Autoconhecimento Saúde Integral

A ligação do pensamento com as células

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
O que os estudos esotéricos e religiosos já dizem há muito tempo, a ciência começa a desvendar agora estudando mais o cérebro humano. O que antes era visto como crença, por exemplo, como os sentimentos e pensamentos afetam a realidade das pessoas, agora começa a ser comprovado por meio de indícios encontrados pela ciência.

Tudo começa ainda quando somos crianças. Na infância, até mais ou menos os dez anos de idade, os neurônios, que são células do sistema nervoso, estão com uma maior plasticidade. Isso significa que eles conseguem se conectar uns com os outros com maior facilidade, o que ajuda no processo de aprendizagem. E o que isso tem a ver com os pensamentos?

Esse fato nos indica que até os dez anos de idade os pensamentos e sentimentos que uma criança tiver de forma persistente, por exemplo, relacionados a traumas e a experiências de sofrimento, podem causar memórias e danos irreversíveis no sistema nervoso. Mas isso não quer dizer que passar da infância sem traumas resolve todos os problemas. Na vida adulta, o sistema nervoso ainda nos mostra muito como devemos controlar nossos pensamentos.

Algo que é muito cotidiano na vida dos adultos é o estresse.

Estudos relacionados a esse transtorno e ao cérebro indicam que pensamentos tensos e conflituosos podem também levar a consequências irreparáveis. Os sentimentos e pensamentos prejudiciais persistentes podem levar a danos na amígdala cerebral e ao hipotálamo. Isso significa que, mesmo com terapia e tratamento psicológico, quando o dano chega ao cérebro, pode levar a uma necessidade de se tratar com remédios por todo o resto da vida.

Além disso, esses pensamentos ligados ao estresse também influenciam para o organismo liberar uma maior quantidade de um hormônio conhecido como CRF, que é produzido pelo cérebro e que influencia no funcionamento do organismo como um todo.

Alguns estudos ainda mostram que pessoas que passam anos em conflito com traumas chegam a ter modificações no cérebro, como o aumento da glândula hipófise e a diminuição do hipocampo. Isso afeta o funcionamento do sistema nervoso e é por isso que não é de se estranhar que pessoas com muitos conflitos psicológicos tenham dificuldades até mesmo em tarefas simples do cotidiano. O cérebro delas pode estar sofrendo as consequências.

Por outro lado, se pensamentos “ruins” afetam negativamente o funcionamento do cérebro e do sistema nervoso, pensamentos bons também podem modificar a forma como esse órgão tão importante funciona. Pensamentos bons e equilibrados alteram a frequência das ondas cerebrais e, assim, vemos o mundo de forma diferente.

É aquela sensação de que tudo é mais bonito quando estamos de bom humor, sabe? Por isso, vamos deixar uma reflexão por aqui: se até a ciência está comprovando que pensamentos afetam, para o bem ou para o mal, o funcionamento do cérebro, não está na hora de começar a dar mais atenção aos seus pensamentos e a como você pode mudá-los?


Texto escrito por Ricardo Sturkda Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]