Autoconhecimento Comportamento

Dor de estômago – O que isso pode significar?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Praticamente todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já sentiu dor de estômago ou apenas um leve desconforto após comer demais, por exemplo. Na maioria dos casos, essas dores e desconfortos são causados por estresse, ansiedade, nervosismo, gases ou por algum alimento que foi ingerido em excesso ou que simplesmente não caiu muito bem. Esses incômodos comumente passam rápido, mas o grande problema é que, quando alguns desconfortos são constantes, eles podem ser sintomas de algumas doenças que requerem maior atenção e tratamento médico, mas infelizmente poucas pessoas se atentam a isso.

São inúmeras as doenças que atacam o sistema digestivo. Todas podem ser diagnosticadas apenas por meio de exames – a endoscopia é o mais comum. Endoscopia significa olhar para dentro do corpo de um paciente, mas como? É simples e indolor: um tubo flexível e bem fininho com uma câmera na ponta é introduzido pela boca do paciente (sedado, evitando, assim, qualquer desconforto), para que o aparelho digestivo seja visualizado e um diagnóstico preciso seja definido.

É comum que algumas doenças que causam dor de estômago sejam acompanhadas também por outros sintomas. Veja alguns exemplos de problemas gastrointestinais mais comuns e seus sintomas, que mais afetam as pessoas.

Imagem de uma mulher loura de cabelos longos e amarrados, segurando o estomâgo Ela está cm fortes dores. Ela veste uma camiseta cinza e uma calça jeans na cor clara.
Imagem de Anastasia Gepp por Pixabay

Refluxo gastroesofágico

Com certeza você conhece aquela sensação de queimação na garganta ou no peito: a famosa azia! É bem provável que ela seja um sintoma do refluxo, que é uma doença que ocorre quando a válvula do esôfago abre mais vezes, quando na verdade deveria abrir só com a ingestão de algum alimento. Por abrir mais vezes e se manter aberta, os alimentos ingeridos e os ácidos do estômago acabam voltando pelo esôfago, causando assim dores de estômago e queimação.

Alguns sintomas: regurgitação, dor no peito, dor de estômago, azia, rouquidão, aftas, dor de garganta e náusea após ingerir alimentos.

Possíveis causas: pessoas que têm o costume de ingerir alimentos em excesso e em seguida se deitam são mais propensas a ter refluxo, pois deitar com o estômago cheio faz com que a esfíncter (válvula) tenha dificuldade na hora de se fechar. Ingerir cafeína pode também ser uma das causas, pois ela faz com que a esfíncter relaxe e, por conseguinte, cause a regurgitação. Comer muito rapidamente, sem mastigar direito os alimentos, também pode causar a doença.

Tratamento: existe a opção de fazer uma cirurgia para fechar a válvula, mas o tratamento com medicamentos é o mais indicado pelos médicos. Atenção: muitas pessoas tratam o refluxo como uma doença apenas incômoda, mas saiba que, a longo prazo, ele pode ser um grande fator de risco que contribui para o câncer de esôfago.

Homem com fortes dores abdominais. Ele está com as duas mãos sobre o abdomen. Ele veste uma blusa de lã cinza e uma calça jeans na cor azul.
Imagem de Darko Djurin por Pixabay

Gastrite

Doença que consiste na inflamação das paredes do estômago e que pode ser causada por diversos fatores, entre eles uma bactéria que age no desequilíbrio do PH gástrico, chamada H Pylori. Podendo ser aguda ou crônica, há outro tipo que pode ser causado por questões psicológicas, como nervosismo, ansiedade etc.: a gastrite nervosa.

Alguns sintomas: forte dor de estômago, geralmente em forma de pontadas, má digestão ou sensação de “bola” no estômago, azia, arrotos com frequência, mal-estar, saciedade precoce e dores de cabeça.

Possíveis causas: infecção pela bactéria H Pylori, uso contínuo de anti-inflamatórios e de ácido acetilsalicílico, tabagismo e consumo excessivo de alimentos cítricos, gordurosos e de bebidas alcoólicas.

Tratamento: além de remédios, os médicos recomendam que o paciente adote uma alimentação mais leve e regrada.

Imagem de uma mão de uma senhora sobre o seu estômago. Ela veste uma blusa listrada nas cores preto e cinza.
Imagem de Mabel Amber, still incognito… por Pixabay

Pancreatite

Dividida entre pancreatite aguda e crônica, a doença consiste na inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda é causada quando cálculos biliares são formados e obstruem os canais do pâncreas, inflamando os seus tecidos, enquanto a pancreatite crônica atrofia e enrijece os canais e o tecido do órgão.

Alguns sintomas: dor de estômago muito forte é o principal sintoma da doença. Entre outros: dores abdominais que podem se irradiar para as costas, vômitos, febre e náuseas.

