Saúde Integral

Entendendo o Lúpus, doença que atinge a cantora Selena Gomez

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Sempre que uma personalidade é diagnosticada com alguma doença rara ou fazem pausas na carreira por conta da enfermidade, temos a oportunidade de adquirir mais conhecimento sobre a causa. É o caso da cantora Selena Gomez, que anunciou recentemente uma pausa em sua carreira por conta do Lúpus.

A cantora, de apenas 24 anos, foi diagnosticada com Lúpus há pouco mais de dois anos, mas apenas agora resolveu parar sua turnê para tratar a questão. Ela teve crises de depressão e ansiedade por conta da doença e declarou precisar de um tempo para cuidar de si mesma.

O Lúpus eritematoso sistêmico (LES), conhecido popularmente apenas como Lúpus é uma doença autoimune que afeta diversos órgãos do corpo humano, sendo os principais a pele, o cérebro, articulações e rins. Existem mais de 80 tipos de doenças autoimune, sendo o Lúpus uma das mais conhecidas. Doenças assim acontecem sem explicação aparente ou conhecida, mas geralmente é de princípio genético, quando o corpo se ataca por engano, causando uma espécie de inflamação generalizada. Alguns cientistas também arriscam que fatores do meio ambiente podem desencadear a doença em pessoas que já tenham a predisposição genética, é o caso de ingestão de alguns medicamentos de uso contínuo.

Os principais sintomas da doença são: fadiga constante, febre sem motivo aparente, dor nas articulações, rigidez, inchaço, dor no peito, dificuldade para respirar, sensibilidade à luz do sol, lesões na pele e o rash cutâneo, a clássica vermelhidão na face em formato de borboleta.

O Lúpus geralmente ataca mulheres entre 15 e 40 anos, e não tem cura, apenas controle com uso de medicamentos. As crises de ansiedade e depressão ocasionadas na cantora Selena Gomez dificilmente são desencadeadas pela própria doença, surgem por conta da decorrência de sintomas e pelo fato de ter que lidar com uma patologia crônica pelo resto da vida. Muitos tratamentos podem causar aumento de peso, além dos sintomas da doença que afetam a pele e a aparência.

Sem cura ainda encontrada, os portadores de Lúpus precisam fazer o controle da doença com anti-inflamatórios, corticoides, protetor solar contínuo e a adoção de uma vida mais saudável com alimentação balanceada, exercícios físicos e acompanhamento constante de médicos. Em casos avançados, os remédios tendem a ter graves e fortes efeitos colaterais, sendo ainda mais necessário cuidado constante.

As redes sociais também podem ser grandes aliadas no tratamento da doença através de grupos e páginas específicas, que trazem dicas e permitem o convívio de pessoas que estão na luta contra a doença. Ter alguém no mesmo barco para remar junto contra a correnteza sempre faz a viagem mais agradável e menos pesarosa. A página “Lúpus Brasil“, por exemplo, tem mais de 12 mil curtidas e posta dicas e relatos periodicamente. O grupo Lúpus – Direito à Vida tem mais de 3500 membros que também buscam informações e trocam relatos sobre a doença.

Fora das redes também existem associações que podem orientar sobre o Lúpus. É o caso da Associação Brasileira Superando o Lúpus, que promove eventos e encontros para a superação da doença. Para mais informações acesse o site da instituição. A sede física da associação fica em São Paulo, no bairro do Tucuruvi. Se você é de outro estado, faça uma busca rápida no Google, diversas associações das mais diferentes cidades serão encontradas. Às vezes, conseguimos apoio muito mais perto do que esperamos.

Se você é portador de Lúpus ou tem alguém próximo que tem a doença precisa ter em mente que buscar informações é de extrema importância. Não se isole em hipótese alguma e busque toda ajuda que julgar necessário. Mantenha-se positivo e siga o tratamento que melhor se adequar a sua realidade e saúde. Lutar é preciso, mas o resultado provavelmente será recompensador!


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]