Autoconhecimento

Por um mundo sem diferença de gêneros

Mulher escrevendo em um caderno em um escritório
Marcus Aurelius/Pexels
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você com certeza já deve ter visto muitas pessoas lutando pela igualdade de gênero ou, quem sabe, conhece movimentos ou até mesmo termos como “feminismo”, certo? Por mais que esses sejam assuntos muito falados, poucas pessoas dão a importância de que eles carecem.

Desde a infância, nós lidamos com questões de desigualdade de gênero e crescemos com expectativas que a sociedade impõe em cada um. A nossa personalidade é formada a partir de certas predileções, tarefas e qualquer ação baseada socialmente como “coisa de menina” ou “coisa de menino” – isso inclui até cores que são tidas como definidoras de gênero: o azul e o rosa.

Crescemos achando que meninas não podem jogar futebol e que meninos não podem dançar balé. Que homens não choram, que mulheres são mais frágeis e devem apenas brincar de bonecas e se comportar como “mocinhas”. Mas, na verdade, essas diferenciações não são normais, muito menos naturais. Elas foram construídas no decorrer da história da humanidade, com base em padrões totalmente normativos do que consiste “ser” de cada gênero.

Com todas essas imposições que recebemos desde a infância sobe o que um menino e uma menina devem fazer, acabamos criando um pré-julgamento e um padrão incoerente com o que representa ser humano. As pessoas acabaram diferenciando os gêneros em âmbito social, atribuindo a cada um características específicas e valorizando muito mais aquelas consideradas masculinas. Sendo assim, quando há qualquer tipo de atribuição a um indivíduo por conta de uma questão pessoal – e neste caso, estamos falando do gênero –, cria-se automaticamente a desigualdade.

Continue lendo este artigo e aprofunde-se na importância da igualdade de gênero! Entenda os malefícios que a desigualdade traz à sociedade e conheça os benefícios de um mundo sem diferenças de gênero!

Diferença de gênero na sociedade

A diferenciação de gênero está presente na sociedade há muito tempo, desde a Antiguidade, em que as mulheres eram vistas e tidas apenas como mães com deveres e afazeres domésticos. Por muito tempo, a mulher não teve direito ao voto, a trabalho digno e ao principal: o uso da própria voz. Mas infelizmente sabemos que o cenário mundial atualmente ainda não proporciona igualdade de gênero.

Mulheres ainda são vistas como frágeis, não têm o seu trabalho valorizado, não são reconhecidas como deveriam em suas profissões e sofrem diversos tipos de abuso – simplesmente por serem mulheres. Mesmo com fortes movimentos, como o feminismo, a mulher ainda não é tratada da mesma forma que os homens. A masculinidade é vangloriada na sociedade, o que acaba também excluindo homens que não se encaixam no padrão de homem imposto socialmente, principalmente os não heterossexuais.

Dois homens sentados no chão suando roupas sociais coloridas um olhando para o outro
Anna Shvets/Pexels

Como você já sabe, existe praticamente um padrão que dita o que uma mulher e um homem devem fazer. Como devem andar, agir, o que devem escolher e até mesmo que profissão é propícia para cada um. Mas tenha calma… Todos nós somos seres humanos, não é mesmo? Por que ainda existe essa diferenciação que gira em torno do gênero, que determina o que cada um pode ou não pode ser ou fazer? Por mais que muitos digam que há o livre-arbítrio para todos, como uma mulher pode realizar seus sonhos profissionais se o salário dos homens é maior do que o delas, mesmo que ocupem o mesmo cargo?

A verdade é que, pelo fato de crescermos com todas essas imposições, essa diferenciação parece ser algo natural, mas não é! É preciso desconstruir essa ideia, que aprendemos desde pequenos, para que possamos viver em uma sociedade justa, não limitada pelo gênero e também para que mulheres consigam acessar as mesmas oportunidades que os homens acessam. Por mais que o feminismo venha ganhando força com o empoderamento feminino, as mulheres ainda são taxadas de loucas ou até de “sem ter o que fazer” quando, na realidade, estão simplesmente em busca de serus direitos básicos em sociedade.

