Convivendo

10 maneiras de lidar com a ansiedade em tempos digitais

Mulher branca usando celular.
Vladimir Fedotov / Unsplash
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A ansiedade, tanto como um sentimento como uma doença, sempre existiu em nossa sociedade. Mas não é coincidência que o número de diagnósticos de transtorno de ansiedade generalizada (TAG) tenha disparado cada vez mais nos tempos digitais em que vivemos.

Vivemos atualmente numa sociedade imediatista e urgente, que exige de nós respostas rápidas e complexas. Além disso, somos bombardeados por uma quantidade absurda de informação. Se antes era chegar em casa e ligar a TV, hoje conferimos Instagram, Facebook, TikTok, YouTube, WhatsApp e mais um monte de coisas.

Mas é possível “fazer as pazes” com a ansiedade nestes tempos digitais e encontrar uma maneira mais saudável de viver essa vida corrida e abarrotada de estímulos que temos levado ultimamente? Confira nosso artigo e entenda!

Entendendo o que é ansiedade

É preciso, antes de mais nada, diferenciar dois tipos distintos de ansiedade. Há um sentimento de ansiedade, aquilo que nos faz querer logo que algo aconteça ou que nos faz temer esse acontecimento. Isso, todos nós sentimos ou sentiremos na vida; uns, com mais intensidade, é claro.

E há uma doença, o transtorno de ansiedade generalizada (TAG), que se caracteriza por um estado de ansiedade excessiva e persistente, que ignora se as preocupações são, de fato, baseadas na realidade. Uma pessoa que passe por isso diariamente ou semanalmente por mais de 6 meses pode estar doente com TAG.

Entre os sintomas da TAG, estão falta ou excesso de sono, sentimentos deprimidos, tensão muscular, sensibilidade excessiva ao medo, suor excessivo, dores de cabeça, dificuldade ou desinteresse em conversar, enjoos, sensações de falta de ar e outros mal-estares. É recomendado procurar auxílio médico em caso de crises.

Como lidar com a ansiedade?

Mulher negra sentada no chão com as mãos no peito.
Joice Kelly / Unsplash

A ansiedade pode ser causada por muitos fatores – de problemas familiares a um coração partido. Mas, neste artigo, focaremos a ansiedade causada especificamente por causa da vida digital que levamos. Confira as dicas para lidar com esse problema nos tempos modernos.

Escolha onde quer estar

Se você passar 1 hora no Facebook, no Instagram, no YouTube e no TikTok todos os dias, isso vai totalizar 4 horas do seu dia. Não dá, né? Por isso, você precisa entender em quais dessas redes sociais (e de outras) quer estar. É como escolher quais ambientes frequentar na vida, certo? Evite aqueles que te causem mais mal do que bem.

Escolha o que e quem seguir

Mais importante do que escolher as redes sociais que deseja acessar é escolher o conteúdo que você vai consumir nessas redes sociais. Se algum conteúdo te deixa ansioso, deprimido, faz com que você se compare e se sinta menos do que é, não hesite em deixar de seguir e acompanhar. Desenvolva e aprimore os seus filtros!

Pare de fazer o que todos fazem

Se você tentar ouvir o podcast da moda, assistir à série que estreou nesta semana, acompanhar os memes e ouvir as mais tocadas do momento, não vai dar conta. Além disso, você está sendo você mesmo e descobrindo e explorando aquilo de que gosta ou apenas seguindo o que todo mundo está acompanhando? Encontre sua personalidade.

Reconheça os seus limites

Tudo bem não dar conta. Tudo bem reconhecer que não dá conta. Não é porque todo mundo consegue viver essa vida digital e encontrar prazer nisso que você tem que se forçar a fazer o mesmo. Reconheça os seus limites e encontre hábitos e uma vida digital que façam sentido para você.

Faça um detox digital

Mulher branca sentada no chão com as pernas para cima?
Priscilla Du Preez / Unsplash

Passar um tempo fora das redes sociais e afastado do mundo digital pode ser muito benéfico e pode nos fazer descobrir uma “nova vida”, com sensações que foram praticamente esquecidas por causa dos hábitos digitais. Por isso, é muito bom, de tempos em tempos, ficar afastado da vida virtual.

