Saúde Integral

Mitos sobre o DIU

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O DIU, ou dispositivo intra-uterino, é um dos métodos anticoncepcionais mais eficazes entre os disponíveis atualmente no mercado, mas, mesmo assim, recebe grande resistência das mulheres brasileiras. Talvez por falta de conhecimento ou talvez por algumas informações disseminadas de forma errônea.

Para que você conheça um pouco mais desta opção de controle de natalidade, separamos alguns mitos e verdades sobre o DIU. Confira!

Dois tipos

Basicamente, o DIU é um dispositivo em forma de T inserido pelo ginecologista através do exame vaginal no colo do útero. Pode ser hormonal ou não hormonal e pode ser removido facilmente pelo médico quando necessário. O DIU de cobre é o mais antigo e pode aumentar o fluxo da menstruação na mulher, causando desconfortos e até mais cólica; já o DIU hormonal é mais moderno e deixa a mulher sem menstruar. Os hormônios liberados por este tipo de DIU são em quantidades bem menores do que uma pílula anticoncepcional, o que reduz os efeitos colaterais e o risco de trombose.

Gravidez

Muitos pensam que o DIU pode causar problemas que levem à infertilidade, mas isso não é verdade. Mulheres que nunca tiveram filhos podem usar o dispositivo normalmente e ter uma gravidez normal após a sua retirada.

Segurança

Apesar de ser um dos métodos contra a gravidez mais eficazes atualmente, ele não protege 100%, assim como todos os outros. A versão de cobre deixa um risco de gravidez por volta dos 0,8% e a versão com hormônios de apenas 0,2%.

Eficácia

Uma das grandes vantagens do DIU é que o sucesso do método não depende do bom uso da paciente. Uma vez colocado, não há necessidade de nenhuma lembrança, como a pílula anticoncepcional que deve ser tomada todos os dias no mesmo horário, por exemplo.

Infecções

No passado, o DIU realmente aumentava a chance de infecções, mas hoje em dia, com o avanço da medicina, o risco está praticamente zerado. Estudos mostram que apenas 7 em cada 100 mulheres apresentaram problemas com este método contraceptivo.

DSTs

O DIU protege a mulher apenas de uma gravidez indesejada, mas não oferece nenhum tipo de proteção contra doenças sexualmente transmissíveis, não excluindo o uso da camisinha.

Custos

O custo de um dispositivo intra-uterino pode ser mais caro se levarmos em conta o pagamento de uma só vez, mas, se levarmos em conta que ele dura de 5 até 10 anos e diluirmos o investimento através deste tempo, pode ser um dos meios de contracepção mais baratos.


Escrito por Roberta Lopes da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]