Nutrição Vegetarianismo

Proteína para veganos: O poder do arroz

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O consumo de suplementos alimentares é crescente e cada vez mais comum. Mas o que são os suplementos e para que servem? Dedicados principalmente àqueles que praticam atividade física intensa, os suplementos alimentares são fonte complementar de nutrientes para o corpo que foi submetido a um gasto energético excessivo.

O suplemento mais comum entre praticantes de atividade física é o Whey Protein, produto consumido em forma de “shake”, normalmente no período pós-treino, com a função de fornecer altos níveis de proteína para a recuperação do músculo desgastado durante o exercício.

Originalmente extraída do soro do leite, esta proteína é vendida em pó em diversas versões e sabores. Entretanto, é um nutriente de origem animal, sendo recusado por pessoas que optam pelo estilo de vida vegano (aquele que não consome nenhum produto, seja alimentício ou não, que inclua animais em seu processo de teste ou que provenha deles).

Qual a opção?

Existe uma alternativa para o consumo de suplemento proteico no caso dos veganos, ou até mesmo dos celíacos (pessoas com tolerância a glúten – presente no leite e em seu soro) e tolerantes à lactose. A opção está na proteína do arroz.

shutterstock_243210100

Poucos sabem que a proteína extraída do arroz é tão eficiente quanto o Whey Protein do leite. A quantidade de aminoácidos, principalmente a leucina, presente no arroz, é rica fonte proteica com efeitos semelhantes dos aminoácidos do leite. Outra vantagem é quanto preço. Proteína de fácil extração, tem preço reduzido no mercado.

Veganos devem suprir sua alimentação com outras fontes de proteína. Boas alternativas são verduras escuras como brócolis, espinafre e couve-manteiga; castanhas como pistache e castanha de caju; grãos como lentilha e grão de bico; além de cerais como aveia e quinoa.

A soja também é rica em proteína e muito consumida por este grupo de pessoas. Existem suplementos compostos de proteína isolada de soja, uma utra-alternativa.

Nutricionistas esportivos e treinadores físicos recomendam, para aqueles que não têm nenhuma restrição, os suplementos que misturam algumas fontes de proteína. Ou seja, a cada dose consumida são ingeridos diferentes aminoácidos que compõe as moléculas proteicas e seu corpo exerce absorções diferentes e complementares.

Vale testar algumas marcas e tipos de suplemento a fim de perceber os resultados em seu próprio corpo. Uma orientação nutricional é indispensável para que se possa adaptar as quantidades e fontes certas de proteína com o objetivo de atingir o resultado desejado.


  • Escrito por Julia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]