Autoconhecimento

Entenda a importância de promover o autoconhecimento e o autocuidado

Imagem dos pés de uma criança e os dez dedos estão pintados com uma carinha feliz.
Bruno / Germany / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Pense sobre todas as pessoas que você mais ama. Se conseguir, faça uma lista de cinco pessoas por quem você tem uma grande consideração. Depois, pense em uma qualidade de cada uma delas e em um defeito. Depois que fizer isso, responda: entre essas pessoas, você pensou em si? Em um defeito e em uma qualidade sua?

Normalmente, prestamos mais atenção às pessoas que estão ao nosso redor ou a quem amamos profundamente. Raramente reservamos um tempo para olhar para quem somos, para pensar sobre nossos defeitos e sobre nossas qualidades. Às vezes, até nos esquecemos de cuidar do nosso corpo e da nossa mente.

O autoconhecimento, assim, é uma forma de descobrir mais sobre a pessoa mais importante da sua vida: você. É um exercício de prestar mais atenção em você, de refletir sobre seus traumas, sobre seus medos, sobre seus desejos e sobre tudo aquilo que o faz feliz. Não é um processo fácil, mas os resultados serão duradouros e muito vantajosos para você.

O autocuidado surge como uma vertente do autoconhecimento. Uma vez que você se conhece, sabe quem você é e o que você busca, deve aprender a cuidar do seu corpo e da sua mente, para garantir que os seus objetivos serão alcançados com mais facilidade. Esse processo não se resume a uma rotina de cuidados com a pele. Na verdade, é um esforço de realizar até as atividades que não são prazerosas, mas que são essenciais para o seu bem-estar, como fazer terapia ou exames médicos anuais.

Por que o autoconhecimento e o autocuidado são importantes?

Talvez você acredite que não precisa do autoconhecimento para ser uma pessoa que vive em paz consigo ou que sabe o que é melhor para si. Nesse caso, é possível que você já pratique o autoconhecimento sem se dar conta disso. Esse processo é uma observação e uma análise das nossas atitudes, dos nossos desejos e dos nossos sentimentos. Não é algo que acontece uma vez ou outra, é um processo de evolução.

Para entender um pouco melhor sobre a importância de se dedicar ao autoconhecimento, imagine a seguinte situação: você é uma pessoa que detesta abobrinha, porém, em todos os dias da sua vida, você abre a marmita e vê que esse alimento está lá. Você não se sente bem ao comê-lo e torce para que acabe logo, mas nunca consegue deixar de aceitá-lo como a sua refeição.

Fazendo um paralelo, você pode estar em um relacionamento, em um trabalho ou em um curso que não lhe faz bem, que não lhe traz qualquer satisfação, mas você aceita essa realidade porque nunca parou para pensar sobre como ela o prejudica, e sobre como você poderia estar aproveitando a vida de outra forma.

O autoconhecimento é como um despertar para si. Você precisará entender o que está lhe fazendo mal e o que você considera que irá lhe fazer uma pessoa melhor e mais feliz, e nada disso será fácil. Provavelmente você terá que abrir mão de elementos que fazem parte da sua rotina, precisará cortar contato com pessoas que não lhe agregam coisas boas. Você pode imaginar que esse processo estará lhe fazendo mal, mas as sensações ruins serão passageiras.

Com o tempo, você vai ser mais fiel à sua essência. Você vai entender quais são os seus limites, os seus sonhos e os seus problemas. Saberá quais são os comportamentos que você tem e que precisa mudar, entenderá o que precisa fazer para alcançar seus verdadeiros objetivos, livre das expectativas das outras pessoas.

Imagem da perna de uma pessoa e sobre ela está espalhado um pouco de protetor solar desenhado com o formato de um coração.
Chezbeate / Pixabay

O autocuidado, em outro sentido, é também de suma importância para o bem-estar de uma pessoa. Muitas vezes, abdicamos do cuidado com as nossas saúdes física e mental porque sempre acreditamos ter algo mais importante para fazer. Resolver questões do trabalho, estudar, cuidar da família, viajar. É difícil entender o autocuidado como prioridade.

O caminho natural para uma pessoa deveria ser o de entender que ela não terá uma boa qualidade de vida se tiver problemas de saúde, seja física ou mental. Adiamos exames médicos de rotina, guardamos traumas dentro de nós e esperamos até que a situação chegue ao limite para, enfim, procurar ajuda médica.

Se você tivesse um carro, iria preferir fazer revisões anuais, para identificar possíveis problemas e resolvê-los o mais rápido possível, ou esperaria até que o veículo parasse de andar para entender o que está acontecendo? Embora essa comparação seja muito simplificada, é um exemplo de como nossos corpos funcionam. Exames médicos anuais e um acompanhamento psicológico mensal podem impedir que cheguemos aos nossos extremos, o que dificultaria qualquer tratamento.

Além disso, é importante que nos atentemos ao ambiente no qual estamos inseridos. Esse ambiente está fazendo bem para a nossa saúde? Nós estamos cuidando bem desse local, para que ele seja acolhedor e saudável? Observe os itens que o rodeiam e pense sobre como você se relaciona com eles no seu cotidiano.

