Espiritualidade

Como educar e guiar um filho espiritualizado

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ascrianças espiritualizadas nascem com o chakra do coração aberto, um equilíbrio perfeito de energia amorosa que tem sido intacta, intocada e incólume. Apenas para aprender sobre traumas emocionais e “dores de crescimento” nesta vida física. É preciso coragem para vir a este plano e lutar as batalhas deste mundo. Nós estamos todos neste momento aprendendo e descobrindo dificuldades emocionais em nossas missões para a realização espiritual.

Uma vez dada a abertura para nossa fonte de criação, podemos experimentar o estado de euforia do nosso espiritual, eterna origem.

Todas as crianças nascem com o que é chamado de habilidades extrassensoriais. Expressadas ou não, todas as crianças possuem o chamado de despertar espiritual. É só o tempo que nutre os dons naturais que defloram das habilidades naturais de nossos filhos.
Como podemos saber se todas as crianças têm esses dons? É muito simples. Se há presente uma habilidade de telepatia ou clarividência, por exemplo, uma hora ou outra ela vai aparecer. A criança só sabe dentro do seu próprio coração quando estes fenômenos acontecem, e mais para frente, pode doá-los ao mundo. A intuição é a base da nossa conexão com o universo, e intuição provém de sentimentos que são gerados pelos nossos centros cardíacos.

Os seguintes pontos são essenciais para garantir o incentivo espiritual dos nossos filhos, e é o que irá garantir uma sociedade evoluída espiritualmente no futuro: 

1. Ensine para seu filho que sentir emoções diferentes é ótimo!

Emoções de raiva, culpa, tristeza, felicidade e alegria, tudo deve ser abraçado. Ao ensinar nossos filhos que não é legal sentir raiva, por exemplo, estamos ensinando-os a reprimir emoções. Quando reprimimos as emoções, estamos inserindo-as no fundo do coração, e se não forem bem resolvidos, há o bloqueio no centro do coração. Todas as emoções e sentimentos devem ser expressados de maneira saudável.

Aqui estão três passos para ver se o seu filho está irritado ou frustrado:

  1.  Reconhecer a emoção;
  2.  Permitir que seu filho entenda o sentimento de raiva ou frustração;
  3.  Permita ao seu filho que libere esse sentimento de maneira saudável. Por exemplo, se o seu filho está com raiva, deixe-o gritar “estou zangado” quantas vezes ele precisar até que a raiva seja liberada.

Geralmente as crianças acabam fazendo esses exercícios com uma bela risada! Porque as crianças sabem rir de si mesmas, e é dada a elas uma liberação saudável.

2. Não ensine o que é “bom comportamento” e “mau comportamento”

“Bom garoto”. “Mau garoto”. Tire essas expressões de seu vocabulário. Ao ensinar seu filho que ele está sendo bom ou você está exagerando o contexto do que é ruim, automaticamente está incutindo um processo de autoestima e separação dentro de si. Eles começam a ver-se com um alter ego. E é por isso que nasce em nós um “anjo bonzinho” e “anjo mau” ao lado de nossos ombros.

shutterstock_282976718-2

Não há nenhum anjo e demônio, há apenas boas ações e más ações. Temos de nos concentrar nas atitudes, e não na criança.

Há coisas que nós dizemos e fazemos que podem ferir os outros, ou a nós mesmos. E também há coisas que podemos fazer e dizer que os outros amam em nós, e que nós mesmos amamos fazê-las. A correção das atitudes que é o importante.

3. Ouça atentamente o que seus filhos querem dizer

Isto pode parecer óbvio, mas é muito mais profundo. As crianças dizem coisas, e nós gostamos de pensar que eles estão apenas “dizendo coisas”, porque eles são crianças e dizem qualquer coisa fofinha. Mas quando você realmente ouvir e prestar atenção, você começará a notar capacidades intuitivas ligeiras. É o seu trabalho encontrar essas habilidades, e é seu trabalho alimentar essa capacidade, para que eles possam dar o seu dom para o mundo.

shutterstock_211836610-2 Não ria ou descarte o que eles dizem, não importa o quão realista ou fora da realidade possa parecer. Há tanta coisa que você pode aprender com o seu filho, e se você pode aprender a perceber sem julgamento ou racionalizar o que eles estão dizendo, você pode olhar e ouvir além do óbvio.

4. Eles tem o dom de oferecer

Saiba que o seu filho não é apenas “seu filho”. Seu filho está aqui com um propósito, para uma missão da alma que só ele pode concluir. E para ser capaz de reconhecer isso, precisamos dar às nossas crianças nosso tempo. Porque o nosso tempo é o presente mais precioso que você pode dar a eles, E, ao fazer isso, você vai entender o porquê.


• Texto traduzido e adaptado por Natalia Iannone da Equipe Eu Sem Fronteiras

 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]