Espiritualidade

Como identificar os dons de pessoas altamente sensíveis

Mulher de olhos fechados segurando uma flor na direção dos olhos
Ibraim Leonardo/Pexels
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já se sentiu um pouco diferente das outras pessoas, como se houvesse algo especial no seu ser? Já percebeu alguma habilidade inusitada ou notou algum sentido extremamente aguçado? Se sim, é bem provável que você tenha algum dom e seja mais sensível do que imagina.

Quando falamos em sensibilidade, muitas pessoas pensam que estamos nos referindo somente ao lado emocional: se alguém chora com facilidade, comumente é considerado sensível demais. Mas o assunto que trataremos aqui é muito mais profundo do que isso. Você já ouviu falar em pessoas altamente sensíveis? Ou, quem sabe, no dom da sensibilidade? Continue lendo e impressione-se ao conhecer um pouco mais sobre esse assunto!

O que são dons?

De acordo com o dicionário Aurélio, a palavra “dom” significa “qualidade natural; aptidão; dádiva”. Mas muito mais do que uma explicação relacionada à língua portuguesa, os dons são considerados por muitas pessoas como milagres espirituais e até mesmo predisposições genéticas. De modo geral, um dom consiste em uma habilidade especial que faz com que um indivíduo tenha facilidade extrema em determinadas atividades. É como aquela pessoa que aprende violão ou desenha sem precisar de aulas, por exemplo. Os dons podem estar ligados a diversas áreas da vida, como esporte, música, arte, sensibilidade, entre outras.

Temos muitos exemplos de pessoas que marcaram a história da humanidade com os seus dons. Você conhece a história de Beethoven, o compositor alemão que criava e tocava melodias com uma aptidão impressionante, mesmo com sua condição de surdez?! Assim como ele, Van Gogh surpreendeu o mundo com o seu dom da pintura. E até mesmo os povos que viviam em condições de difícil sobrevivência, como os tibetanos, que possuíam grandes habilidades em sobreviver em altitudes consideradas impossíveis para seres humanos, podem ser considerados dotados de grandes dons!

Como você pôde ver, existem diversos tipos de dons. Todos eles estão em você desde o seu nascimento. Não confunda dom com talento, pois o talento pode ser construído e moldado ao longo do tempo, enquanto um dom é algo natural e seu. Mas além desses dons que nos possibilitam praticar certas atividades com facilidade, há o dom da sensibilidade. Você já ouviu falar dele? Confira a seguir!

O dom da sensibilidade

Mulher sentada em um jardim de olhos fechados segurando uma flor
Elle Hughes/Pexels

Há alguns dons “superiores” que podem se manifestar na infância ou ao longo de sua vida, como o dom da cura, dom da palavra, dons que afloram sua espiritualidade e o famoso dom da sensibilidade. O dom da sensibilidade nada mais é do que a capacidade de sentir com mais facilidade e de forma mais intensa as emoções habituais. Pessoas que possuem esse dom se comportam de forma mais introvertida e enxergam as situações da vida de forma completamente diferente do que as outras.

Chamadas de Pessoas Altamente Sensíveis (PAS), os indivíduos com esse dom são capazes de notar detalhes que constantemente passam despercebidos pelos outros. Como sentem tudo com mais intensidade, tornam-se automaticamente seres mais afetivos, preocupados e alertas. Na maioria dos casos, são vistos como solitários por se sentirem diferentes, ao ponto de se excluírem do resto da sociedade. Eles estão sempre ativos e, mesmo que em silêncio, pensam em tudo e acabam absorvendo tudo o que ocorre ao seu redor.

Como identificar

Geralmente, o dom da sensibilidade pode ser identificado por meio de certos tipos de comportamento, que podem ser notados desde a infância de um indivíduo. Uma criança que possui esse dom tende a se sentir confusa com os sentimentos e emoções que expressa, sem entender direito o porquê ou como. Na maioria das vezes, os pequeninos reprimem tais confusões e acabam acumulando suas dúvidas e questionamentos sobre o próprio ser.

Já na adolescência e vida adulta, podemos distinguir tais sensações e o ato de sentir com mais facilidade. Não é muito difícil perceber o que “foge do comum”. E por isso, a partir de um profundo autoconhecimento, podemos analisar nossas emoções e entender se a intensidade delas é comum ou não. Você já parou para pensar no quanto o que ocorre à sua volta lhe afeta? Você costuma pensar demais e se importar muito com coisas que nem sempre têm a ver com você? Qualquer tipo de inquietação constante pode ser um indício de que você é uma pessoa que possui o dom da sensibilidade.

