Ho'oponopono

Ho’oponopono – Uma parceria com a tolerância- A nova humanidade

Mulher branca com as mãos juntas e olhos fechados.
Amadeo Valar / 123rf
Bruna OM
Escrito por Bruna OM

“Sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato”. Essa filosofia havaiana tem o poder de transformar vidas, e simplesmente se traduz na tolerância, que é a base de todos os conceitos que engloba, dando fundamentos para chegar ao amor incondicional e gratidão infinita, até mesmo sobre situações negativas de sua vida.

Essa sensação é almejada a fim de que sejamos capazes de coexistir com plenitude e inteireza de nosso ser, assim como fomos predestinados, em nossos propósitos aqui na Terra. O Ho’ponopono, com sua prática, nos propõe dissolver aspectos negativos de nossa alma, transmutar em luz os sentimentos trevosos em nós, mas isso tudo vai muito além do teórico, e, na prática, as nossas sensações é que vão contar como prova de tudo isso.

Por fim, a tolerância vem impulsionar a seguinte mensagem: quando temos esse tipo de sentimento ao encarar uma situação colocada em evidência para a prática havaiana, nem que seja por um minuto, avançamos e progredimos. Agora, sentir não significa apenas olhar e aceitar tal situação, a tolerância é muito mais profunda, a ponto de deixar o ego de lado, e, por exemplo, mesmo estando certo em uma situação, pedir perdão, abençoar e agradecer àquela pessoa que se encontra em desequilíbrio.

Não é apenas sorrir com os olhos, e sim com o coração, liberar a emoção de forma que possa sair da roda de karma que nos levou a isso. Quando não aceitamos determinada circunstância negativa em nossa vida, e não levamos a lição sobre aquele fato, a vida vem e nos coloca na mesma cilada para tolerar, a ponto de digerir de forma positiva tudo aquilo, a ponto de abençoar e agradecer tal evento.

Essa liberação emocional nos concede a revolução e a evolução, pois quando alguém ao nosso redor vê tal atitude, isso transforma de alguma forma aquela pessoa também. E a partir daí, as provações começam a fazer sentido em nossas vidas e deixam de ser mero drama. Quando nós elevamos a frequência da tolerância, saímos do combate, da disputa em que fomos impostos, e isso nos torna revolucionários, pelas nossas atitudes contrárias às que a matrix nos impõe.

E cada vez mais reverberando em pessoas, uma pessoa equilibrada em estado de graça, com a ajuda de uma prática terapêutica como essa, equilibra o consciente coletivo a seu redor, atinge o inconsciente coletivo além do que é visto. Muito é fixado no subconsciente das pessoas, e aos poucos vamos quebrando as barreiras que nos impedem de enxergar mais longe.

O véu que nos é colocado e os rótulos atrasam tal tipo de evolução, mas a informação vem para resgatar, assim como várias ferramentas do plano astral também vêm como resgate nesse momento de transição aqui na Terra.

Homem branco com os braços abertos num bosque.
Jackson David / Unsplash

Para situações tanto do presente como do passado, mentalizar e verbalizar “Sinto muito, eu te amo, me perdoe, sou grato” nos potencializa como seres humanos, na palavra humanidade, que vem de princípios angelicais corrompidos aqui na Terra. Que sejamos dignos das promessas de Cristo. Acreditem: somos seres de potencial infinito e não precisamos mais sofrer!

O sofrimento vem muito de um apego a crenças limitantes, como penitências, autopenitências e autossabotagens, para almejar um lugar no Céu. Podemos, sim, dar um salto quântico e transcender todos esses paradigmas que nos aprisionam há séculos!

A nova era é real, o propósito divino é real, estamos deixando para trás um tempo que parecia não ter fim. A humanidade da Terra viveu a noite escura que se mostrava infinita. Ela só sobreviveu à longa agonia porque não tinha a noção do tempo passado, tampouco sabia o que viria no futuro. Nenhuma consciência humana teria suportado a angústia se soubesse quantos milênios e quantas encarnações teria que passar sob tais condições.

Mas o plano divino é perfeito e sabedor de cada detalhe e de cada individualidade. Ele sabia o tempo todo o que cada um estava passando e do que precisava. E, acima de tudo, ele sempre se esmerou em oferecer condições para que cada espírito encarnado pudesse sair vitorioso dessa incrível experiência de alma. O tempo todo, lutamos principalmente pela sobrevivência, pois a Terra foi preparada para ser um mundo de provas e expiações. É um dos planetas em que a vibração predominante é a terceira dimensão e abaixo disso. E agora, entre o fim do ano passado e este ano, finalmente saímos da era Kali Yuga e entramos na era de Aquário, em que naturalmente a frequência se elevou, e estão todos mais sensíveis, a elevar suas emoções, que são a chave para a nossa passagem.

