Convivendo

Como os próprios seres vivos podem gerar energia elétrica para as cidades?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A energia elétrica é um dos pilares da modernidade e sua geração enfrenta muitos desafios. Altos custos para ampliar a rede, períodos de estiagem que prejudicam as usinas hidrelétricas e os danos provocados pelas usinas termoelétricas são as principais preocupações.

A energia eólica cresce no Brasil, ficando atrás da Índia e Estados Unidos, entretanto, a falta de investimento compromete esse tipo de energia.  Então, como resolver este problema? Fique de olho nesta matéria para descobrir a resposta.

Bioluminescência

Esta é uma das alternativas viáveis da geração de energia elétrica sustentável, segundo a start up francesa Glowee. A bioluminescência é um processo químico onde seres vivos emitem luz fria. No mar, peixes, algas, fungos, bactérias, celenterados, moluscos e artrópodes fazem isso, já os insetos e fungos são os animais terrestres que possuem tal característica. Os cientistas da Glowee reproduziram o gene responsável pela reação em laboratório e o devolveram para a natureza.

Os estudiosos afirmam que a tecnologia pode ser usada em impressoras 3D. Porém, a energia elétrica gerada por bioluminescência não poderá ser empregada como única fonte de energia, devendo ser vista como uma alternativa de energia limpa, segundo Sandra Rey, CEO da Glowee.

Iniciativas como esta precisam ser divulgadas. Você conhece algum projeto semelhante? Compartilhe com a gente.


Texto escrito por Sumaia de Santana Salgado da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]