Autoconhecimento PNL - Programação Neurolinguística

Rapport: a terceira técnica de PNL para transformar sua saúde mental

José Carlos Oliveira

Dando continuidade aos artigos anteriores, segue a terceira técnica de PNL que pode mudar sua saúde mental

TÉCNICA #3: Rapport

Rapport é uma técnica que permite a você ter uma conexão mais forte com alguém muito rápido, em questão de minutos, mesmo que você tenha acabado de conhecer a pessoa e nunca a tenha visto na vida. No mercado, é algo também altamente utilizado em vendas por conseguir criar aquele vínculo único em pouco tempo com o cliente, maximizando o conforto e a confiança entre cliente e vendedor, e por consequência, aumentando a probabilidade de vendas.

Bom, mas vamos direto ao ponto.

O que precisamos fazer para criar rapport?

Como criar Rapport:
  • Espelhe a linguagem corporal da pessoa

Quando estiver conversando com alguém preste atenção em como está a posição de seus braços e pernas e faça algo bem parecido, uma posição quase igual, tente imitá-lo mesmo.

Apenas não faça algo exatamente igual para não ficar óbvio que você está copiando a pessoa.

Dica: Existem posições em que você já sabe como a pessoa está se sentindo, o que torna mais fácil entender o que está acontecendo e simular uma posição parecida. Isso faz com que você saiba o que a pessoa está mais ou menos pensando, abrindo mais portas para o rapport se você entende um pouco de linguagem corporal.

  • Acompanhe e simule o mesmo ritmo de respiração da pessoa

Imitar o ritmo respiratório de uma pessoa na hora da conversa também funciona muito bem porque indiretamente isso transmite à pessoa que você sabe como ela está se sentindo. Nosso corpo gera emoções através de ações, e a ação de acompanhar a respiração de alguém acaba gerando a mesma emoção que a outra pessoa está sentindo, criando rapport mais rapidamente. Lembre-se: você se “abre” mais em uma conversa com quem te entende e sente o mesmo que você. E é exatamente isso que rapport faz.

  • Use palavras parecidas que a pessoa está usando na conversa

shutterstock_253145515Palavras também estão ligadas a emoções porque a palavra em si é na verdade um som. E aqui caímos na mesma questão da música que o ex-namorado(a) escuta e lembra do passado, que o faz lembrar de um momento feliz ou triste. Então se você usar palavras parecidas quando estiver conversando com uma pessoa, ela vai se conectar mais rápido a você. Simples.

  • Use o mesmo tipo de percepção sensorial (toque/gesto, áudio, visão)

As pessoas aprendem de 3 maneiras diferentes mas apenas uma é predominante sobre as outras duas. Então se você focar no estilo sensorial em que a pessoa mais responde, é muito mais fácil de criar rapport porque será mais fácil da pessoa te entender e responder aos seus estímulos. Quanto mais “familiar” você parecer melhor.

Neste último ponto, existe um detalhe: Você deve identificar primeiro qual tipo sensorial a pessoa que está conversando com você é, para em seguida poder aplicar as técnicas de rapport.

Mas não esquenta, porque aqui eu mostro como fazer isso:

  • Pessoa auditiva – A pessoa usa frases como “Eu estou te escutando”, “A voz dela é muito alta”, “Ele arranhou a superfície com o que ele fez” etc. São frases que envolvem analogia a sons. Isso demonstra que a pessoa é auditiva.
  • Pessoa visual – A pessoa usa frases como “Eu vi o que você quis fazer”, “Depois de ter estudado isso, estou vendo as coisas claramente”, “O seu futuro será brilhante!” etc. Frases que envolvem analogia à parte visual para demonstrar um sentimento ou expressão, são de pessoas visuais.
  • Pessoa cinestésica – A pessoa usa frases como “Eu sinto que é a coisa certa a se fazer”, “Ela passa um clima tão positivo não acha?”, “Eu estou com uma péssima impressão sobre isso” etc. Frases que envolvem a aplicação de sentimentos para traduzir uma interação ou evento, são de pessoas cinestésicas.

Uma vez que você sabe isso, fica mais fácil criar rapport porque você pode copiar a expressão deste estilo de pessoa para se expressar. Então se você for concordar com algo que uma pessoa auditiva está falando, prefira usar o “estou te escutando” ao invés do “eu sinto que o que você diz está certo”.

Até a próxima técnica!

Artigo 1: Conheça as 5 técnicas
Artigo 2: Autoancoragem
Artigo 3: Rapport
Artigo 4: Mudança de crença
Artigo 5: Reframe

Sobre o autor

José Carlos Oliveira

José Carlos Oliveira

Psicoterapeuta há 31 anos, cursou graduação em Psicologia e Psicanálise, é autor de duas obras literárias: "É Possível, Eu sou Capaz", 234pgs - Editora Formato Livre; e "O Semeador de Metáforas" 308 pgs - Editora Formato Livre.

Especialista em tratamento com Psicoterapia Focal, utilização de abordagens com Hipnose Ericksoniana e Clássica, Neurolinguística, Linha do Tempo (Timeline), Regressão Etária Hipnótica para disfunções mentais e emocionais, Regressão de memórias Intrauterina.

Possui três trabalhos em áudio publicados pela Editora Qualidade de Vida do Grupo DOMO: "Libere Seu Potencial", "Emagreça com Saúde" e "Conquiste seu Peso Ideal".

José Carlos Oliveira possui Registro CRT 31.547/SP em Psicoterapia Holística e atende presencial e pelo Skype.

ATENDIMENTO EM PSICOTERAPIA
(16) 32410745 - (16) 996348754
Skype: atendimento.psi

Contato:
Site: jcoliveirapsi.com.br
Facebook: Psicoterapia Online
Youtube: JC Oliveira - Psicoterapeuta
Email: [email protected] | E-mail pessoal: [email protected]