Convivendo

Roda Gigante: Financiamento coletivo ajuda a arrecadar cadeiras de rodas

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
O financiamento coletivo tem sido adotado por várias entidades para conseguir realizar algum projeto. E dessa vez a causa não é diferente. É que o Instituto Mara Gabrilli uniu-se à Editora Caras para lançar a campanha Roda Gigante que está disponível na plataforma Kickante. (Clique aqui). Esse projeto é voltado para conseguir arrecadar cadeiras de rodas para as milhares de pessoas que estão na fila de espera para cadeiras de rodas para pessoas com deficiência. Se você tem interesse em ajudar, clique no link. Há diversas formas de contribuir e restam poucos dias para você contribuir com a campanha. E para saber mais sobre esse importante projeto, conversamos com o Instituto Mara Gabrilli sobre essa campanha. Leia a entrevista:

roda-gigante-4

Eu sem Fronteiras: Como surgiu a ideia de o Instituto Mara Gabrilli fazer uma parceria com a revista Vida Simples para realizar o financiamento coletivo?

Instituto Mara Gabrilli: Há muito tempo a Mara nutria a vontade de realizar alguma ação que envolvesse a doação de cadeira de rodas, uma das maiores demandas do brasileiro com deficiência.

Mas, foi em uma visita ao médium João de Deus, na cidade de Abadiânia, que a ideia da campanha Cadeira de Rodas surgiu. Lá, ela foi apresentada ao diretor da Caras, Luís Maluf, que já conhecia a Kickante e também queria fazer alguma ação social utilizando a plataforma de arrecadação coletiva. Sob o intermédio do médium, eles uniram a vontade de ambos para pensar na campanha.

Eu sem Fronteiras: Confesso que os dados e números de pessoas que necessitam de cadeiras de rodas me impressionou. Esse número também deve impressionar grande parte da sociedade que não tem consciência da deficiência e das necessidades específicas de cada pessoa. Como o instituto está atuando neste sentido?

Instituto Mara Gabrilli: Levamos informação do que existe (recursos assistivos, cultura, lazer, educação, saúde, trabalho) para atender as necessidades especificas de cada deficiência, por meio de mutirões (http://img.org.br/projeto/cade-voce/), redes sociais, campanhas, parcerias, etc.

infografico_rg
Eu sem Fronteiras: Vocês estão solicitando R$ 300.000,00 e até o momento conseguiram mais de 22 mil. Quando terminada a campanha, vocês pretendem novamente retornar com o financiamento coletivo?

Instituto Mara Gabrilli: Sim! No terceiro setor é essencial se trabalhar com fontes de recursos diversificadas para garantir a sustentabilidade dos projetos. O financiamento coletivo é um meio que possibilita arrecadação financeira de forma simples e transparente tanto para quem precisa do recurso para transformar uma realidade quanto para quem doa (seja como pessoa física ou como pessoa jurídica). Além disso, engaja doadores às causas.

info02_0

info01

Eu sem Fronteiras: O que acharam da ajuda/financiamento das pessoas com a colaboração até o momento? Surpreendeu vocês?

Instituto Mara Gabrilli: Toda doação feita de certa forma nos surpreende porque são pessoas que se identificam com a causa e estão dispostas a contribuir para um mundo melhor.

Eu sem Fronteiras: Deixe uma mensagem se quiser!

Precisamos tornar essa realidade conhecida em todas as esferas (governo, empresas e sociedade civil) e ser protagonistas na mudança do que precisa ser mudado.


Entrevista concedida a Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]