Saúde Integral

Tudo o que você precisa saber sobre o implante contraceptivo

Médico e paciente conversando
archnoi1/ 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Embora a sociedade machista diga que toda mulher nasceu para ser mãe, a realidade é bem diferente disso. Para muitas mulheres, o desejo de exercer a maternidade não existe. Outras, porém, já tiveram os filhos que desejavam e não querem continuar engravidando.

Então os métodos contraceptivos, que previnem a gravidez, podem ser utilizados por mulheres que querem engravidar somente no futuro, por aquelas que já tiveram filhos e ainda pelas que não têm esse desejo.

O implante contraceptivo é uma das opções para as mulheres que não querem engravidar. Ele não protege contra as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis), então deve ser utilizado em conjunto com a camisinha (feminina ou masculina), mas tem uma eficácia de 99% na prevenção da gravidez, então é uma escolha segura para esse propósito. A seguir, saiba mais sobre ele!

Implante anticoncepcional

Médica falando com a sua paciente
Josep Suria/ 123RF

Também chamado de Implanon, Organon ou implante anticoncepcional, esse método que previne a gravidez consiste em um tubo de silicone de três centímetros de diâmetro que libera hormônios na corrente sanguínea da mulher ao ser implantado embaixo da pele do braço dela por um(a) ginecologista.

A liberação de hormônios pelo tubo de silicone é contínua, então as mulheres que tomam pílula anticoncepcional e frequentemente se esquecem de ingerir o remédio encontrarão no implante a solução para esse problema. O dispositivo dura três anos e deve ser recomendado por um(a) profissional da saúde.

Como funciona?

O implante anticoncepcional libera o hormônio progesterona, que impede a ovulação. Sem esse processo, não há possibilidade de ocorrer a fecundação de um óvulo maduro por um espermatozóide. Além disso, o implante torna o muco cervical mais espesso, dificultando a passagem dos espermatozóides até as trompas, onde acontece a fecundação.

Quais são as vantagens?

Mulher com as mãos na barriga usando calcinha
Polina Zimmerman/Pexels

Assim como a pílula anticoncepcional, o implante pode amenizar os sintomas da tensão pré-menstrual, além de ser um método bastante eficaz. Como não há necessidade de ingerir o produto diariamente, também é uma garantia de que a mulher estará prevenida contra a gravidez.

Quais são as desvantagens?

Para algumas mulheres, o excesso de hormônios liberado na corrente sanguínea pode provocar aumento de peso e inchaço. O implante contraceptivo também não pode ser utilizado por mulheres que tenham trombose venosa ativa, tumor ou doença no fígado, sangramento vaginal inexplicável ou que apresentem suspeita de gravidez. É importante realizar acompanhamento médico para verificar os impactos do implante no corpo, com o passar do tempo.

Valor do implante contraceptivo

O implante contraceptivo pode ser encontrado em farmácias por uma faixa de preço que vai de 900 a 2.000 mil reais. Ele não está disponível no Sistema Único de Saúde, então é necessário pagar por ele. Lembre-se de que somente um(a) profissional da saúde pode implantar o dispositivo no corpo da mulher, com anestesia local na pele do braço.

Você também pode gostar

Se você não quer engravidar e não se importa de usar um método contraceptivo hormonal, o implante anticoncepcional é uma ótima opção. Além da longa durabilidade, não há o risco de esquecer de ingerir o remédio. Caso tenha se interessado por essa alternativa, converse com seu/sua ginecologista!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]