Para entender o autocuidado como uma prioridade, você pode fingir ser uma pessoa que ama muito. Você gostaria que essa pessoa tomasse todos os cuidados para impedir que algum problema severo fosse descoberto previamente, não é? E por que o mesmo não poderia valer para você? Reflita sobre essa questão!

Como praticar o autoconhecimento e o autocuidado?

Uma vez que você entendeu qual é a importância de desenvolver o autoconhecimento e o autocuidado, confira, a seguir, algumas formas de aplicar essas duas formas de se conhecer e de se preservar!

1) Faça terapia

É comum que as pessoas acreditam que fazer terapia é algo que só se aplica para quem tem alguma doença mental. Mas isso não é verdade. A terapia permite que uma pessoa aprenda mais sobre si, saiba lidar melhor com seus problemas e seja capaz de agir com determinação nas mais variadas situações. É para todos!

2) Encontre alguma crença

Se você não tem uma religião ou uma crença, pode ser uma boa ideia procurar algo em que acreditar. Muitas pessoas usam a Astrologia e a Numerologia como processos de autoconhecimento, e essas duas técnicas podem ser ideais para você. Dê uma chance para aprender mais sobre si!

Imagem de um jovem budista sentado e encostado em um tronco de árvore. Ao lado dele um guarda-chuva vermelhor aberto. Ele está meditando.
Sasin Tipchai / Pixabay

3) Pratique meditação

A meditação é um dos meios para refletir sobre quem somos e sobre o que buscamos, além de ser utilizada também como uma técnica de relaxamento. Nesse sentido, você pode praticar a meditação tanto como autoconhecimento quanto como autocuidado. Basta reservar um tempo para olhar para dentro!

4) Realize exames médicos anuais

Os exames médicos anuais devem ser realizados por pessoas de todas as idades. Com um Sistema Único de Saúde, gratuito, mas muito sucateado, pode ser difícil de atender a essa demanda dos nossos corpos. Porém, precisamos fazer um esforço para observar nossa saúde e cuidar dela, na medida do possível.

5) Entenda o que você está comendo

Alimentar-se de forma consciente é um gesto de carinho, de cuidado e de amor para com o seu corpo. Não coma só para sobreviver, coma para ser uma pessoa saudável e que sente prazer ao saborear um alimento. Pesquise a origem do que você consome, entenda a composição de cada comida. E, então, faça as mudanças necessárias!

Imagem das mãos de uma pessoa adulta e sobre ela as mãos de uma criança pequena, demonstrando o um gesto de autocuidado de pai com o filho.
Nisha Gill / Pixabay

6) Saiba o que você está aplicando no seu corpo

Em vez de seguir tendências na hora de cuidar do seu corpo, preste atenção aos rótulos dos produtos que você usa. Será que os cremes, as maquiagens e as roupas que você utiliza todos os dias apresentam algo em suas composições que pode lhe fazer mal? Será que você realmente conhece esse produto ou se deixou levar por comentários positivos de outras pessoas sobre ele?

7) Conheça seus objetivos

Conhecer os seus objetivos é essencial para definir qual é o seu plano de vida. Você quer ter uma família amorosa, um emprego dos sonhos, viajar muito, adquirir algum bem material ou alguma outra coisa? Pense sobre você, sobre os seus verdadeiros desejos. Faça com que eles fiquem explícitos na sua mente e veja como você pode alcançar cada um.

8) Compreenda o que o deixa desconfortável

Se você está em um ambiente e sente que alguma coisa não está certa, é provável que você tenha se inserido em uma situação desconfortável ou em um ambiente que não o faz bem. Não ignore os sinais que sua mente e seu corpo lhe enviam. Assim que sentir que algo está lhe fazendo mal, evite fazê-lo novamente e fale a verdade caso seja questionada(o) sobre isso.

Imagem de uma mulher vestindo uma camisa azul clara. Ela usa uma trança longa em seus cabelos castanhos e está com uma das mãos sobre a boca.
Robin Higgins / Pixabay

9) Liberte-se do que lhe faz mal

Sabe aquele relacionamento ou aquela situação que faz você se sentir mais mal do que bem? Respire fundo, tome coragem e se liberte disso. Há inúmeras outras possibilidades o esperando, e a sua vida pode ser melhor do que você imagina, se tiver coragem de escapar do conforto e buscar a verdadeira felicidade.

10) Não desista!

Em muitos momentos, você vai se dar conta de que desenvolver o próprio autoconhecimento e praticar o autocuidado é cansativo e, por vezes, doloroso. Mas não desista! Tenha consciência de que esses processos irão levá-lo a uma vida melhor, ainda que você precise sair da sua zona de conforto para isso.

Você também pode gostar

Exercitar o autoconhecimento e o autocuidado é o maior bem que você fará por si. Não tenha medo de se explorar, de se reconhecer e de entender quem você realmente é. Incentive outras pessoas a fazerem esses processos para que você tenha uma companhia na hora de compartilhar todos os seus avanços!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]