Nutrição Veganismo Vegetarianismo

Veganos e vegetarianos também sacrificam a natureza

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras



A preocupação com o bem-estar animal faz muitas pessoas não comerem carne, mas será que mesmo em menor grau, os vegetarianos e veganos também sacrificam a natureza? Leia mais sobre a polêmica aqui.

O ex-vegetariano da discórdia

Para Claudio Bertonatti, sim. O museólogo, docente da Escola Argentina de Naturalista e da Universidade do Museu Social Argentino e Conselheiro da Fundação Ambiente e Recursos Naturais (FARN) foi vegetariano até a adolescência. Ele acreditava que sua escolha preservaria a vida natural, porém, mudou de ideia. Ao estudar a natureza, principalmente a vida selvagem, Bertonatti viu que havia poucos pássaros nas áreas agrícolas.

Ele explica ainda que a criação de gado e o desmatamento para o cultivo matam várias espécies. Cita um caso na Argentina, onde uma floresta foi incendiada, ninhos dizimados por lança-chamas e também a utilização de grãos envenenados para aumentar o extermínio de pássaros.

Outro exemplo usado para justificar sua opinião é a cultura da soja. Ele argumenta que o grão é servido para os gados de corte, que por sua vez são submetidos a uma morte cruel para servirem de alimento.

Bertonatti não é contra os vegetarianos e veganos, tampouco espera que eles passem a comer carne. Em sua opinião, o consumo e o abate devem ser repensados. Outra posição polêmica é considerar alguns vegetarianos e veganos violentos, por não aceitarem seu posicionamento.

A resposta dos vegetarianos e veganos

Pedro Heringer refutou as declarações de Claudio Bertonatti no site ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais). O texto reúne trechos considerados controversos. Heringer começa defendendo que o título não condiz com a realidade, pois o veganismo é a “oposição moral a atividades humanas que implicam na exploração animal”.

As observações pessoais de Bertonatti sobre o extermínio de pássaros em uma floresta argentina também são consideradas rasas. Sobre o desmatamento para abertura de lavouras, alimentação de gado por soja e o desaparecimento de animais silvestres, Heringer defende que se a agricultura realmente dizimasse 3 vezes mais animais silvestres por cada hectare, a alimentação vegana ainda ajudaria a salvar muitas vidas animais.

Heringer ainda rebate dizendo que repensar o consumo e o abate é tão ingênuo quanto acreditar que vegetarianos e veganos matam animais. O texto termina dizendo que a afirmação de Bertonatti é “no mínimo absurda e equivocada, para não dizer mal-intencionada”.

A discussão sobre veganismo e vegetarianismo vai longe. Saiba mais sobre o vegetarianismo!


Texto escrito por Sumaia de Santana Salgado da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]