Saúde Integral

Dopamina, a molécula da motivação

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

No cérebro humano existem cerca de 100 bilhões de neurônios que se comunicam por meio de substâncias químicas, denominadas como neurotransmissores. A dopamina, mais conhecida como molécula da motivação, é o neurotransmissor responsável por inúmeras funções como: movimentos, memória, atenção e prazer.

As sensações de prazer, recompensa e euforia estão diretamente ligadas a dopamina. Ao vivenciarmos situações prazerosas, mesmo que pequenas, como ser elogiado, comer algo saboroso, ter relação sexual ou qualquer outra coisa que te traga sensação de bem estar, a ação da dopamina é estimulada. Os vícios, como drogas e jogos, também estão associados. Quando alguém utiliza substâncias químicas, por exemplo, o cérebro libera uma grande quantidade de dopamina, aumentando a sensação de prazer imediato e assim, surge a necessidade de usar novamente para obter aquela mesma sensação.

Na função motora, ela é responsável por movimentos voluntários, como atividades musculares. A dopamina também está associada a capacidade de memorização. Os sentimentos de prazer e realização fazem com que o cérebro memorize aquele momento por mais tempo e com mais facilidade.

Deficiência de dopamina

dopamina

É comum que as pessoas que possuem baixa concentração de dopamina no corpo dependam de estimulantes para executar tarefas simples do dia a dia. Alguns sintomas também são confundidos com depressão:

  • Mudança de humor
  • Falta de libido
  • Falta de motivação
  • Perda de memória
  • Dificuldade para se concentrar
  • Insônia
  • Fadiga

A falta de dopamina também pode estar ligada ao aparecimento de algumas doenças como o Mal de Parkinson. É comum que as pessoas com mais idade percam alguns neurônios, o que reduz a produção do neurotransmissor. Essa ausência prejudica os movimentos do corpo.

Em casos extremos de baixo nível de dopamina, as pessoas podem apresentar doenças psicológicas, como a esquizofrenia.

Você também pode gostar:

Como aumentar a dopamina de maneira saudável?

dopamina

Você não vai precisar apelar para drogas, álcool e jogos. Existem maneiras saudáveis para aumentar a dopamina do corpo. Sabendo que ela é composta pelo aminoácido tirosina, que vem a partir da fenilalanina, é possível estabelecer uma dieta rica em tirosina.

Alimentos que podem auxiliar na produção de dopamina:

  • Produtos de origem animal
  • Banana
  • Maçã
  • Amêndoa
  • Abacate
  • Cacau
  • Peixe
  • Mel
  • Beterraba
  • Café
  • Vegetais de folhas verdes
  • Feijão
  • Farinha de aveia
  • Vegetais marinhos
  • Gergelim
  • Sementes de abóbora
  • Melância
  • Iogurte natural
  • Kefir

Vale ressaltar que o açúcar geralmente está ligado ao aumento de dopamina no corpo, mas essa elevação é apenas temporária, no momento da ingestão.

  • Exercícios físicos

dopamina

Além de retardar o envelhecimento e contribuir para uma vida mais saudável, praticar exercícios físicos promove o crescimento de novos receptores nas células cerebrais.

  • Meditação e tarefas diárias

É comprovado que a meditação aumenta a dopamina no corpo e contribui para motivação, foco e concentração.

Tarefas comuns como costurar, desenhar, fotografar, cozinhar e limpar a casa muitas vezes concentram o cérebro na mesma proporção que a meditação. Além de afastar a depressão, essas ações estimulam a dopamina.

Escrito por Natália Nocelli da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]