Autoconhecimento Budismo

Nirvana no budismo

Plenitude, zero preocupação, zero sofrimento, zero apego. Imagine sentir isso! Um sonho, não é? Pois é a esse estado de graça e de libertações mental, física, psicológica e espiritual que o budismo chama de nirvana. Uma tradução desse termo, diretamente do idioma sânscrito, dá uma medida do que é esse estado: “fim do sofrimento”.

Você pode imaginar, também, que atingir um estado como esse requer muito estudo, muito conhecimento, muito autoconhecimento e muito mais práticas e hábitos, já que a recompensa é tão maravilhosa. Portanto, para guiar você no caminho rumo ao nirvana, preparamos este artigo com as informações mais essenciais sobre esse estado de graça. Confira!

Como alcançar o nirvana?

Antes de mais nada, é preciso saber que o budismo, diferentemente de outras religiões (como aquelas que oferecem vida eterna para os justos, por exemplo), não tem o nirvana como um objetivo, pois entende que a caminhada de cada um é individual e cada um tem seus próprios objetivos e buscas.

Contudo, se atingir esse estado de graça, sem sofrimentos e preocupações e com muita plenitude é o seu grande objetivo, confira as dicas que o budismo chama de Nobre Caminho Óctuplo, que é a jornada que levará você ao nirvana:

1. Meditação

A meditação é um dos pilares para atingir o nirvana, porque permite que organizemos os nossos pensamentos e as nossas sensações, bem como nos ajuda a limpar o espírito de tudo o que é ruim, mantendo o que é bom, mas sem apegos. A meditação, enfim, ajuda você a se entender e a entender o mundo também.

2. Evite ilusões

Boa parte dos nossos sofrimentos vem das nossas próprias ilusões e idealizações. Por isso, é preciso ter o que o budismo chama de “visão correta”, que é uma visão que tenta evitar essas ilusões e as dores emocionais que surgem quando nos desiludimos e nos decepcionamos. É preciso, portanto, enxergar o bem como bem e o mal como mal.

3. Cuide das suas intenções

Todas as nossas ações partem das nossas intenções, por isso, precisamos viver com boas intenções, rejeitando sentimentos como ódio, egoísmo, vingança, violência, entre outros, pois, se alimentarmos essas intenções, eventualmente podemos agir movidos por elas.

4. Escolha bem as palavras

Vários recortes de palavras
tigermad / Getty Images Signature

Não é clichê dizer que as palavras podem ferir mais do que golpes. Por isso, precisamos escolher muito bem tudo aquilo que falamos, seja lá qual for a conversa, em qual contexto e com quem estivermos falando. Nossas palavras refletem nossas intenções e, consequentemente, a pessoa que somos.

5. Tenha postura

Se as palavras são importantes e as intenções também, as ações são igualmente relevantes. Por isso, precisamos adotar uma postura cuidadosa e de amor ao próximo, agindo sempre com honestidade, empatia e preocupação com o coletivo, com o mundo, com a natureza e com o próximo, seja ele humano, seja animal.

6. Não abra mão dos seus valores

Ainda que vivamos em um mundo movido pelo capital, não podemos vender os nossos valores em troca de dinheiro, por isso, você precisa encontrar uma profissão, bem como hábitos e costumes que tenham a ver com o que o seu coração vibra. Não é um bom caminho crer na honestidade e ter um emprego no qual pessoas são enganadas, por exemplo.

7. Esteja sempre presente

Mindfulness é um termo que se popularizou recentemente, e ele indica que é necessário que façamos tudo com a mente plenamente presente no momento que está sendo vivido. Por isso, se estiver lavando uma louça, foque na louça; se estiver conversando, dê atenção à conversa — e por aí vai.

8. Saúde mental é essencial

Estetoscópio apoiado em um cérebro, expressando saúde mental
Science Photo Library / Canva Pro / Eu Sem Fronteiras

A sua mente é a sua condutora. É como se ela fosse o chefe, e o seu corpo fosse o subordinado. Por isso, você precisa cuidar e se esforçar para curar qualquer mal que aflija você psicologicamente, como a melancolia, a depressão, a ansiedade e por aí vai, pois esses problemas distorcem negativamente a sua visão de mundo e afastam você da plenitude.

Você também pode gostar:

Enfim, essas foram as principais informações sobre esse estado de graça budista conhecido como nirvana! Se o seu objetivo é viver uma vida com cada vez menos preocupações, tristezas e ansiedades, esse pode ser o seu caminho. No entanto, lembre-se: o foco é ser feliz e ser uma boa pessoa, e se o nirvana vier, tanto melhor!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br