sociais e emocionais.

4º passo – Para ter um entendimento maior sobre a sua mandala lunar e enxergá-la com mais clareza, é possível torná-la mais visual usando cores distintas para diferir os quatro estágios. Deixe a sua criatividade falar mais alto e personalize-a do jeito que preferir. Se você fizer isso, além de dar um ar mais agradável à sua mandala, será possível observar e analisar os ciclos de forma mais clara e limpa.

5º passo – Agora que você já fez e sabe como fazer a sua mandala, é hora de aprender a analisá-la! Pegue um diário, caderno ou agenda, e anote todas as suas observações, sensações, necessidades e mudanças de ciclo. Como já foi dito anteriormente, a mandala lunar é uma ferramenta que promove o autoconhecimento, e por isso é imprescindível identificar os seus padrões de comportamento e de energias que acontecem em todas as fases do seu ciclo.

Você também pode gostar

Uma dica extra: não hesite ao usar a mandala lunar! Faça-a valer a pena, criando na sua mente a ideia de que todo o tempo investido na criação da sua mandala lunar vai muito além do que tirar um tempo para refletir e observar a si mesmo, e também não deixa de ser um ato generoso de autocuidado e amor-próprio. Faça esse ritual constante de reconexão com o seu sagrado feminino!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]