Reiki Celta

Conheça o povo celta e sua cultura

Vilarejo celta na Espanha
AngelGV / Getty Images / Canva
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você tem um grande apreço pela cultura do povo celta, chegou ao lugar certo! Celta é nome dado a um conjunto de pequenos povos ou tribos. Eles foram as primeiras tribos civilizadas da Europa e chegaram muito antes dos romanos e os gregos.

O povo celta esteve presente na primeira onda para realizar a colonização da Europa, em 4.000 a.C. e, com o passar dos anos, já possuíam seus territórios! A cultura celta também já havia sido determinada nesta época, em 1.800 a.C.

A mitologia celta

Cruz da religião celta.
Jeryco / Getty Images Signature / Canva

Os celtas dominavam grande parte da Europa, tendo como núcleo a Alemanha e se espalhando pela Grécia, pela Hungria e pela Ásia Menor. Os celtas também dominavam espaços como a Grã-Bretanha e a Irlanda.

Eles nunca foram povos unidos e havia rivalidade entre os povoados, com apenas algumas exceções. Pertenceram à idade do ferro e sua estrutura familiar era bem característica. Viviam em pequenas vilas ou aldeias e sempre havia a presença de um líder. O povo celta era dividido em nobres, druidas, aristocracia, plebeus e escravos.

Os celtas também tinham suas crenças e, com isso, seus deuses. Muitos deles foram descobertos após a chegada dos romanos, que faziam associações dos seus próprios deuses a alguns deuses célticos.

Existem três divisões da mitologia celta, que são: galesa, britânica insular e cornuália; goidélica, escocesa e irlandesa; e Europa continental e britânica continental.

Os deuses celtas

Imagem de uma harpa céltica na floresta.
Libero Api / Getty Images / Canva

Por viverem em povoados próximos mas distintos, eles veneravam vários deuses diferentes e todos tinham relação com a natureza. Esses deuses são conhecidos por muitos nomes diferentes, pois ao certo não se sabe como eram realmente chamados.

Podemos dividir os deuses de acordo com duas localizações: continental e irlandesa.

Entre os deuses continentais estão:

Sucellus: deus do plantio, da fertilidade;

Taranis: deus do trovão; para os celtas ele caminhava pelo céu em sua carruagem, trazendo os relâmpagos e trovões;

Cernunnos: senhor da mutação e deus dos animais. Ele aparecia em forma de lobo, cervo ou cobra;

Dea Matrona: deusa mãe, sua representação é em forma de três mulheres que normalmente carregam peixes ou frutas. Os celtas tinham o número três como sagrado;

Epona: deusa da terra, representava a fertilidade que a terra possuía;

Belenus: este é um dos deuses, dentre vários, da luz e do fogo. “Bel” é atribuído a vários deuses que possuem características peculiares.

Já entre os deuses irlandeses podemos encontrar:

Dagda: deus da magia e da sabedoria, carrega um taco de duas pontas; um lado mata nove homens e o outro tem poder de ressurreição;

Lugh: deus dos raios solares e artesão. Tem o poder de criar armas repletas de magia.

Cuchulain: filho de Lugh, ele é um guerreiro que vence seus inimigos com um lança cheia de espinhos em sua ponta. Foi amarrado a um pilar de pedra por ter sido atingido por sua própria arma;

Morrigan: deusa da guerra e anunciante da morte. Por meio de uma mutação de humana para corvo, ao aparecer ou levar uma armadura, indica a chegada da morte;

Finn Maccool: Profeta, guerreiro e salvador da pátria. Ele salvou os reis da Irlanda de um monstruoso goblin;

Manannán Mac Lir: Ele é o patrono da Irlanda, deus dos mares e dos mortos.

Até pouco tempo, achava-se que os deuses celtas eram prestigiados ao ar livre, mas a arqueologia fez a descoberta de alguns templos. Neles, existem várias representações dos deuses nas paredes.

Até onde se sabe, porém, esses templos só foram construídos após a chegada dos romanos. Inicialmente, o povo celta venerava seus deuses em altares.

A cultura celta

Ruínas da antiga civilização celta na Inglaterra
Bernd Feurich / Pexels / Canva

A linguagem usada pelo povo celta era indo-européia. Além disso, eles eram muito apaixonados pelas artes em geral, principalmente artesanato e música. Mesmo estando inseridos na idade do ferro e possuindo grandes armaduras, eles adoravam apreciar a natureza e a arte.

Dentre as artes celtas mais comuns estão joias, artesanatos, armaduras e armas etc; todos sempre com base no metal. Eles também gostavam muito das artes abstratas e as usavam para criar vários desenhos. Normalmente desenhavam espirais e geometrias.

Essas, por sua vez, eram ligadas à religiosidade a fim de venerar seus deuses ou disseminar os maus espíritos.

As músicas celtas tiveram seu surgimento no período Mesolítico. Nesta época, a terra sofria o processo de glaciação e, com isso, muitos habitantes da Europa estavam se refugiando do gelo. Após um longo período de anos, não se sabe ao certo, eles migraram para a Grã-Bretanha e para a Irlanda, gerando a Epopeia Celta. Neste momento, as músicas celtas receberam novas influências e alcançaram sucesso.

As músicas celtas eram sempre produzidas com flautas, harpas e gaitas de foles. Bardos, druidas, trovadores e dançarinos sempre estavam presentes para fazer a festa. A música celta é hoje uma arte folclórica da Irlanda e da Escócia.

Os símbolos celtas

Símbolos célticos em pedra
Johnnyscriv / Getty Images Signature / Canva

Eles são os mais famosos quando se trata do povo celta. Os símbolos representam o animismo, que é a crença de que tudo que existe possui alma. Os animais e as plantas são as maiores representações desta crença.

Os símbolos celtas mais conhecidos, são: Triskle, a cruz celta, nó celta, a triquetra, a tripla espiral, o espiral e a árvore da vida. O mais interessante é que esses símbolos eram interligados, sem um começo e fim aparente.

Você também pode gostar

Todos esses símbolos possuíam ligação direta com as forças da natureza. Além disso, grande parte das artes era composta pela triplicidade. Para os celtas, o número 3 era muito importante, pois sua simbologia era referente ao corpo, à mente e ao espírito.

Os celtas são muito conhecidos até os dias atuais e ainda há muitas pesquisas para entender como viviam. Se você deseja apreciar essa cultura, grande parte da Europa os mantiveram em suas culturas.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]nteiras.com.br