Autoconhecimento Comportamento

Mente elástica. Flexibilidade e criatividade para enfrentar os desafios

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Inteligência não se trata somente de adquirir conhecimento, cultura ou estar numa posição de saber mais que os outros. De nada adianta termos tanto conhecimento se não conseguimos desenvolver nossa inteligência emocional, ter uma mentalidade flexível para encararmos os desafios com resiliência.

Ter uma mentalidade mais flexível não só nos ajuda a lidar mais efetivamente com as adversidades (aprendendo a responder de forma equilibrada quando as coisas não são do jeito que desejamos), como também nos permite acelerar o aprendizado, aperfeiçoando nossos talentos. Essa habilidade se chama mente elástica, ou mente flexível.

A mente elástica é mais um conceito que prova que nosso verdadeiro potencial está intimamente ligado com a nossa capacidade de adaptação e aperfeiçoamento. Tudo está constantemente mudando, e não saber lidar e se encaixar com essas mudanças pode nos tornar ultrapassados.

Um bom exemplo são os novos empregos surgidos em tempos em que a tecnologia vem dominando espaços que antes eram ocupados por seres humanos. Com isso, novas profissões surgem, os empregos do futuro (não por coincidência) estão todos atrelados a essa nova realidade.

Mas isso não se limita ao campo profissional. Não saber como flexibilizar o nosso pensamento pode nos deixar sempre um passo atrás de quem tem essa capacidade, seja nas conquistas profissionais, seja no sucesso do aprendizado, seja na nossa vida pessoal e na forma como nos relacionamos com os outros. E também na nossa própria capacidade de gerar mudanças positivas para a nossa vida e de quem se relaciona conosco.

Imagem de uma mente humana e dentro dela muitas imagens e informações coloridas.
Imagem de Gordon Johnson por Pixabay

Como funciona a mente elástica?

Algumas qualidades definem muito bem uma mente flexível: fácil adaptabilidade, quebra de paradigmas, fuga do óbvio, capacidade de sobreviver às mudanças bruscas dos tempos atuais.

As pessoas com mente elástica reconhecem que as coisas não são sempre como elas querem que seja, sabem lidar com as frustrações e críticas. Tanto que usam essas adversidades como impulso. Sabem ver no fracasso uma oportunidade, um desafio agradável de se encarar.

Quem tem a mente elástica sabe que o status quo não deve ser preservado, pois sabem que não existem garantias para nada. O que hoje temos com certeza, amanhã já pode não ser mais. A incerteza é, para elas, um incentivo.

Imagem da mente humana cheia de palavras escritas.
Imagem de John Hain por Pixabay

E a sua mente? É elástica?

Você já parou para pensar se tem uma mente elástica ou um mindset fixo? Já parou pra pensar sobre como pode melhorar essa questão? Aqui vão algumas dicas.

Fuja do convencional

O convencional é a aparente segurança. É a famosa zona de conforto. Mas as incertezas fazem com que a vida seja um mecanismo mutável. Tudo se transforma o tempo todo. Ficar no comodismo por medo de arriscar pode deixar você um passo atrás.

Seja capaz de inovar

Diante dessa mutabilidade inevitável da vida, destaca-se quem sabe inovar e se “virar nos 30”. Aposte na sua capacidade de criar, na sua intuição. Para isso, é preciso treinar seu olhar para além do óbvio. É necessário enxergar uma oportunidade em tudo.

Imagem da cabeça de um humano bem colorida.
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Abrace o fracasso

O fracasso é o que pavimenta o sucesso. É o processo que nos traz excelência, pois muitas vezes aprendemos melhor com os erros. Se você não sabe lidar com erros, frustrações e fracassos, você fica engessado, perdido no caminho enquanto é atropelado pela vida e ultrapassado pelos outros. O fracasso serve para impulsionar e não para estagnar.

Seja sempre um curioso

Questione tudo e todos ao seu redor. Explore, pesquise. Não perca essa magia do tempo da infância. Pergunte, pesquise, trabalhe a mente, absorva. Quando queremos saber sobre tudo, abrimos várias caixas de novidades. E nos damos a oportunidade de entrar num mundo que ou não conhecemos ou passou despercebido diante do nosso nariz. E ali pode estar uma grande oportunidade – até mesmo de conhecimento.

Seja receptivo ao novo

Não adianta ter medo do novo. Quando você impõe uma barreira entre você e o novo, você perde de todas as formas. Perde oportunidades, perde pessoas, perde aprendizado.

Imagem de um cérebro - inteligência artificial.
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Seja criativo

Alie curiosidade e receptividade ao novo. Seja criativo, inove, ouse. Faça um brainstorming (uma tempestade de ideias). Resolva problemas de forma criativa, transforme as barreiras em fronteiras que podem e devem ser atravessadas. Você verá que o “lado de lá” reserva um mundo de possibilidades.

Você também pode gostar

Treine sua mente. Seja perspicaz, não tenha medo de encarar. Desenvolva a flexibilidade cognitiva – ou seja, a habilidade que nosso cérebro tem de fazer novas conexões. Em outras palavras, a propriedade de nos fazer “pensar fora da caixa”, permitindo-nos viver novas experiências.

Quem não exercita a flexibilidade cognitiva torna-se uma pessoa estática, limitada, improdutiva e com pouca tolerância. Não se deixe limitar pelo comodismo. Sua mente é seu guia, e você vai se surpreender com a força que ela tem!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]