Autoconhecimento

Câncer de mama, autocuidado e saúde emocional

Estetoscópio rosa ao lado de pote de moedas e uma fita rosa
pinkomelet / 123
Bruna Nogueira
Escrito por Bruna Nogueira

O câncer de mama é considerado um problema de saúde pública. Estima-se que, em 2018, foram diagnosticados 2,1 milhões de casos novos e 627 mil óbitos no mundo. No Brasil, estima-se que a incidência de câncer de mama, em 2019, foi de 59.700 casos novos, sendo que 99% deles ocorreram em mulheres, principalmente após a menopausa. Cerca de 4 a cada 5 casos ocorrem em mulheres com mais de 50 anos (INCA — Instituto Nacional de Câncer). Em meio a tudo isso, precisamos encontrar formas de prevenir que o desequilíbrio aconteça, já que o foco das terapias integrativas é a prevenção.

Os seios são fontes de nutrição e cuidado, é ali que nutrimos nossos filhos, que acalentamos nossos amores, doamos o que temos de melhor (e às vezes doamos até demais, o que também poderá gerar desequilíbrios futuros).

No mesmo local encontramos o chacra cardíaco, ou anahata em sânscrito, que corresponde a uma glândula chamada timo, responsável por fortalecer o nosso sistema imunológico. Esse chacra é o ponto de equilíbrio entre os 3 chacras superiores e os 3 inferiores, ele traz o equilíbrio entre o Céu e a Terra, e é chamado de morada da alma.

Esse centro energético está intimamente relacionado às nossas emoções e nossas relações, inclusive a relação que você tem consigo. O desequilíbrio desse centro energético poderá resultar em patologias que envolvam coração, circulação, pulmões e saúde emocional.

Mãe com filha no colo em meio à campo e pôr-do-sol.
Daria Obymaha / Pexels

Sob um olhar energético, precisamos avaliar como está a qualidade das nossas relações. Qual o valor que você dá a si mesmo? Como você está permitindo que as pessoas o tratem? Como você está lidando com as mágoas? Você permite que o amor flua livremente? Você sabe oferecer e receber amor? Precisamos deixar que o rio das emoções flua livremente, afinal, água parada apodrece. Encontramos na literatura estudos que apontam a relação entre o câncer de mama e traumas.

Relacionamento tóxico virou algo tão normal que é muito difícil encontrar uma mulher que não tenha passado por essa experiência, com o pai, irmãos, filhos ou companheiros. Abuso, violência, controle, domínio e até mesmo morte, independente da cultura, da raça, das crenças, a mulher aprendeu a viver com a dor emocional como se fosse algo inevitável. Mas é! Acredite.

Você também pode gostar

Além da saúde emocional, precisamos nos atentar para a qualidade da nossa alimentação, atividade física regular, controle do peso corporal e evitar uso de hormônios sintéticos, bebidas alcoólicas em excesso, substâncias tóxicas e poluentes. O câncer de mama de caráter genético ocorre em apenas 5% a 10% dos casos, 30% dos casos podem ser evitados apenas com hábitos de vida saudáveis. Cuidado com o que você coloca dentro do seu corpo, seja por meio da boca, da pele e do coração.

A chave para um diagnóstico precoce está relacionada ao autocuidado, coisa tão difícil para as mulheres, ou por falta de tempo, ou por falta de hábito. Se conheça, se toque, não para procurar doenças, mas como um ato de amor-próprio, cuidado e respeito.

Sobre o autor

Bruna Nogueira

Bruna Nogueira

Bruna Nogueira, filha da Márcia, neta de Ondina, paulistana, mulher cis, branca, espiritualista, bruxa, ciente dos privilégios que me cercam, feminista em desconstrução diária e consciente cada vez mais da necessidade de uma transformação coletiva para o bem-estar do planeta e de seus moradores.

Sou enfermeira naturopata com ênfase em terapias integrativas para a saúde da mulher por meio da gine-ecologia natural e da naturologia obstétrica. Terapeuta floral (Bach), reikiana e consultora em amamentação com laserterapia aplicada ao pós-parto.

O foco do meu trabalho hoje é acolher as mulheres que buscam reconexão consigo mesmas e com sua ciclicidade sagrada, que buscam autoconhecimento, autonomia e empoderamento com relação à sua saúde física, mental, emocional e espiritual, além de oferecer práticas integrativas para o tratamento de desequilíbrios ginecológicos.

Na maternidade, os atendimentos contemplam desde o momento da descoberta até os desafios da amamentação. Trabalho com pré-natal natural, indução do parto normal, se necessário, acompanhamento do parto como naturopata, cuidados integrais no puerpério e cuidados com bebê e amamentação, respeitando sempre a autonomia e o protagonismo da mulher.

E assim, por meio de uma busca pessoal pelo autoconhecimento, encontrei minha missão de vida: auxiliar as mulheres a descobrir a sua própria potência!

Seguimos juntas!

Email: [email protected]
Facebook: @naturopatiafeminina
Instagram: @naturopatiafeminina