Budismo Espiritualidade

14 pontos do budismo engajado

Menino budista sentado lendo um livro.
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras



O monge budista e pacifista Thich Nhat Hanh trouxe para o ocidente e, consequentemente, para terras brasileiras a prática do “budismo engajado”. O termo significa o modo de viver das pessoas embasado numa filosofia de paz e prosperidade sem necessariamente ser religioso no budismo. Ações que visam a busca da paz e responsabilidade com o meio ambiente e as pessoas ao redor fazem parte do budismo engajado.

Abaixo, confira alguns pontos destacados por Thich Nhat Hanh com o intuito de fazer a sociedade viver de maneira melhor e mais realizada:

Buda.

1 – Nada é verdade absoluta, tenha dúvidas e questionamentos corretos e justos. Não seja idólatra de nenhuma doutrina ou religião, mesmo a budista. Seja um seguidor fiel à religião e a seus princípios e promova o bem-estar entre as pessoas.

2 – O conhecimento que você possui não é imutável, lembre-se sempre disso. Permita-se mudar sempre.

3 – Não force ninguém a adotar seu ponto de vista, nem crianças, nem adultos, parentes e amigos. Entretanto, através do diálogo compassivo, ajude os outros a renunciarem o fanatismo e a estreiteza de ideias.

4 – Não evite o sofrimento em sua vida. Viver em meio a esse sentimento faz parte da evolução da própria vida e das pessoas ao seu redor. Por tais meios, lembre a si mesmo e aos outros a realidade do sofrimento no mundo.

5 – Não acumule riqueza enquanto milhões passam necessidades. Não faça o objetivo principal da sua vida ter somente realizações próprias: fama, lucro, riqueza, prazer. Viva simplesmente e compartilhe seu tempo com aqueles que necessitam.

6 – Não mantenha o ódio ou a raiva. Aprenda a transformá-los enquanto ainda estão somente em forma de sementes na sua consciência.

7 – Não se perca com as distrações ao seu redor. Mantenha-se sempre em contato com tudo o que te faz bem, o que cura, o que te faz melhor. Seja uma pessoa que espalha alegria, paz e harmonia, facilitando as profundezas de seu entendimento em sua vida.

8 – Que as palavras que saem de sua boca sejam positivas e incentivadoras. Esforce-se para resolver os conflitos, por mais pequenos que sejam.

9 – Não diga coisas falsas nem por capricho pessoal. Não espalhe notícias e informações erradas. Seja uma pessoa que promove e fala a verdade sempre, de maneira construtiva.

10 – Não use a comunidade budista para ganho ou lucro pessoal. Seja uma pessoa de atitudes que promovem a justiça e o bem-estar de todos.

11 – Não viva uma vocação que seja nociva aos seres vivos. Viva seu trabalho de forma que incentive as outras pessoas. Seja um profissional que transmita a compaixão para o próximo.

12 – Não tire a vida de outros seres vivos. Encontre todos os meios possíveis que impeçam a guerra e a matança.

13 – Respeite a propriedade de terceiros. Não possua nada que deveria pertencer aos outros e os impeça de lucrar às custas das outras pessoas.

14 – Respeite o próprio corpo. Seja completamente consciente ao decidir trazer uma nova vida a esse mundo. O ato sexual de nada vale se não estiver energizado com amor e compromisso. Respeite seus direitos e o das pessoas ao seu redor.


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]