Autoconhecimento

Idade mental x Idade física: existe diferença?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Provavelmente você já ouviu algumas piadinhas que os adolescentes fazem diferenciando a idade física da idade mental dos próprios colegas, não é mesmo? É um tipo de tirada básica para depreciar o amigo em forma de brincadeira. No entanto, você sabia que realmente podemos ter uma diferença entre essas duas idades? Não que a idade mental possa mudar algum aspecto burocrático da sua vida, mas garanto que na prática ela pode fazer muita diferença.

Com o avanço da medicina e a conscientização da necessidade de adotar um estilo de vida saudável, não é raro vermos pessoas entre 70 e 80 anos extremamente ativas. A terceira idade está cada vez mais jovem na prática. Mesmo com a idade física avançada não deixam de ser independentes, de sair para se divertir e não abrem mão da liberdade de tomar decisões e principalmente de morar sozinhos.

Em contrapartida os jovens estão cada vez demorando mais para amadurecer. Com certa frequência vemos pessoas que já passaram dos 30 anos ainda morando com os pais e dependendo deles para pagar as contas básicas para sua sobrevivência.

Parece até mesmo que existe uma espécie de resistência a aceitar a idade que realmente tem.

O fato é que a idade física parece ser cada vez mais rechaçada pela sociedade. Obviamente, ainda é preciso ter 18 ou 21 anos de idade comprovados em RG para desfrutar de alguns benefícios como comprar bebida alcoólica e dirigir. No entanto, a idade física não parece importar quando levamos em conta os relacionamentos, o temperamento e as atitudes das pessoas. O mundo tem mudado e as pessoas vão cada vez mais na mesma levada, o tempo parece ser relativo e a idade mental é a que realmente importa.

É totalmente possível ser um jovem de 70 anos ou um idoso de 20. A maturidade chega à nossa vida para mostrar que podemos nos levar menos a sério, que é saudável rir de nossos erros e que não existe tombo capaz de nos deixar no chão pra sempre. Já a juventude pode ser muito rígida consigo mesmo e ranzinza com dificuldades mínimas e corriqueiras, o que faz um garoto de 25 anos resmungar constantemente como um velho de 80 anos, ou ao menos como o estereótipo de um velho de 80 anos.

Fato é que podemos escolher a idade que realmente queremos ter ou aparentar. Nossas escolhas diárias revelam que nossa idade mental pode dizer muito mais de nós mesmos do que aquele número que indica nossa data de nascimento. Ter uma vida ativa, positiva e cheia de sonhos e objetivos pode nos tirar pesados anos das costas. Mesmo que a idade física pese e chegue sem cerimônias, escolher como vamos lidar com cada ano que ganhamos ainda é o melhor presente que a vida pode nos dar. Escolher entre maturidade e sabedoria no lugar de velhice e cansaço é opção sua.

Garanto que se a escolha for bem-feita sua idade mental sempre será menor do que a física. A não ser que você seja alguém por volta dos 15 anos que se orgulha de ter uma inteligência maior do que a média da sua idade. Nesse caso, a idade mental ser maior que a física está totalmente liberado. Mas, de qualquer forma, é uma escolha sua. Cabe fazer com que sua vida, seu conhecimento e sua força de vontade comandem sua idade. Ter consciência de que o número só deve ser importante em aspectos burocráticos é um grande começo. Viva a sua vida da melhor maneira possível e desfrute cada dia que ganha. Os cabelos brancos podem chegar, mas a cada um deles o ideal é ter muitas histórias pra contar.


Escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]