Comportamento

Filosofia da gratidão

Mulher negra sorrindo em meio a folhas.
Matheus Bertelli / Pexels
Escrito por Luis Lemos

Quando somos gratos, a felicidade bate à nossa porta, entra sem pedir licença e fixa morada na nossa vida.

Quando somos gratos, coisas boas acontecem, realizamos os nossos sonhos e a tristeza não encontra morada em nosso coração.

A gratidão torna a vida mais fluida, alegre e colorida. Não existe tristeza na gratidão, somente amor, alegria e bondade.

A gratidão é uma escola de generosidade. Nela aprendemos que somos capazes de compartilhar o melhor de nós.

A vida humana, quando preenchida pela gratidão, não deixa espaço para a tristeza, para o desânimo, para a inveja e para o rancor.

Tudo se torna belo à nossa volta quando estamos sob a sombra da gratidão. A gratidão é a fórmula da felicidade humana.

Até mesmo os dias mais turvos e os dias mais deficientes de nossas vidas parecem claros para quem é grato.

Quem é grato é paciente, cordial, acolhedor, simpático, receptivo e ético. Quem é grato é feliz, criativo, amigável e realizado.

A gratidão está intimamente ligada à confiança, no bem que se desenvolve em mim e no bem que eu recebo de quem comigo partilha amor.

O amor que permeia a filosofia da gratidão é mantida pela beleza do acolhimento do outro, da diversidade, da empatia e do respeito.

Quando o ser humano valoriza a arte da gratidão, não sofre com a pressão do mundo consumidor contemporâneo.

Quem é grato tem consciência do seu papel da história. Não é alienado. Não fica parado, alheio aos acontecimentos.

Dois homens e uma mulher tirando foto.
William Fortunato / Pexels

A gratidão torna o ser humano sujeito da história, protagonista, não apenas espectador. A filosofia da gratidão não é doutrina, é amor!

Por ser consciente do seu papel social, quem é grato é livre, acolhedor, trabalhador, sonhador e esperançoso.

Quem vive a filosofia da gratidão repete para si mesmo as palavras do grande poeta baiano Raul Seixas:

“Eu é que não me sento \ No trono de um apartamento \ Com a boca escancarada, cheia de dentes \ Esperando a morte chegar”.

Quem é grato sabe que nada do que acontece na sua vida é por acaso, até mesmo as piores tragédias.

A filosofia da gratidão entende que tudo depende da forma como olhamos para a vida, se de forma positiva ou negativa.

A gratidão exclui sentimentos ruins das nossas vidas. Quando somos gratos, alcançamos aquilo que desejamos!

A filosofia da gratidão defende que a nossa vida só tem sentido se for para ser doada. Se for para ser gasta no auxílio ao outro.

Você também pode gostar

Em tudo devemos agradecer ao Senhor da Vida, ao Grande Arquiteto do Universo, a Jeová, a Buda, a Alá, a Jesus Cristo

Gratidão pela vida, pelo trabalho, pela saúde, pelos amigos… E não nos esqueçamos de cantar como o salmista:

“Darei graças ao Senhor por sua justiça; ao nome do Senhor Altíssimo cantarei louvores” — (Salmos 7:17).

Sobre o autor

Luis Lemos

Filósofo, professor universitário e escritor, autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016); Jesus e Ajuricaba na terra das Amazonas - Histórias do universo amazônico (2019).

Email: luisc.lemos@hotmail.com
Instagram: @professorluislemos
Facebook: professorluislemos
Twitter: @luisclsilva
Youtube: Luis Lemos