Nutrição

Fome dos olhos: um novo olhar na hora de se alimentar

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já parou para pensar em como as comidas mais “bonitas” tornam-se apetitosas quando batemos os olhos nelas? Esse é um conceito muito interessante apresentado pela nutricionista Luiza Camargo, que afirma que a “fome dos olhos” pode acontecer mesmo quando estamos totalmente satisfeitos e não precisamos mais de comida no organismo.

Você já se deparou com uma situação na qual já tinha terminado de comer, não tinha mais fome nenhuma, mas ao ver uma sobremesa bem apresentada logo decidiu pegar um pedaço? É assim que a fome dos olhos se comporta, e ela acontece porque o cérebro humano envia uma mensagem ao nosso estômago mostrando que está com fome daquele alimento especialmente apetitoso.

Aquela velha história de “comer com os olhos” é, no final, especialmente verdadeira. Isso porque nossa percepção e observação dos alimentos é importantíssima para abrir o apetite e nos dar mais vontade de consumir determinados alimentos. Esse é um conceito muito conhecido e usado, principalmente pelos publicitários e empresas de comida. As propagandas, imagens e anúncios são desenvolvidos exatamente para atingir a nossa “fome dos olhos” e preparar o estômago do cliente para receber determinado alimento.

Mas não são apenas os marqueteiros que sabem usam a fome dos olhos. Nos restaurantes também é aplicada a mesma lógica. A disposição da mesa, a montagem dos pratos, a decoração de cada aperitivo… Tudo isso é minimamente preparado para que o cliente tenha mais vontade de consumir os alimentos e, também, claro, para que ele saia satisfeito com os pratos servidos durante o serviço.

O problema da fome dos olhos é que este comportamento, muitas vezes, nos leva a agir por impulso e consumir uma quantidade de alimentos bem maior do que precisamos. E a única maneira de minimizar esta situação é tornando mais bonitos e apetitosos os alimentos que você pretende consumir.

Quando você frequenta um restaurante, por exemplo, costuma achar as saladas e pratos mais gostosos do que na sua própria casa? Se a resposta for sim, comece a dar mais valor ao preparo e a apresentação de todos os alimentos que você consumir. A nutricionista Luiza Camargo sugere que todos nós comecemos a reparar em nossas refeições por alguns instantes, percebendo como são as cores formas e texturas. Se o prato não está atrativo, é hora de deixar a criatividade aflorar e começar a adicionar aquele toque especial na decoração e arrumação de todos os alimentos que você pretende consumir.

Portanto, comece a reparar em tudo o que você pretende ingerir. Tenha paciência e atenção na hora de se alimentar e faça a sua parte para matar a “fome dos olhos” não só com os alimentos menos saudáveis. É importantíssimo que você desenvolva hábitos conscientes para lidar com suas fomes e desejos e aprenda a usar a criatividade a seu favor na hora de comer bem!


Texto escrito por Laís Mori da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]