Autoconhecimento Comportamento

Uma segunda opinião pode salvar vidas!

Mulher recebendo diagnóstico de médica

Tempos atrás, tive uma doença respiratória relativamente grave. E por mais que fosse regularmente ao médico, praticasse caminhada, aparentemente tivesse uma boa alimentação, não passei ilesa por esse problema. Na época, eu morava no Rio de Janeiro e tinha uma vida mais saudável que hoje, se fosse comparar. Andava no sol, ia à praia, caminhava, me divertia com mais frequência, pois não tinha muitas obrigações, era solteira e sem filhos.

Porém algo começou a me incomodar, uma tosse forte e constante, que já persistia há semanas. Foi quando comecei a minha jornada aos consultórios médicos para saber o que eu tinha. O primeiro apenas receitou um antigripal e mel spray para garganta. Óbvio que não adiantou nada. O segundo e terceiros disseram que podia ser bronquite, pois já tive crises quando criança. Tomei xaropes expectorantes e a tosse persistia e piorava. Comecei a emagrecer mais e fui ao quarto consultório.

Médico explicando raio-x para paciente

Para resumir, somente na quinta tentativa, numa clínica perto de casa que atendia meu convênio, onde fui atendida por um médico mais velho e por sinal dono da clínica, foi que tive o diagnóstico correto: tuberculose! O mais impressionante é que mal comecei a relatar os sintomas e ele logo pediu um raio x do pulmão, algo que nenhum dos outros haviam solicitado, e finalmente me encaminhou para o tratamento correto na rede pública onde estavam ocorrendo surtos dessa doença e o tratamento, geralmente caríssimo, era oferecido gratuitamente. Fiz o tratamento por seis meses e fiquei super bem depois.

Nesse caso, foi necessária não apenas uma segunda opinião médica, mas várias. E temos visto constantemente os inúmeros casos onde tratamentos são ineficazes, diagnósticos equivocados e é muito importante continuar persistindo até encontrar uma solução para o problema.

Vejo que não só no que diz respeito à saúde, mas até em outras áreas de nossas vidas, é sempre bom avaliar algumas coisas e ter pessoas valiosas e amigas que nos façam ponderar sobre as consequências de algumas decisões. Separar ou insistir mais uma vez num relacionamento, mudar de trabalho ou rever alguma atitude nossa dentro daquilo que já desempenhamos se não vemos evolução, continuar uma dieta rigorosa ou procurar mais equilíbrio de vida. Consultar especialistas também é muito válido e interessante. Para cuidar de uma depressão, problemas hormonais, advogados em alguma questão jurídica. E, se sentimos que não está havendo progressos, devemos e podemos buscar outras opiniões profissionais. Pois, existem muitas “escolas de pensamento e ação” diferentes pelo mundo e não somos detentores de todo o saber. Às vezes, uma nova perspectiva pode ser a solução de um problema que já te acompanha há tempos.


Você pode se interessar por outro artigo da mesma autora. Acesse: Um bom relacionamento também trará dores

Sobre o autor

Daniela Duarte da Silva

Daniela Duarte da Silva

Jornalista pós-graduada em marketing, auxiliar de enfermagem e corretora de planos de saúde.

Contatos
Email: [email protected]
Site: fazendomidiaalternativa.blogspot.com
Youtube: doolandia