Convivendo

Qual é a experiência de morar em uma casa compartilhada?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Nem sempre é possível pagar aluguel ou comprar uma casa. Em tempos de crise, onde subiu o preço de tudo praticamente, encontrar formas alternativas de morar acaba sendo uma boa solução, e a casa compartilhada é uma delas. Os benefícios não são apenas financeiros, são também pessoais, pois é uma experiência marcante para quem passa por ela.

A prevalência de um gasto consciente, de acordo com especialistas, vai tornar a experiência de morar em uma casa compartilhada mais comum. Já é possível conhecer pensões onde várias pessoas moram, dividem gastos e quartos. Na casa compartilhada, os valores são semelhantes, mas a ideia de morar é mais viva no sentido de um lar. Além disso, não trata-se apenas de um período, o que costuma acontecer em pensões.

Casa compartilhada: intenção de morar

Como ocorre em pensões, onde a maior parte está morando por opção, na casa compartilhada há uma intenção em viver esta experiência, de trocar ideias e de buscar pela liberdade convivendo com um conjunto de pessoas. É uma escolha que acaba refletindo no modo de viver deste indivíduo.

Há quantas casas enormes onde apenas dois moradores habitam e não trocam experiências? Este conceito é até difícil de ser imaginado para uma sociedade que foi criada de forma individualista e não quer dividir as suas coisas.

Desta forma, a casa compartilhada vem mostrar que, além das pessoas trabalharem em um mesmo local, elas podem dividir a rotina. Chega a ser difícil imaginar essa situação com você, não é mesmo? Nossos padrões de costume explicam esse comportamento individualista.

Compartilhar: existe bem mais bonito que este?

“A prevalência de um gasto consciente, de acordo com especialistas, vai tornar a experiência de morar em uma casa compartilhada mais comum”

Se para você isso ainda não faz sentido, saiba que existem muitas pessoas tendo essa experiência. Dividir espaços, afetos, memórias, discussões são um grande aprendizado. Nem todo mundo tem esta aptidão de dividir, mas que é um aprendizado, isto é.

Se você ainda não teve esta experiência, comece compartilhando pequenas coisas com amigos ou colegas. Este sempre é um bom começo. As pessoas que tiveram a experiência de morar em uma casa compartilhada só têm a agradecer.

Muitos afirmam que não é fácil pelo fato de crescermos achando que cada coisa é nossa, por aquele sentimento de posse, de trabalhar muito para ter algo só nosso. Na casa compartilhada, onde as pessoas moram por intenção, são trocadas experiências que se voltam para uma sociedade que está para nascer, muito menos consumista, egoísta e vaidosa.

A casa compartilhada mostra um lugar onde todos têm espaço e podem ser felizes compartilhando coisas e momentos. Não é o máximo?


Texto escrito por Angélica Fabiane Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]