Mulher cheirando flor
cottonbro/Pexels

Nos casos em que a manifestação ocorre ainda na infância, é importante que os pais estejam sempre atentos ao comportamento dos filhos, para que eles não interiorizem tudo o que sentem e não sejam prejudicados pela falta de entendimento de terceiros.

As manifestações de hipersensibilidade começam com experiências como:

Conhecimento excessivo das emoções

Nas situações rotineiras, a pessoa com o dom da sensibilidade consegue sentir detalhadamente cada sentimento que está envolvido em cada uma delas. Por meio de uma simples observação, ela consegue reconhecer o que está sendo “transmitido” e analisa tudo o que isso pode resultar — não somente a ela, mas a todos os envolvidos.

Por exemplo, quando uma criança com esse dom percebe que está sendo observada com um olhar de desconfiança, ela receberá esse olhar de uma forma muito mais profunda do que as que não possuem o dom. Automaticamente, uma reflexão lhe proporcionará emoções e sensações que esse olhar poderá causar em outras pessoas. E toda essa mistura de sentimentos pode resultar em sintomas negativos, como confusão mental e angústia.

Intuição

Pessoas hipersensíveis têm a intuição muito mais desenvolvida do que as outras. Elas percebem com facilidade o que acontece à sua volta, mesmo que não exista qualquer motivo aparente para isso.

Por exemplo, quando um indivíduo com o dom da sensibilidade entra em um local repleto de pessoas, pode sentir de forma simples qual é a vibração do ambiente ou qual era o assunto que estava em “pauta” antes da sua chegada.

Sentidos aguçados

Cheiros, sons, luzes e cores são extremamente mais sentidos e intensos por aqueles que têm esse dom. Além disso, formas e formatos possuem representatividades e significados mais profundos para eles, que geralmente costumam dar sentido a todas as coisas.

Empatia desenvolvida

Esses seres têm uma conexão emocional totalmente surpreendente com outras pessoas, pois tendem a ser mais hábeis e abertos na hora de iniciar algum tipo de relação com terceiros. Eles se colocam no lugar do outro e conseguem praticamente sentir o que o outro está sentindo.

Capacidade de compreensão

Seres mais sensíveis são propensos a serem mais compreensivos. Aquele que sente mais automaticamente sabe como entender mais. Por mais que seja um pouco difícil compreender sua própria condição, ao analisar que seu ritmo é diferente do ritmo das outras pessoas, os hipersensíveis conseguem ver o mundo de forma mais positiva e se dispõem mais a ouvir e a entender o mundo.

Conforto na solidão

Como citamos anteriormente, às vezes pessoas com o dom da sensibilidade são mais introvertidas. Mas na maioria dos casos isso não é tido como algo negativo! Os hipersensíveis encontram refúgio e conforto na solidão, pois como eles são diferentes dos demais, sentem-se mais confortáveis em situações em que estão em sua própria companhia. Estar sozinho significa ser quem realmente é, sem preocupações com olhares ou julgamentos alheios.

Mulher sentada no chão abraçando suas pernas
Rafael Barros/Pexels

Esse dom ainda possibilita uma facilidade maior de autoconhecimento. Por esse motivo, ficar sozinho pode ser uma oportunidade de aproveitar seus próprios pensamentos e “mergulhar” na sua própria intensidade.

Demonstrações sentimentais

Assim como esses indivíduos sentem tudo mais intensamente, eles também demonstram e manifestam seus sentimentos e emoções de forma mais intensa. Os dotados de sensibilidade preferem a emoção à razão, adoram demonstrar carinho e buscam viver a vida da forma mais intensa possível. Porém toda a entrega que eles oferecem a absolutamente tudo o que fazem pode resultar em sofrimento em algumas situações. A falta de racionalidade dos hipersensíveis pode gerar muita expectativa, o que costuma ser algo negativo na maioria dos casos.

Disposição em ajudar

Com muito amor e carinho para dar, pessoas com o dom da sensibilidade costumam gostar de se envolver em ações que beneficiem outras pessoas. O objetivo delas é transformar o mundo para que todos vivam bem, então pode ter a certeza de que elas farão tudo o que puderem fazer para facilitar a vida de outras pessoas!

É possível usufruir positivamente de tudo o que a alta sensibilidade proporciona a uma pessoa. Basta você trabalhar o seu conhecimento interior e entender como controlar todos os excessos que existem dentro de você. Mas atente-se: controlar não significa reprimir! Você precisa conhecer seus sentimentos para saber como lidar com cada um. Esse dom não precisa ser temido, mas deve ser motivo de orgulho! Entre em contato consigo mesmo, olhe para o seu mais profundo íntimo e aproveite o autoconhecimento que o dom da sensibilidade pode lhe proporcionar! Você é especial!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]