Autoconhecimento Psicapometria

É inevitável sentir a dor

Sonia Reys
Escrito por Sonia Reys



Dormi na esperança e sonhei que ao despertar sentiria novamente o prazer do novo dia, pois cresci ouvindo que ninguém haveria de roubar meus sonhos…

Pela manhã meus olhos abriram na obrigação de viver mais um dia. Meu corpo aquecido pelas cobertas resistia sair do abraço, o único que ele conhecia nesse momento em que tudo que mais precisa é acolhimento…

Aprendi em aula que a dor é inevitável, mas o sofrimento era opcional. Estava mais do que na hora de transformar essa informação em conhecimento.

É real e inevitável que passamos por uma grande crise, que fica trabalhoso demais manter um sorriso no rosto quando nos falta o necessário, a falta de trabalho pode por hora limitar o nosso espaço, mas não permita que a crise estreite seu caminho, seja empreendedor, inove com pouco, vasculhe o baú do seu templo, tire de dentro suas partes fortes, perceba que não há nada, nem ninguém que o impeça de caminhar, recomece em passos contidos, lentos, porém firmes, alimentados por uma força maior, pela seiva da árvore que você se tornou.

Essa seiva são seus valores e por mais que o corte profundamente, ela não secará, pois é abundante, jorra viva dentro de si…

Esquecer o que dói é improvável, sinta a dor, mas viva de esperança…

Smiling young woman looking up at copyspace over black background

Ouvimos todos os dias nos noticiários gritos, lamentos, perdas, catástrofes e, ao nos colocarmos no lugar do outro, não sentimos sequer um terço de seu sofrimento. Mas, o nosso corpo se contrai, nossos pelos se arrepiam, nossos corações param por milésimos de segundo, o peito se oprime, a garganta reconhece o velho nó, tão presente ultimamente e lágrimas jorram dos olhos da alma por compartilhar de momentos fúnebres, e percebemos que por mais que vivenciemos esse burburinho, nada é mais alto que a voz de Deus em nossos corações, e assim despertamos dos nossos próprios lamentos, enfrentamos nossos medos , tornamos mais um dia vivido e possível, a perseverança é o que me acompanha e a fé o que me estimula a ser eu mesma e a compartilhar do meu pouco, mas do meu melhor com vocês.

Permita que a criança interior sacuda sua alma de alegria, pinte seus pesadelos, transformando-os novamente em sonhos, busque o aconchego de Deus em suas orações e não tardará as bênçãos divinas em sua vida.

Agradeça o pouco que tem, na certeza que dividido se multiplica, extinguindo a miséria de alguém nesse pequeno gesto encontrará o sorriso largo de gratidão, mais que um colírio para os olhos turvos, um conforto para alma, como que fosse provável, sentimos o abraço de Deus.

Persevere, creia em você, mesmo quando tudo a sua volta parece névoa, lembre-se que o Sol jamais deixa o céu, ele apenas permite que o manto de nuvens sejam cortinas do palco de um dia turvo.

Assim, sou eu e vocês para Deus, somos o Sol, e a crise é somente o manto de necessidades, que impedem por hora o astro brilhar, mas podemos nos esforçar cada vez mais até que nossos raios clareiem novamente, aquecendo e alegrando um novo dia.

Fiquem com Deus. Estamos juntos nessa jornada.

Um grande e forte abraço!

Sobre o autor

Sonia Reys

Sonia Reys

Sou secretária de uma Clínica Médica e estou cursando graduação em EAD Gestão de Recursos Humanos, Formação em Psicanálise Clínica, e o Curso de Psicologia do Relacionamento Humano Individuação (tornar-­se pessoa). Experiência em Administração, Área Financeira e Relacionamento Humano (PNL).

E-mail: [email protected]