Budismo Espiritualidade

Budismo: energia positiva e generosidade

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
O budismo é muito mais do que apenas uma religião, é também uma doutrina que se apoia em um sistema filosófico e ético que surgiu na região asiática indiana.

Sua criação se deu por meio dos ensinamentos e mensagens deixadas por Sidarta Gautama, que também é conhecido popularmente como Sakyamuni, um sábio indivíduo que morava no clã dos Sakya. Porém, o nome com que ele realmente se destacou em todo o mundo foi Buda, que viveu entre os anos de 563 e 483 antes de Cristo, no Nepal.

O desejo de Buda nunca foi converter ninguém para a suas crenças. Porém, seu objetivo era centrado na tentativa de iluminar cada vez mais os indivíduos com os seus ensinamentos, que eram criados com base em experiências vividas por ele mesmo. A religião budista está então cercada de muita sabedoria, conhecimentos e intelecto. Seus seguidores, por sua vez, atingem por meio da mesma a tão necessária  paz interior.

Um destaque interessante vai para o fato de que Buda nunca foi considerado um deus, mas um verdadeiro guia espiritual para os seus seguidores, que poderiam aderir também a outras religiões ao mesmo tempo em que seguiam as práticas do budismo.

Com mais de 2.500 anos de existência, essa doutrina se espalhou primeiro pela Ásia, com destaque para a Índia. Depois, foi passando por todo o sudeste asiático, Ásia Central, Vietnã, Coréia, Japão, China, Sri Lanka, Tibete e outros. Porém, nos dias de hoje, é possível encontrar essa religião por todos os lados do mapa.

Principais ensinamentos

Entre os principais ensinamentos filosóficos e modernos do budismo, podemos começar destacando que as lições envolvem principalmente o cultivo do bem e a não-prática do mal, que são os principais responsáveis por nosso bem-estar mental.

shutterstock_225055456-2

Estátua de Buda na Tailândia

O principal intuito é atingir o Nirvana, que nada mais é do que uma realidade e experiência superior àquela que todos os indivíduos buscam. É nesse momento que o samsara, ou melhor, ciclo do sofrimento, chega ao fim na vida do indivíduo.

Para atingir o Nirvana, o indivíduo deve praticar a generosidade e a própria compaixão, aprendendo a se desapegar completamente dos carmas negativos. Esse modo, que é realmente superior a tudo e a todos, garante a liberdade e a felicidade plena de nossa alma, o que seria considerado por muitos mestres budistas como a verdadeira evolução do espírito.

Os conhecimentos presentes no budismo afirmam que o ser humano deverá reencarnar várias vezes depois de sua morte, passando sempre por sofrimentos que envolvam bens materiais. Porém, o que o indivíduo faz em uma vida é sempre considerada na próxima e, dessa forma se sucede, até que ele finalmente encontre sua verdade, se livre dos sofrimentos (carmas) e alcance o nirvana.

A filosofia budista tem como base algumas verdades, como a dor, que remete aos desejos materiais e a falta de conhecimentos. Dessa forma, é preciso superar esses fatores por meio de algumas ações em que a meditação se destaca como a mais importante e, também, a mais próxima do Nirvana.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]