Autoconhecimento Energia em Equilíbrio Yoga

Yoga em Voga

Giselli Duarte
Escrito por Giselli Duarte

De fato, toda a vida é yoga. Somos o yoga, mas também praticamos o yoga.

Assim como tocar um instrumento ou aprender um novo idioma, precisamos praticar os ásanas (as posturas) de forma consistente para obtermos resultados melhores. No ponto de vista do yoga como uma prática meramente física, sentimos a intensidade do alongamento. “A cada respiração, tente mais um pouquinho” quer dizer, dentro do seu limite, vá saindo de sua zona de conforto. Vá superando suas limitações com prudência. Os ásanas são lindos, mas também exigem muita concentração, disciplina, foco e resistência. Antecedendo o ásana e suas variações, é sempre muito importante respeitarmos nosso tempo, a fim de alcançar o nosso objetivo, de forma cuidadosa e amorosa para com o nosso próprio corpo, quando se trata da construção do ásana.

No âmbito mental, toda concentração é crucial. Os pranayamas (técnicas de respiração) nos permitem oxigenar o cérebro, renovar o ar residual armazenado nos pulmões, relaxar e obter sensação de bem-estar e leveza. Tudo fica mais ameno. Dessa forma, adquirimos espaço para a criatividade, ficamos de bom humor e desestressados.

Yoga pose - Woman silhouette practicing yoga Warrior pose on sea bridge at sunset.Yoga near beach.

Praticando o presente, deixando de lado a ideia ilusória de que temos controle sobre algum evento futuro ou apego aos acontecimentos passados, nos permitimos vivenciar o Agora, o único estado em que de fato podemos agir. Dessa forma, nos conectamos e nos aprofundamos em nosso estado emocional e vamos sentindo tudo aquilo o que se passa conosco. Sem julgar, sem comparar, ao presenciarmos o Agora, na prática do yoga, no lavar a mão, no estudar, no caminhar e tantas outras modalidades, passamos a nos tornar presentes e testemunhas dos eventos do Aqui e Agora. Nossas tensões vão se desfazendo. Com a prática do yoga em nosso dia a dia, nossa vida vai fluindo, e nossas emoções negativas vão se transformando em emoções positivas e construtivas.

Para alcançar um nível mais elevado, um estado mais sutil das práticas, através da disciplina e entrega, vamos nos conectando com nosso Ser mais Divino. Nosso Eu Superior. Vamos refinando nossos sentidos a fim de nos libertar dos sofrimentos terrenos, tais como o apego, a raiva, o ódio, o ciúme e tudo o que nos tira do nosso objetivo principal definido. Vamos nos desfazendo das camadas densas que, com o tempo, construímos para nos proteger para fazer o caminho inverso, o caminho da Paz interior. A verdadeira paz que buscamos está dentro de nós.

Boa prática.

Namastê!

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Giselli Duarte

Giselli Duarte

Profissional de marketing, sempre foi apaixonada pelo marketing social e pela filosofia da colaboração. Em constante busca por conhecimento, estudou coaching pela LLC e participou de vivências através do programa Momenttum pela Humanity, dentre outras formações e especializações voltada ao marketing estratégico e empresarial. Reikiana iniciada e formada em nível I e II, apoia trabalhos voluntários em prol da disseminação das terapias alternativas para todos. Formou-se em Hatha Yoga pelo Centro De Estudo Darshana Vedanta Vaishnava Yoga. Com o objetivo de compartilhar o movimento das práticas de bem-estar, fundou o projeto Pranayama.

Facebook: PranayamaOficial