Autoconhecimento

Coletânea I

Mulher vista de perfil olhando para o horizonte
123RF/hootie2710
Carlos de Campos
Escrito por Carlos de Campos

I

Mulher de chapéu e traços sino-asiáticos vista de perfil.
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

No pensamento encontramos a razão

Há muitas maneiras de adquirir informação

As possibilidades são infinitas

Fervilhando à nossa volta

Um meio fácil para a desinformação

São muitos os caminhos

E nem todos nos levam ao conhecimento

Alguns nos levam para lugares obscuros

Exercitar o pensamento é ótimo para a vida

Quem pensa por si mesmo tem o poder em suas mãos

O pensar coerente forma o caráter

E, com o hábito da leitura, melhores ficamos

O pensar exige reflexão e relação

Descartando qualquer “opinião”

O pensar foca nas descobertas que podem acontecer.

II

Imagem ampliada do olho esquerdo de uma mulher.
Foto de Lisa Fotios no Pexels

Olhar acolhedor

Os momentos especiais vão se renovando

Mulher forte e destemida

Com o pensamento sempre otimista

Ainda é surpreendida pelo medo

Onde existe a busca pela alegria

Sua alma sempre estará protegida

O ser alegre é terra fértil para o amor

Seja o transbordar desse amor

A intimidade encontrará paz no amor

O destino é conduzido por mãos amorosas

São dessas pequenas verdades que precisamos ser distribuidores

Vida que acalenta

Mulher de desejo sincero!

Amante de alma tão bela!

III

Pessoa escrevendo as palavras "eu te amo" em inglês em uma etiqueta com uma caneta à tinta.
Foto de cottonbro no Pexels

Atitude

Do amor não desisto!

Inteligente e bem-humorado

Precisa ser prazeroso

Como uma boa noite de sono

O amor é um ato sublime

Quem o experimenta é transformado

Amar até diante do medo

Amar é aprender

O amor é algo singelo

Só pode ser vivenciado por quem já o experimentou

É certeza que o amor é poderoso

Busco o refúgio no amor

Sentir-se amado não é algo

que precisa da participação do outro

O amor é individual e deseja ser expandido

Você também pode gostar

IV

Mulher de vestido caminhando por um corredor estreito, vista de costas.
Foto de Dương Nhân no Pexels

Com medo não se caminha

Tua beleza me faz perceber um bom motivo para viver

E ver que existem mil razões para ainda amarmos

Quem nunca sentiu o desejo de ao outro se entregar?

Entre nós cresce uma íntima amizade, percebe?

Lanço para ti meu olhar respeitoso

Com profusão, vão aflorando sentimentos em mim

Suas mãos, com força, seguro

Tua presença é para mim uma linda homenagem

Pode alguém simplesmente ser esquecido?

Sofrendo está o meu coração que por tanto tempo esperou

E que no final somente chorou

Com qual intuito amamos alguém?

Só nos deixamos ser levados pelo calor da emoção?

Não podemos caminhar agarrados ao medo

V

Homem visto de costas em pé em um lugar alto, com uma paisagem natural a sua volta.
Foto de Ikhsan Sugiarto no Pexels

A paciência como caminho

No momento, é fundamental cultivarmos a paciência e a respiração profunda, para que o excesso de informações a que nos submetemos possa se assentar, e para que, de maneira consciente e racional, encontremos o rumo que muitas vezes está diante dos olhos: por focarmos nas preocupações, acabamos por não o perceber. A paciência e o pensar racional da própria vida conseguirão lhe mostrar, com segurança, qual é o melhor passo que você deve dar em sua vida.

Quando colocamos nossas emoções à frente da razão, a tendência é piorar o que já está complicado. Sei que é difícil, neste momento, confiar na paciência e no autoconhecimento, mas é o melhor passo a dar. Busque a tranquilidade com toda a sua força e com todo o seu desejo, e observará rapidamente o florir da revolução que acontecerá em sua vida. Contudo, é preciso meditar, ser paciente, fazer aquilo que se pode fazer e meditar com a razão, e não com a emoção, sobre o que não dá para fazer.

Ficar pensando no que não depende de você para ser resolvido lhe causará ainda mais medo. Esse medo tentará derrubar você, gerando ainda mais medo, ansiedade, angústia. Com esses sentimentos, não será possível observar nada com clareza e discernimento.

Por isso, busque o autoconhecimento.

Com paciência, reflexão, meditação.

Com a razão, tudo encontra o oceano da realização e da felicidade. Mas é preciso se dedicar a meditar a paciência!

Sobre o autor

Carlos de Campos

Carlos de Campos

Quem é Carlos de Campos?

Era uma vez um poeta, filósofo e teólogo
Era ele avesso a trivialidades.
Vivia refletindo sobre a vida com sua poesia.

Costumava questionar
Toda sombra instalada
Organizando as ideias
Sua poesia gritava.

Era de se admirar!
Entre sinuosas linhas, focando o autoconhecimento
Sua mensagem auxiliava.

O poeta era ligeiro
E nada o constrangia
Com a força da palavra
Muitos versos nos trazia
Na voz um canto festivo
No peito uma euforia
De chegar ao equilíbrio no convívio do dia a dia.

Contatos:
Email: [email protected]
Facebook: Carlos Campos Júnior
Página do Facebook: @resistircompoesia
Pictame: @omestrepoetico/