Autoconhecimento Psicologia

Um pouco sobre Transtorno Dismórfico Corporal (TDC)

Eclecia Rodrigues
Escrito por Eclecia Rodrigues

“Busco em mim o que é perfeito aos meus olhos
O que é perfeito para o outro, desmereço
E dos pequenos defeitos são grandes desastres
Não me canso de olhar no espelho e ver tudo distorcido
Não me canso de pensar e pensar em acertar tudo!
São dias e dias…
Nesse vício, nessa obsessão,
Me fez perder os amores
Perder meu mundo
Embaraçou-me de vez…
Até descobrir que tenho Transtorno Dismórfico.”

– Eclecia Rodrigues.

É certo estarmos de bem com a nossa própria imagem, mas às vezes não gostamos dela ou de algumas partes do nosso corpo. Ficamos insatisfeitos e preocupados com os nossos defeitos, no qual damos um jeito de disfarçar ou de solucionar o que nos incomoda tanto, até que em último caso recorremos à cirurgia. É normal ficarmos preocupados com o nosso corpo, mas o problema para quem tem o Transtorno Dismórfico Corporal (TDC) é quando essas preocupações com os defeitos se tornam excessivas e obsessivas, criando ilusões de defeitos que acredita ter ou quando tem, mesmo que seja mínimo, é encarado como um grande problema.

Preocupações com os defeitos se tornam excessivas e obsessivas.

De início, começa pela crença de feiura: A pessoa sempre vai se achar feia ou sentir-se desfigurada, ela sempre estará procurando e pensando naqueles defeitos existentes ou inexistentes, checam-se várias vezes diante do espelho, tendem a se preocupar com o que as pessoas vão falar de sua aparência. Sempre irão procurar formas de solucionar de vez os defeitos. No entanto, estas preocupações podem causar estresse e ansiedade dificultando o seu dia a dia, prejudicando seu relacionamento social, profissional, familiar, com si mesmo e principalmente a qualidade de vida.

Outro ponto é a “camuflagem”. Para ameninar o sofrimento, são inúmeras estratégias, e uma delas é se “camuflar”, que concerne em esconder os defeitos para que não sejam vistos por outras pessoas. Usam produtos, referente à saúde em excesso ou relacionados à beleza, mudam constantemente o visual, passam por várias cirurgias plásticas, as práticas dos exercícios são exageradas, e assim, variáveis formas de “comportamentos ilimitados” e que dependendo de alguns casos podem tornar patológicos, como a manipulação da pele ou dos cabelos. A maioria dos casos tem ligações com outros tipos de transtornos – “comorbidade”, os mais frequentes são os transtornos alimentares, de humor e de personalidade. Assim, a gravidade do TDC pode variar dependendo da vida da pessoa. Em casos mais graves, além da pessoa ficar mais agressiva, pode ocorrer o risco de suicídio.

Transtorno Dismórfico Corporal

O TDC é mais comum na adolescência, mas em alguns casos podem acontecer após a menopausa. Alguns estudos indicam que são as mulheres que mais sofrem do TDC do que os homens e a origem da causa pode ser relacionada com fatores genéticos ou psicológicos. Mas o que tem de padrões neste mundo que induzem várias pessoas a se renderem para a perfeição, sujeitando-se à beleza surreal, pode ser um risco muito grande e ao mesmo tempo reforçador para desenvolver e agravar o TDC.

Ultimamente o TDC está sendo mais percebido pelos profissionais no âmbito da saúde, mas ainda existem dificuldades em diagnosticar o TDC e, por outro lado, existem aqueles pacientes que se privam em revelar seus sintomas. Precisamos falar mais sobre este tema! Existem muitas pessoas por aí que têm TDC, mas nem sequer ouviram falar sobre o assunto. Caso você ou algum conhecido apresente um comportamento condizente ao Transtorno Dismórfico Corporal, é importante buscar um tratamento médico e psicoterápico para que o transtorno não tenha um rumo desagradável.

Citarei algumas perguntas que facilitará de início identificar o TDC:

– Você pensa várias vezes a respeito dos defeitos e de sua aparência? 

– Você se incomoda muito com sua aparência? 

– Você se olha várias vezes no espelho procurando pelos defeitos? 

– Você já deixou de ir em um evento muito importante por conta de sua aparência? 

– Você usa em excesso produtos de beleza para ocultar os defeitos? 

– Você se preocupa com o que as pessoas possam falam de sua aparência? 

– Você sofre com algum tipo de transtorno alimentar?

Este texto é referente ao artigo: “Transtorno dismórfico corporal em dermatologia: diagnóstico, epidemiologia e aspectos clínicos”. Escrito pela autora Luciana Archetti Conrado. Disponibilizo o link caso queira se aprofundar mais sobre o TDC.

Sobre o autor

Eclecia Rodrigues

Eclecia Rodrigues

Sou psicóloga, poeta e apaixonada pelo Existencialismo.

Sou movida pelos encantos que a vida oferece e além de ter muita fé, a arte e a filosofia sempre me atraem. Formada em psicologia, posso dizer que ela é o marco da minha vida. Através do meu aprendizado e experiências, vou tecendo meu mundo daquilo que eu acredito e no que me faz feliz. Assim, o que eu tenho de melhor é o que eu tenho de oferecer! Oferecer caminhos que proporciona mudanças e renovações para aquele que se permite mudar! Acreditando no possível, no melhor que podemos ser!

Contatos:

E-mail: [email protected]
Site: reflexao.wordpress.com
Facebook: Eclecia Rodrigues