Os problemas da desigualdade de gênero

Além de diminuir as mulheres como pessoas em sociedade, a desigualdade de gênero limita todas elas em áreas extremamente comuns da vida. Veja alguns exemplos em que essa questão social afeta não só as mulheres, mas qualquer ser humano no seu simples poder de escolha:

– Mulheres não ganham os mesmos salários que os homens, mas têm “passe livre” para entrar em baladas e festas. O motivo de entrada gratuita ao público feminino? Tratar a mulher como um produto para atrair os homens pagantes, como se fossem mercadoria!

Mulher sentadas no sofá uma o lado da outra
RF._.studio/Pexels

– Há marcas comerciais que criam linhas distintas de determinados produtos destinando-as apenas para homens ou exclusivamente para mulheres, inibindo, assim, que o consumidor faça a sua escolha simplesmente considerando o produto que mais lhe agradar. Sabe a palavra “unissex”? Ela é um ótimo exemplo de igualdade de gênero!

– As pessoas acreditam que somente mulheres podem usar maquiagem, pois é isso que as propagandas costumam mostrar: mulheres extremamente maquiadas que precisam cuidar da pele. Mas e os homens? Com essa ideia imposta, cria-se a ilusão de que um homem não pode cuidar da sua pele ou não pode fazer qualquer mudança estética, pois, se os fizer, será ridicularizado;

– Muitas lojas são divididas por departamentos masculino e feminino, o que pode constranger mulheres que gostam de peças masculinas ou homens que gostam de roupas femininas;

– A desigualdade de gênero alimenta a dependência: homens aprendem desde criança que afazeres domésticos devem ser tarefas apenas de mulheres, que, por sua vez, crescem aprendendo que devem ser boas mães e que não são boas motoristas.

Você também pode gostar

– A imagem de que a mulher é frágil impossibilita o universo feminino de conquistar sonhos, empregos e espaço em faculdades, tendo, inclusive, suas opiniões totalmente descartadas;

– A violência contra a mulher é um problema originado nesse tipo de desigualdade. Muitos homens se sentem donos de suas parceiras ou suas filhas, limitando a vida dessas mulheres e agredindo-as quando “algo não sai como o planejado” ou quando elas não agem conforme a vontade deles.

– A falta da igualdade de gênero cria rótulos que simplesmente limitam o ir e vir de seres humanos que deveriam viver em liberdade.

Como seria um mundo com igualdade de gênero?

Ah, se a sociedade tratasse homens e mulheres da mesma forma, o mundo seria completamente diferente! O medo e o desânimo que as mulheres enfrentam diariamente em suas rotinas seria reduzido 100% em questões que as desvalorizam por simplesmente serem mulheres. Ambos os gêneros teriam acesso às mesmas oportunidades, teriam a mesma chance de opinar, não haveria diferenciação de valores salariais, muito menos rótulos que impedem qualquer pessoa de viver da forma que deseja.

Mulheres na mesa do escritório sorrindo ao lado de homens
fauxels/Pexels

Se todas as crianças crescessem sabendo que podem usar a cor que quiserem, que meninos podem brincar de boneca e que meninas podem brincar de carrinho, elas não se sentiriam oprimidas e são se retrairiam diante de simples questões que foram transformadas em problemas. O valor de cada pessoa não estaria no seu sexo biológico, mas sim na sua essência.

Se a igualdade de gênero realmente existisse, nenhuma pessoa se sentiria mal por usar uma roupa que é tida como exclusiva para o sexo oposto nem, de forma alguma, seria ridicularizada por um simples gosto ou preferência pessoal. As mulheres usariam o feminismo para ressaltar a importância e a força que a mulher tem, para enfatizar a luta histórica feminina pelos seus direitos, pois não seria mais necessário lutar pelo básico, pela vida, pelo valor, pela voz e pela importância. Se houvesse igualdade de gênero no mundo, não haveria mulheres sendo agredidas por gostarem de roupas curtas e elas não escutariam mais frases como “lavar a louça é coisa de mulher”.

Você já imaginou que perfeito seria o mundo se todos nós fôssemos tratados como seres humanos? Você já parou para pensar que nós somos seres humanos? O que diferencia um homem de uma mulher em sociedade deve ser o caráter de cada um, não o seu gênero. Lute diariamente pela igualdade de gênero e apoie causas como o feminismo para que os direitos iguais façam parte da nossa sociedade! O mundo é para todos, assim como a liberdade.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]