Autoconhecimento

De onde você veio?

Portrait Of Family On Playground Climbing Frame
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Podemos dizer, sem dúvida alguma, que atualmente vivemos em um mundo totalmente globalizado, com cada vez menos barreiras entre os países e as pessoas. Com o advento da internet, conquistamos território sem precisar sair do conforto de nossas próprias casas e podemos experimentar a cultura e as diferenças de cada país com o mínimo de esforço. Viajar é também um dos principais hobbies das pessoas e é uma prática bastante encorajada. No entanto, infelizmente, em pleno século XXI e com toda essa facilidade de transitar entre os diferentes povos, ainda temos muita intolerância, racismo, preconceito e uma espécie de defesa de raça pura.

Assim como Hitler pregava a superioridade da raça ariana, sem precisar procurar muito, podemos nos deparar com pessoas que se sentem melhores que as outras apenas por julgarem terem uma origem privilegiada. Essa ideia não se restringe a nenhum país específico, faixa etária, sexo ou orientação sexual. Mas, sem dúvida, é algo que precisa ser mudado.

African Family Happiness Holiday Vacation Activity Concept

Vivemos em uma era onde não há mais espaço para intolerância e preconceito. Este é o mote da campanha “The Journey of Your Life”, criada pelo Momondo, um site especializado em busca de preços de passagens e diárias de hotel. A proposta é dizer o que você faria para contribuir com a “abertura do mundo” se ganhasse uma viagem. As melhores respostas ganham um teste de DNA para descobrir suas origens, e entre os escolhidos um vencedor poderá visitar todos os países que fazem parte de sua história. Infelizmente, o Brasil não está na lista dos países que podem participar da promoção, devido a leis locais sobre manipulação de DNA.

Porém, mesmo assim, podemos nos emocionar com o vídeo produzido para divulgar esta campanha e refletir sobre a importância de ter uma mente aberta. Para o vídeo, foram entrevistadas diversas pessoas dos mais diferentes países com uma coisa em comum: patriotismo exacerbado (para não dizer preconceito e opinião de que são seres superiores aos outros). Depois de duas semanas da primeira entrevista e de um teste de DNA, todos se espantam com a diversidade de culturas e raças presentes em si.

Somos todos uma mistura gigantesca de raças e precisamos ter a consciência disso antes de julgar qualquer pessoa apenas por sua nacionalidade. O mundo é extremamente plural e a beleza dele é exatamente essa diversidade. Quanto mais cores tivermos para pintar nossa história, mais colorida e bela será nossa arte.

Assista o vídeo abaixo e emocione-se também:


  • Escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]