Convivendo

Natal: tempo de celebração da vida

Mulher e homem brancos beijando bochecha de criança.
Elina Fairytale / Pexels
Escrito por Luis Lemos

Não existe Natal sem alegria, sem festa. Natal é tempo de confraternização, de mesa farta, de paz. Tempo para celebrar a vida. Tempo dedicado ao que realmente importa: o ser humano e a espiritualidade.

Natal é tempo de praticar caridade, distribuir sopa, cesta básica, dar e receber presentes. É um tempo em que o humanismo cristão aflora com força total nas pessoas; um tempo de alegria, de união e de esperança.

Mas infelizmente nem todos pensam assim. O ser humano, pelo estilo de vida que leva, parece irremediavelmente contaminado pelo egoísmo. Todos querem alcançar o sucesso e a felicidade, o mais rapidamente possível. No entanto poucos são aqueles que se preocupam em alcançar tudo isso por méritos próprios.

As pessoas parecem esquecer do maior mandamento da lei Deus: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças e o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes” (Marcos 12:30-31).

Digo em alto e bom som: não basta chegar ao topo pisando nos outros, usando meios ilícitos. O verdadeiro sucesso, o sucesso duradouro, só se conquista pela ética. O mal e a corrupção nunca terão a última palavra. A última palavra quem tem é sempre Deus. Deus é bom o tempo todo e Ele mostra sempre o caminho da verdade. Basta crer Nele.

Árvore de natal.
Gary Spears / Pexels

Natal é também um período de “revisão” da nossa vida. Período propício para rever o que foi feito de certo ou de errado e de pedir perdão, se necessário, para as pessoas que foram machucadas. O perdão é um gesto essencialmente divino, uma característica típica do humanismo cristão.

Sobre o perdão, diz Jesus: “E, quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial perdoe os seus pecados. Mas se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está nos céus não perdoará os seus pecados” (Marcos 11: 25).

Natal é um período de renovar a esperança, os laços de fraternidade, o amor, a amizade, a confiança nas pessoas. Naturalmente que o maior acontecimento do Natal é o nascimento do Menino Jesus. No entanto somos convidados a nascer todos os dias, a nos tornamos crianças, para que possamos entrar no reino de Deus.

A esse respeito, disse Jesus: “Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus” (Mateus 18:13).

Você também pode gostar

Natal é também um período de compras, por que não? Um tempo de comprar roupa nova, roupa para sair, roupa para dormir, roupa íntima, roupa para as festas, para as celebrações. Um tempo de comer lentilha, panetone, romã, fazer pedidos, pular ondas…

Por fim, Natal é tempo de alegria, de renovar as esperanças para o ano novo que se inicia, de aumentar os laços de fraternidade, de amor sincero a si mesmo e ao próximo. E viva Aquele que torna tudo isso possível, O Menino Jesus, Nosso Senhor Jesus Cristo!

Sobre o autor

Luis Lemos

Filósofo, professor universitário e escritor, autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016); Jesus e Ajuricaba na terra das Amazonas - Histórias do universo amazônico (2019).

Email: luisc.lemos@hotmail.com
Instagram: @professorluislemos
Facebook: professorluislemos
Twitter: @luisclsilva
Youtube: Luis Lemos