Convivendo

Coletivo Namaskar: aula de Yoga gratuitas e ao ar livre

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A prática da yoga vem aumentando. Prova disso, são os parques mais lotados principalmente aos finais de semana quando as práticas ocorrem. Este vem sendo o caminho adotado por um grupo de instrutores de yoga, que fundou o coletivo Namaskar voltado para a prática dos ásanas (posturas de yoga) ao livre e de forma gratuita. Conversamos com Nanda Barreto, professora de yoga e participante deste movimento, que nos contou como funciona. Confira a entrevista:

Eu sem Fronteiras: O que é o Coletivo Namaskar? Quando e por que surgiu?

Nanda Barreto: Somos um grupo de professoras e professores de yoga, que decidiu somar energias para sonhar e realizar juntos maneiras de levar a filosofia do yoga para mais pessoas! Para isso, resolvemos nos apropriar dos espaços públicos da capital gaúcha, pois entendemos que, de fato, estes lugares são nossos. Começamos esta caminhada conjunta em março de 2014. De lá para cá, novos instrutores se somaram ao nosso grupo e temos conseguido manter uma agenda semanal de aulas gratuitas em parques de Porto Alegre e Gravataí. Recentemente, iniciamos uma prática semanal de yoga na Escola Porto Alegre, um colégio da rede municipal de ensino que há mais de 20 anos se dedica à formação de jovens e adultos em situação de rua – um trabalho fantástico que é referência internacional na área. Atualmente somos um grupo de 20 professores de yoga envolvidos de alguma maneira neste projeto. Nossa motivação vem da experiência transformadora que o yoga promove em nossas vidas!  

Eu sem Fronteiras: Quem criou e quem são as pessoas envolvidas? Poderia falar um pouco da experiência de cada um?

Nanda Barreto: ser professora de yoga era uma ideia que eu guardava na minha caixa de sonhos. Em 2013, resolvi tirar este sonho da caixa e deixá-lo FLORESCER. Sou adepta do yoga desde 2003 e senti na pele as transformações positivas desta prática. Desde o início, minha intenção era contribuir para que outras pessoas também sentissem estes benefícios.

A experiência de dar aulas de yoga me fascinou. É, sem dúvida, um dos momentos que mais me conecta com o sagrado instante presente. Dar aulas de yoga é “atenção total na ação”. Além da alegria e da gratidão, ao dar aulas, o sentimento que mais se manifestou em mim foi a RESPONSABILIDADE. Assim, sinto constantemente a necessidade de estudar mais, tanto a parte filosófica do yoga quanto a parte dos ásanas.

O Coletivo Namaskar é, para mim, a realização de um sonho e uma oportunidade de contribuir para um mundo melhor através do karma yoga, o serviço desinteressado. Yoga para mudar o MUNDO, começando por si mesmo!

Caso queiram saber mais, tenho uma apresentação neste link aqui.

Eu sem Fronteiras: As práticas de Yoga são gratuitas e quando ocorrem? Qualquer um pode chegar e fazer?

Nanda Barreto: As práticas são gratuitas, com contribuição espontânea. A agenda do Coletivo Namaskar é divulgada a cada segunda-feira na nossa página no Facebook.

Eu sem Fronteiras: Como vocês se organizam em relação aos locais de prática? O coletivo só acontece em porto Alegre?

Nanda Barreto: Cada professor escolhe o local e data da sua aula de acordo com a sua disponibilidade. Atualmente temos aulas regulares em Porto Alegre e Gravataí, uma cidade da região metropolitana.

Eu sem Fronteiras: As praças das cidades estão aumentando com a quantidade de pessoas praticando yoga e outras atividades. Como você enxerga esse movimento?

Nanda Barreto: Isto é maravilhoso! É fundamental que coloquemos nossa energia para criar um mundo melhor em prática, assim inspiramos outras pessoas e mobilizamos esta energia com mais potência!

Eu sem Fronteiras: Como é estar por trás desse evento e qual o maior desafio?

Nanda Barreto: O maior desafio é a nossa organização como coletivo. Cada um de nós tem outras atividades pessoais e profissionais e muitas vezes não é fácil nos encontrarmos pessoalmente para a troca presencial. Acabamos resolvendo muitas coisas pelo meio virtual e também é ótimo que tenhamos esta possibilidade. Dar aulas nos parques é uma tarefa muito feliz e divertida. A experiência na EPA também está nos ensinando muito.

Eu sem Fronteiras: O que as pessoas que nunca praticaram relatam a vocês?  O que é mais gratificante nessa experiência?

Nanda Barreto: Uma das coisas mais gratificantes é saber que muitas pessoas tiveram contato com o yoga pela primeira vez nas aulas do Coletivo Namaskar. Outro aspecto encantador é que as aulas são frequentadas por um grupo bem diverso. Acho que a diversidade é uma marca do Coletivo, a começar pelos instrutores. Nas nossas aulas aparecem pessoas de todas as idades, diferentes credos, orientações sexuais, classes sociais e objetivos pessoais. São seres humanos que se encontram ali com um objetivo comum: avançar rumo a si mesmos, compartilhar o que têm de melhor e melhorar a qualidade de vida. Oferecemos uma aula que não é para nível avançado, com posturas complexas, e todos podem experimentar, observando e respeitando seus próprios limites.

Eu sem Fronteiras: Por favor, deixe uma mensagem para os leitores.

Nanda Barreto: As aulas do Coletivo Namaskar são gratuitas e abertas a todas pessoas. Acreditamos muito nesta troca. Entendemos que de alguma maneira estamos movimentando a energia da abundância e a economia da felicidade, promovendo o bem-estar.

Recebemos contribuições espontâneas, pois algumas pessoas fazem questão de pagar. Mas costumamos dizer que os alunos podem pagar oferecendo sorrisos para o Universo, pois afinal é disso que se trata: estar bem consigo mesmo e praticar o bem.

A agenda semanal de aulas de yoga é publicada a cada segunda-feira na nossa página no Facebook. Procuramos manter uma regularidade nos dias e horários, mas nem sempre é possível, principalmente porque atuamos de acordo com as condições climáticas.  Respeitamos cada ser humano que compartilha uma aula conosco. Cada um tem vivências diferentes e busca o yoga com uma motivação individual, então queremos estar prontos para auxiliar.

Se você parar para pensar, o trabalho não remunerado é o que mantém a sociedade funcionando. O ser humano precisa de amor e cuidados para se desenvolver e avançar no seu caminho, na sua vida. Se não houver quem cuide, jamais haverá quem cresça e se fortaleça. Então, de alguma maneira, nos sentimos cuidadores.

Além disso, praticar yoga em contato com a natureza é muito terapêutico! De fato, as posturas de yoga resultam da observação que os antigos yogis faziam dos movimentos dos animais e dos ciclos da natureza. Durante as aulas, sempre salientamos que  os benefícios físicos que o yoga traz para o nosso corpo são uma linda consequência, mas não o objetivo na nossa prática.

Mais que uma aula de yoga, as aulas no parque são um momento de partilha e convivência. Geralmente, fazemos as aulas em círculo, onde todos são iguais e podem se olhar nos olhos. Realizamos uma breve apresentação, na qual cada um tem a oportunidade de falar sobre a sua relação com o yoga ou a motivação que o levou até ali.

Se tiver interesse em participar e saber mais informações: Coletivo Namaskar


Texto escrito por Angélica Fabiane Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]