Autoconhecimento

Você é mesmo a soma das pessoas ao seu redor?

Mulher branca de cabelos curtos e loiros segurando poste.
Mike Palmowski / Unsplash
Escrito por Andrea Pavlo

Estava eu, em pleno lockdown, assistindo a documentários edificantes na Netflix – não que seja só isso que eu assisto, graças à Deusa – quando percebi uma coisa interessante. O nome do documentário é “The Code” e, confesso, poderia ter sido melhor dirigido (dá um soninho… rs). Fala sobre a ordem numérica do Universo. Tem muita informação interessantíssima, mas a conclusão não me convenceu muito. Enfim.

Em determinado momento ele fala dos pássaros estorninhos, aqueles que voam formando danças maravilhosas no pôr do Sol, e qual seria o padrão para isso. Descobriu-se, dentre outras coisas, que os pássaros conseguem manter os desenhos porque seguem os sete pássaros mais próximos deles, mantendo tudo em harmonia.

Depois, o documentário passa a falar de humanos e, se bem entendi, diz que matematicamente também seguimos padrões, mas estamos sujeitos ao caos – o documentário é de 2011, essa parte só entenderíamos 10 anos depois BBC.

A frase “você é a soma das cinco pessoas com quem mais interage na vida”, podemos dizer, então, faz todo o sentido. E mais, não acontece somente com os seres humanos.

Mulher de costas numa praia.
Elio Santos / Unsplash

Nós, humanos, descendentes dos primatas – até onde já sabemos – tendemos a copiar modelos ao nosso redor. Quem nunca viu o comportamento de alguém próximo mudar – para melhor ou pior – depois de entrar num curso de meditação ou mudar de trabalho? De fato, a cabeça muda quando ficamos expostos a coisas edificantes ou quando enchemos nossa mente de bobagens.

Se você deseja o sucesso, ande com pessoas de sucesso, de preferência com mais sucesso do que você. Você vai aprender o que levou aquela pessoa ao sucesso e, com certeza, pelo menos, vai mudar algumas coisas na sua vida. Se quer uma vida mais saudável, entre na academia. Não pelos aparelhos, mas porque lá estarão pessoas para te estimular e te ensinar coisas novas.

Não adianta pedir conselhos sobre investimentos para seu cunhado que vive visitando o SPC Serasa. Não adianta andar com caras solteiros – e baladeiros – se você decidiu que quer um amor e uma família. É uma questão prática, mas também te ajuda a se manter no seu foco e objetivo e não te deixa preso ao passado.

Sim, é difícil essa transição. Mas quando estamos prontos – dispostos e disponíveis –, o Universo se encarrega de trazer as pessoas certas. Não precisa brigar com a família ou com seus velhos amigos, apenas entenda que alguns amores são eternos, mas só dentro do coração. Esteja, sim, perto de pessoas interessantes e interessadas nos mesmos assuntos que você. Isso é, realmente, muito poderoso. Mas tudo bem assistir a umas comédias boas ou jogar conversa fora no whats de vez em quando. Regras não são exceções.

Sobre o autor

Andrea Pavlo

Psicoterapeuta holística, taróloga e numeróloga, comecei minhas explorações sobre espiritualidade e autoconhecimento aos 11 anos. Estudei psicologia, publicidade, artes, coaching e outros assuntos de várias outras áreas que passam pelo desenvolvimento humano, usando várias técnicas para ajudar as mulheres a se amarem e alcançarem uma vida de deusa. Mãe da Nina, de quatro patas, gosto de viajar, ler e sempre continuar estudando.

E-mail: [email protected]