Doutrina Espírita Espiritualidade

Praga de mãe pega?

Quem de nós já não escutou aquelas frases bem características de mãe? Alguns exemplos:

  • Pega o casaco, meu filho, vai se resfriar – Você sai, deixa o casaco e volta gripado.
  • Não vá a tal lugar que é perigoso – Você ignora, vai, e se machuca.

Bem, quando analisamos isto na visão espírita, chegamos à conclusão que aqueles que nos amam interferem sempre em nossas vidas.

Nos casos acima, são intuições positivas de auxílio que muitos pais têm para proteção de seus filhos, resta serem ou não atendidos.

Em contrapartida, temos também a influência da força das palavras emitidas. Elas ecoam como mantras e, muitas vezes, podem não ser positivas.

Como já sabemos, palavras e pensamentos são energias vivas. Portanto, quando dizemos a uma criança “você é chorona”, repetidas vezes, estaremos enviando energia para que ela chore ainda mais e, ao mesmo tempo, estamos informando aos nossos inimigos espirituais que o choro nos incomoda.

Logo estes inimigos farão o possível para irritar a criança, para que continue chorando e levando o desequilíbrio do ambiente.

Mom with her pre teen daugher using togetherO mesmo se dá quando dizemos que a criança é surda por não responder ao nosso chamado. Com o tempo, ela poderá deixar de ouvir realmente ou simplesmente não querer mais ouvir. Chamá-las de burras, lentas, e outros termos negativos, pode provocar danos imensuráveis na vida adulta.

A ciência já analisa esta questão profundamente através da neurolinguística, aplicada hoje principalmente no desenvolvimento profissional.

Portanto, praga de mãe (ou pai) pega sim!

Somos responsáveis por tudo que dizemos e/ou pensamos. Somos co-criadores de formas e pensamentos atuantes em nossas vidas e, principalmente, na vida destes pequenos, que de nós dependem para sua evolução.

Temos a obrigação de prepará-los para o futuro, sem condená-los a estagnação.

Somos aquilo que pensamos e interferimos no meio em que vivemos pelas energias que vibramos.

As palavras são energia viva em nossas vidas.

Adquira o equilíbrio:

  • Ame antes de pensar
  • Pense antes de falar
  • Fale antes de gritar

Acaricie sempre que puder o ente amado, diga o quanto é importante em sua vida. Não tenha medo de amar. O amor é a maior força que existe para o equilíbrio espiritual.

SOMOS AQUILO QUE PENSAMOS.

Sobre o autor

Ivone Navas Munoz e Marcia Rubinatti

Ivone Navas Munoz e Marcia Rubinatti

Ivone Navas Munoz e Marcia Rubinatti são espíritas desde 1980 e 1988, respectivamente. Além de participarem ativamente da Doutrina, lecionam juntas há mais de 17 anos o Curso de Educação Mediúnica, primeiramente no Grupo Espírita Irmã Clara e atualmente no Grupo Espírita Irmã Diva, em São Caetano do Sul. Ambas fizeram seus cursos de formação através da Federação Espírita de São Paulo.

E-mail Marcia: [email protected]
E-mail Ivone: [email protected]