Possíveis causas: a doença é causada principalmente pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas, além de cálculos biliares.

Tratamento: infelizmente, na maioria dos casos a pancreatite é diagnosticada quando a doença já está em estágio avançado. O tratamento é feito com medicamentos.

Imagem de uma barriga bem grande. É a barriga de um homem. Ao lado uma mão segurando um caneco cheio de cerveja.
Imagem de Tumisu por Pixabay

Intolerância alimentar

Doença provocada pela falta de algumas enzimas que são responsáveis pela digestão de alguns elementos dos alimentos ingeridos. É uma doença comum, que causa grande dificuldade na digestão e que pode ser adquirida ao longo da vida.

Alguns sintomas: dor de estômago, gases, diarreia e vômitos.

Possíveis causas: deficiência ou ausência de alguma enzima digestiva específica. Em alguns casos, a doença surge por causa de alguns medicamentos, quando há alguma alteração anatômica, comprometimento de glândulas que atuam na digestão e até mesmo pode possuir origem genética.

Tratamento: é muito importante consultar um médico, pois algumas vezes a tolerância alimentar é confundida com alergia alimentar. O tratamento consiste em medicamentos e também na restrição de alimentos que provoquem as reações da doença.

Imagem de um homem com uma barriga bem grande. Ele está medindo a sua barriga com uma vita métrica.
Imagem de Bruno /Germany por Pixabay

Câncer de intestino

Chamado também de câncer do cólon e do reto, é um tumor que localiza-se na extremidade inferior do trato digestivo. Essa doença pode ser prevenida se o indivíduo fizer exames com frequência, pois, na maioria dos casos, este tipo de câncer é desenvolvido a partir de lesões benignas – chamadas pólipos – que vão crescendo na parede do intestino.

Alguns sintomas: presença de sangue nas fezes, diarreia, prisão de ventre, dor de estômago, desconforto abdominal, anemia, fraqueza, perda de peso sem causa e fezes muito compridas ou finas.

Possíveis causas: além de fatores genéticos, doenças como Crohn e retocolite ulcerativa aumentam o risco desse tipo de câncer, assim como doenças inflamatórias intestinais crônicas.

Tratamento: a doença pode ser tratada com cirurgia e medicamentos. Atente-se aos sinais que o seu corpo dá e consulte um médico caso você sinta alguns dos sintomas! Fazer regularmente o exame chamado colonoscopia é indicado para pessoas acima dos 50 anos ou que fazem parte do grupo de risco.

Imagem de uma barriga de uma mulher. Ela veste calça jeans e segura a sua blusa preta, para mostrar a sua barriga.
Imagem de Thorsten Frenzel por Pixabay

Dor de estômago pode ser causada por problemas emocionais?

Sim! O nosso corpo reage de diversas formas diante de tudo o que vivemos. Quando estamos estressados, nossos músculos se tensionam, causam dores específicas e, por conseguinte, a tensão altera o ritmo cardíaco, o que aumenta o nível de cortisol do sangue. Quando o órgão em questão é o estômago, é válido enfatizar que existe uma conexão entre o cérebro e o sistema digestivo, em que ambos trocam sinais. Quando sentimos emoções como euforia, ansiedade, medo, raiva, tristeza ou nervosismo, o nosso cérebro envia sinais para o estômago e o intestino, o que comprova que o trato intestinal é sensível ao nosso emocional. Quem nunca sentiu uma dor de barriga quando ficou nervoso ou se sentiu enjoado em um momento de ansiedade?!

Você também pode gostar

Se você foi ao médico se queixando de dor de estômago, fez exames e nada foi encontrado, procure um psicólogo e/ou um psiquiatra e busque tratar suas questões emocionais, pois fatores como ansiedade, raiva, nervosismo, mágoas, entre muitos outros podem modificar a sua saúde física e diminuir a sua qualidade de vida.

O tratamento para doenças do trato digestivo causadas por problemas emocionais é baseado em medicamentos, como antiácidos, e na restrição de alguns tipos de alimentos (mesmo assim, é necessário ir a um especialista).

Quando procurar um médico?

Se você sente dor no estômago com frequência, já é um grande motivo para procurar um especialista, mas tenha atenção aos seguintes sintomas:

– Perda de peso sem causa aparente;
– Vômitos frequentes;
– Idade superior a 40 anos;
– Anemia;
– Nódulos palpáveis na região do estômago;
– Sangue nas fezes ou no vômito

Assim como uma dor de estômago pode não ser nada, ela pode ser um sinal de alguma doença que exige um tratamento específico. Tenha em mente que qualquer doença não tratada pode ser um fator de risco para doenças maiores! Para prevenir qualquer problema futuro, busque um médico e faça exames regularmente.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]