Nutrição

Zero açúcar? Como identificar estes alimentos?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Muitos são os mitos e verdades ao redor do consumo do açúcar. Ele é um amido que quando ingerido, tem efeitos distintos em nosso corpo. Apesar de ser fonte de energia, sua ingestão é, muitas vezes responsável por um aumento de gordura no corpo, já que sua absorção, quando em forma refinada, é feita muito rapidamente e armazenada pelo organismo em formato de gordura.

Existem alguns “tipos” de açúcares que devem ser associados de maneira correta à alimentação, para que possam trabalhar de forma funcional no corpo sem causar o indesejado ganho de peso não saudável. Além disso, muitas pessoas são tolerantes à ingestão da glicose (molécula do açúcar) devido à insuficiência de insulina para sua absorção, é o caso dos diabéticos.

Onde ele está?

Um dos grandes problemas envolve a presença do açúcar em muitos dos alimentos que consumimos diariamente e não percebemos. Atualmente, os alimentos industrializados contém alto teor do ingrediente o que, infelizmente, tem sido responsável por desenvolver doenças relacionadas a este excesso em grande parcela da população.

Pães, sucos, refrigerantes, sorvetes, massas e muitos outros alimentos têm alto teor de açúcar em sua composição disfarçado pelo forte sabor associado também aos corantes e outras substâncias que os acompanham, além disso, o efeito “viciante” do polímero no corpo faz com que o consumo seja constante e se torne como que uma necessidade. Aquela “vontade de doce”, “vontade de comer”.

Como identificá-lo?

Poucos são aqueles que avaliam a lista de ingredientes dos produtos que levam para o mesa de casa. O ato de ler o rótulo dos alimentos é muito importante e incomum. Vale saber que a ordem dos ingredientes na lista está descrita em ordem decrescente de porcentagem, ou seja, o primeiro ingrediente da lista é o mais abundante no alimento. Sendo assim, se ele for o açúcar, este é um péssimo sinal.

Outra informação pouco conhecida é a de que o açúcar pode estar descrito em outra denominação. Isso mesmo, ele tem outros nomes e pode te enganar. Alguns produtos intitulados “light”, “zero açúcar” acrescentam outras moléculas com a função de adoçar o alimento, porém, estas podem ter os mesmo efeitos do açúcar no corpo.

Alguns nomes de açucares “disfarçados”: polidextrose, amido, maltodextrina, xarope de glicose, entre outros.

shutterstock_276689942

Os adoçantes

Quando se fala no corte de açúcar da alimentação, a primeira atitude a ser tomada, normalmente, é inserir o adoçante em seu lugar. Porém, cuidado! Diversos adoçantes não fazem bem à saúde e podem causar efeitos muito além da perda ou ganho de peso.

A sacarina, por exemplo, pode estimular aquela “vontade de doce” e fazer você se entregar a abusos muito maiores, mesmo depois de consumir uma grande tigela de gelatina diet.

O Aspartame e o Acessulfame K, também adoçantes, podem ter os mesmos efeitos ou piores, por estarem associados ao estímulo de células cancerígenas, ou tumores, se consumidos em excesso.

Dentre os adoçantes artificiais, o menos nocivo à saúde é a Sucralose, comprovado como o composto “mais bem processado pelo corpo”, entretanto, não o melhor.

Dentre os adoçante, as melhores alternativas são os naturais, não feito em laboratório: Stévia e frutose, porém também sem excessos.

Como substituí-lo?

A substituição do açúcar na alimentação é necessária em função de uma alimentação mais equilibrada e saudável e manutenção de peso. Entretanto, deve-se atentar para o que será colocado em seu lugar, já conhecidos os diversos perigos dos adoçantes artificiais e outras formas de açúcares.

Para os loucos por doce, uma boa opção é o consumo de açúcar mascavo, um derivado com absorção um pouco mais lenta no organismo. Mesmo assim, seu consumo deve ser muito bem moderado pois este não deixa de ser processado assim como o refinado comum, com pequena variação.

Os adoçantes devem ser uma alternativa principalmente para diabéticos, porém é aconselhável o consumo dos adoçantes naturais feito de stévia, uma planta.

Uma das alternativas mais saudáveis está na ingestão do “doce natural”, ou seja, abusar do sabor adocicado de frutas e produtos naturais para adoçar outros alimentos. O mel e a ágave são produtos naturais, que se consumidos em quantidades corretas podem ser os melhores “adoçantes” do mercado. Outra opção é consumir frutas como tâmaras e uvas passas quando se deseja ter o sabor doce em alguma receita.

A dica mais importante é a de identificar o consumo de açúcar em sua alimentação e buscar outros caminhos para, se possível, eliminá-lo ou então moderá-lo sem perder o prazer de comer algo doce. Alternativas existem, aos poucos, podemos inseri-las em nossa rotina e os resultados serão visíveis e duradouros.


  • Escrito por Julia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]