Saúde Integral

5 dicas para prevenir o Alzheimer

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

De acordo com a Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz), 15 milhões de pessoas no mundo sofrem com a doença. O Alzheimer é um problema neurodegenerativo, sem cura, que provoca perda das funções cognitivas como memória, orientação, linguagem e atenção.

O fator genético pode influenciar no aparecimento da doença, mas os maus hábitos podem ajudar a desenvolvê-la. Quando o Alzheimer é diagnosticado no início, é possível retardar o avanço, controlar os sintomas e garantir uma melhor qualidade de vida não só para o paciente, mas também para as pessoas que convivem com ele.

Confira agora hábitos que podem prevenir ou desencadear o Alzheimer:

  • Nicotina

Os fumantes são maioria quando o assunto é o Alzheimer, cerca de 157% a mais do que os não fumantes. O cigarro reduz o espaço interno das artérias, afetando diretamente a circulação cerebral.

O ideal é não fumar cigarros não apenas para se proteger da doença, mas para evitar outros problemas, como os cardiovasculares.

  • Exercícios físicos

Não praticar exercícios físicos pode causar inúmeros problemas para a saúde, desde o aumento de peso até doenças graves, como o Alzheimer.

Por outro lado, praticar esportes pode reduzir em até 50% os riscos de desenvolver a doença. A prática de exercícios pode ir além do físico, mas também cerebral. Assistir um filme, ler um livro, jogos, aprender línguas e tudo o que deixa o cérebro mais ativo são atividades benéficas para manter a cabeça funcionando.

  • Problemas emocionais

Depressão, ansiedade e estresse que não são devidamente controlados podem afetar diretamente a mente. Estudos comprovam que a depressão profunda, se não tratada, pode desenvolver graves casos de demência.

  • Meditação

A meditação pode contribuir no combate de distúrbios causados por distração de pensamentos, como déficit de atenção, TOC, depressão e até mesmo o Alzheimer. A prática deve ser regular e intensa para que sirva como estímulo ao cérebro.

  • Alimentação

O consumo excessivo de doces e alimentos industrializados ricos em calorias e pobres em nutrientes, chamados de “calorias vazias”, pode aumentar a chances de desenvolver o Alzheimer.

Invista em uma alimentação que traga benefícios para sua saúde. Aposte em frutas, legumes, grãos e outros alimentos que vêm da natureza ou ao menos são minimamente processados. Os peixes, por exemplo, são ótimos aliados no combate à doença, pois são ricos em ácidos graxos que contribuem no auxílio a memorização. Os alimentos que contém fisetina, como morangos, pêssego, uva, kiwi, tomate, cebola e espinafre também ajudam a melhorar a memória, aumentam a capacidade de pensar e aprender.

No Brasil, há cerca de 1,2 milhão de casos, a maior parte deles ainda sem diagnóstico.


Texto escrito por Natália Nocelli da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]