Pare de se comparar

Um dos piores sentimentos para alguém que sofre com ansiedade é a comparação. “Nunca vou ser tão bonita quanto ela”, “Nunca vou encontrar um amor como o deles”, “Nunca vou viajar como ele”… Tudo isso faz muito mal! Além disso, lembre-se: vida digital não é vida real. Então o que está ali pode nem mesmo ser verdade.

Cuidado com a velocidade 2x

Recentemente, popularizou-se no WhatsApp, no YouTube e em outros aplicativos e serviços a opção de ouvir e assistir a conteúdos em velocidade aumentada. Ainda que isso seja útil na correria da vida, tome cuidado para não acabar vivendo nesse ritmo 2x, ouvindo, vendo e vivendo mais do que cabe nas 24 horas do dia.

Respeite o seu tempo

Não quer responder às mensagens do WhatsApp hoje? Tudo bem! Não quer ver os stories de ninguém hoje? Tudo bem! Aceite que você não precisa operar na mesma velocidade das redes sociais e da vida digital. E não se esqueça de respeitar o tempo do outro também, evitando exigir respostas imediatas, o que pode causar ansiedade.

Você também pode gostar

Viva a vida sem telas

Quando a vida digital estiver incômoda e angustiante, quer saber? Deixe as telas pra lá! Vá viver! Chame um amigo para sair, fique com os seus familiares ou os seus pets, saia para uma caminhada, descubra um hobby novo, vá a um restaurante acompanhado ou sozinho mesmo… Enfim, há muita vida “lá fora”.

Além disso, atividades que ajudem a relaxar o corpo e a mente são muito benéficas para reduzir a sensação de ansiedade e os sintomas desse problema. Você pode, por exemplo, começar a praticar a meditação. A Yoga, para ansiedade, também é uma opção, porque relaxa corpo e mente ao mesmo tempo, além de ser uma atividade física.

Procure ajuda

Se as coisas estão realmente bastante angustiantes, e você sente que não está dando conta da vida digital, que ela está causando bastante ansiedade, procure ajuda profissional. Um psicólogo pode ajudá-lo bastante a conversar sobre isso e encontrar alternativas que promovam seu bem-estar e sua qualidade de vida.

Algumas coisas que você precisa saber sobre ansiedade

Sombra de mulher balançando a cabeça.
Taylor Deas-Melesh / Unsplash

Por ser um transtorno bastante diverso, a ansiedade tem características únicas em cada pessoa. Mas algumas informações podem ser de grande valia para todos, como a relação entre falta de ar e esse problema ou com qual médico devemos nos consultar neste caso. Confira:

Falta de ar e ansiedade

A falta de ar é um dos principais sintomas de uma crise de ansiedade. Se você sente falta de ar junto a outros sintomas, como pensamentos intrusivos que causam ansiedade, suor excessivo, entre outros, pode ser que esse transtorno cause esse sintoma em você, então procure um médico para falar sobre o assunto.

Qual médico trata ansiedade?

Se você sente que está sofrendo ou desenvolvendo um transtorno de ansiedade, o ideal é marcar uma consulta com um psiquiatra o quanto antes. Ele é quem vai liderar o seu tratamento e orientar a respeito de como prosseguir.

Além disso, é ótimo marcar uma sessão de terapia com um psicólogo. Apesar de ele não ser médico, o ambiente de acolhimento e sem julgamentos que uma terapia proporciona nos ajuda bastante a lidar com os sintomas da ansiedade e também a tratar esse problema para além do combate aos sintomas.

Encontre terapia online

Está procurando por auxílio profissional? Encontre psicólogos on-line na Terapize!

Como evitar uma crise de ansiedade?

Quanto sentir que está prestes a ter uma crise de ansiedade, algumas coisas podem ajudar. Meditação, tentar realizar alguma atividade que exija bastante foco e usar técnicas que ajudem a controlar a respiração são boas maneiras de evitar que a crise se agrave e acabe fazendo você realmente passar mal.

Se os tempos exigem de nós mais pressa e mais imediatismo, é preciso que encontremos formas de combater isso e encontrar nossa própria paz e tranquilidade. Por isso, aprenda a combater a ansiedade e tenha uma vida mais harmônica!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br