Nutrição

Quantos tipos de fomes nós temos?

Luiza Camargo
Escrito por Luiza Camargo

Parou para pensar em quantas influências temos para comer?

Nos alimentamos por diversos estímulos diferentes, como os sensoriais (visão, olfato, audição, tato e paladar), e também podemos adicionar os pensamentos, as emoções, o estômago e o corpo (células).

Uau! São muitos estímulos e vários se unem para reforçar a fome. Vou dar alguns exemplos…

Já ouviu a expressão “comer com os olhos”?

E, quando entramos em uma cafeteria com o cheiro de café, é difícil de resistir, não é?

Ou quando alguém nos conta o que comeu, já começamos a salivar…

Group of people eating delicious baked pizza

Quando comemos, várias são as influências para as escolhas alimentares. E estar ciente do que causa a escolha pode lhe ajudar a decidir se é isso que você quer ou é um impulso do momento.

Você terminou de almoçar e está satisfeita e tranquila, de repente o garçom chega com o carrinho de doces para você ver. Rapidamente, pede uma sobremesa e nem se dá conta de que seu estômago disse que chega de comida!

O Mindful Eating, Alimentação Consciente, nos auxilia a identificar e perceber essas fomes, pensamentos, emoções e sensações.

Outro ponto a ser considerado são os significados que a comida recebe, como calmante, recompensa, distração, procrastinação, sedução e até punição.

Quantas vezes você já se convenceu de que precisava de um doce, pois havia trabalhado muito (recompensa)? Acabamos comendo rápido e sem nem perceber. Um outro exemplo é quando não queremos fazer uma tarefa e acabamos comendo para procrastinar e enrolar. É a fome da mente lhe atraindo para um prazer momentâneo com a comida.

Quando estamos cientes destes significados, podemos identificar a nossa real necessidade, negociar conosco e decidir o que fazer. Se é uma recompensa por ter trabalhado muito, talvez sair com amigos, dar uma volta com o cachorro, conversar com um amigo, correr no parque, enfim, a atividade que preferir.

Pode escolher comer algo também e usufruir deste momento, notando o sabor, aroma, cor, forma, textura do alimento. Estar presente e ciente do momento é um dos princípios do Mindful Eating.

Vamos praticar?

O Mindful Eating nos ensina a perceber e respeitar nossas fomes e dialogar com elas. Na próxima refeição, note suas fomes (olhos, nariz, ouvido, tato, boca, estômago, células, mente e coração) antes, durante e após a refeição. Perceba quais tiveram maior influência na sua escolha, se todas foram atendidas e como se sente após ter comido.

Boa prática!


Referência:

BAYS, J. C. Mindful Eating. Shambhala, 2009.

Sobre o autor

Luiza Camargo

Luiza Camargo

Sou nutricionista e instrutora de mindfulness e mindful eating. Acredito na união da Nutrição, Mindful Eating, Mindfulness e Meditação. O alimento é um veículo para nutrir o corpo e a mente e, também, um reflexo de como lidamos com nossas vidas. Na minha trajetória sou pós-graduada em Obesidade e Emagrecimento e com especialização em Nutrição Desportiva. Realizei o treinamento em Mindful Eating-Conscious Living pela UCSD e Estratégias de Mindfulness pela MTI.

Contatos:

Site: luizacamargo.com/
Instagram: @luiza_camargo_mendes
Facebook: /luizacamargomendes