Uma nova humanidade, todos fadados a perdoar, tolerar, aceitar, liberar, amar! Os biólogos descobriram que, dentro das células do tecido da lagarta, existem as chamadas células imaginativas. Elas ressoam em uma frequência diferente. Além disso, elas são tão diferentes de outras células de vermes que o sistema imunológico da lagarta pensa que são inimigos e tenta destruí-las.

Você também pode gostar

Mas novas células imaginativas continuam surgindo, e cada vez mais… De repente, o sistema imunológico da lagarta não consegue destruí-las rápido o suficiente, e elas ficam mais fortes à medida que se conectam para formar a massa crítica, que reconhece sua missão a cumprir: o incrível nascimento de uma borboleta.

Em 1969, Margaret Mead disse: “Nunca devemos duvidar de que um pequeno grupo de cidadãos motivados e determinados pode mudar o mundo. Certamente será assim que, apesar de tudo, nos encontraremos”.

Acredito firmemente, junto com muitos outros, que há uma efervescência evolucionária na estrutura da sociedade atual. Apesar da matrix e sua consciência coletiva, clamor do medo, ganância, consumo transbordante e violência que se expressam nos tecidos da sociedade, existe uma união de homens e mulheres que podemos chamar de células imaginativas, que vão revelando um mundo diferente, uma transformação, uma metamorfose.

O poeta uruguaio Mario Benedetti escreveu: “E se um dia, ao acordarmos, percebemos que somos a maioria? Afirmo que as células imaginativas dominariam e tirariam a borboleta de um mundo de vermes”.

Esta é a hora de acordar. Grupos de células imaginativas estão se congregando por toda a parte, eles estão começando a se reconhecer, saindo da competição e entrando para o significado. Estão desenvolvendo ferramentas organizacionais para aumentar o nível de consciência, assim como o Ho’opononono vem nos trazendo, para que se manifeste a próxima etapa de nossa sociedade humana, para criar uma nova sociedade que, deixando de ser uma lagarta, torna-se uma borboleta.

Uma nova dimensão de vida, uma nova perspectiva, horizonte! Uma sociedade mais compassiva e justa, uma humanidade com raízes de felicidade e compreensão mútua.

Mulher branca sentada num deck.
freestocks / Unsplash

Sejam células entusiastas!

Conectem-se com os outros… e, juntos, vamos todos juntos construir uma Nova Humanidade!

Sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato! Por todas nossas relações, “e quando fizerdes o interior como o exterior, o existir como o interior, o acima como o abaixo, e quando fizerdes do macho e da fêmea uma coisa única, de forma que o macho não seja mais macho, nem a fêmea seja mais fêmea, então entrareis (no reino)” – Tomé.

Sobre o autor

Bruna OM

Bruna OM

Na busca do autoconhecimento e da cura, encontrei em minha jornada pessoal um caminho de coração para o trabalho e a pesquisa do ser humano.

Nunca me identifiquei com a superfície das coisas, portanto esses portais e essas ferramentas encaminhados do astral me propõem a caminhar sob uma perspectiva que realmente faça sentido diante de uma observadora profunda.

Acreditar em energia nos faz expandir nossos horizontes. Sentir e lidar com esse tipo de abordagem nos torna mais reais sob nossas possibilidades e, finalmente, temos a oportunidade eficaz de humildemente nos transformarmos e continuarmos nossa história!

Quando encaramos toda nossa vida e cada ação e pensamento como um trabalho pessoal de evolução, o fluxo se torna mais harmônico, então você encontra a ferramenta terapêutica essencial para o seu processo e, por fim, você caminha em direção à 5D integra e permanente!

Somos convidados a entrar em comunhão com o trabalho coletivo, tratando o nosso pessoal para reverberar na natureza, curando, assim, todos os seres.

Em relação às práticas integrativas, medicina familiar, saúde preventiva, body mind, permacultura e agrofloresta, a técnica que precisa vem com um chamado, vem a cada tempo para as questões com as quais é preciso lidar naquele momento. Você só precisa se abrir.

É com muita gratidão que compartilho neste portal meus insights, com o âmbito de gerar um fluxo de informações holísticas que façam um link com o que vivemos, uma ponte com outros irmãos queridos que também partilham. A energia é muito boa com essa troca.

Fico à disposição de qualquer pessoa que chegar até mim em busca de atendimentos ou para cursos pessoais e coletivos. Sou pesquisadora, ativista verde e quântica, terapeuta corporal, escritora e artista independente manifestando a essência em suas infinitas possibilidades.

Quando lidamos com energia, somos um livro aberto, então não tenho nada a esconder...

Email: [email protected]
Páginas: Casinha na Árvore III
l União Pangeia
Facebook: bruna.sol.7
Instagram: @entrebm