Energia em Equilíbrio

8 lições dos samurais que podemos aplicar na sua vida

Samurai on top of mountain. Conceptual design.
Escrito por Eu Sem Fronteiras

No Japão, por volta dos anos que compreendem o período entre 1185 e 1867, os samurais tiveram seu período de maior ascenção. Seguidores do bushido, um código de honra e modo de vida que significa “caminho do guerreiro”, este tipo de soldado da aristocracia japonesa tem muito a ensinar a todos que desejarem ter uma vida mais pacífica e harmoniosa.


Construído a partir dos conceitos presentes no xintoísmo, confucionismo e budismo, o bushido levava o samurai a um código de ética que destaca a lealdade, fidelidade, humildade e outros preceitos básicos que todos devemos seguir.

Inspirados pelos princípios seguidos pelos samurais, listamos abaixo oito aspectos deste ensinamento oriental e as formas pelas quais eles podem ser aplicados ao cotidiano da vida moderna:

1- Honestidade

Virtude básica dos samurais, deve ser uma virtude básica de qualquer ser humano. Através da honestidade, é possível conquistar objetivos e ter uma vida mais plena. Sendo honesto, não há com que se preocupar quando colocar a cabeça no travesseiro, e dessa forma um sono tranquilo garante dias mais produtivos também.

2- Honra

Também conhecida como glória, a honra é a garantia de cumprir promessas, deveres e principalmente a palavra. Honrar o que diz perante suas atitudes constrói confiança e relações duradouras. Uma pessoa que não tem honra, não tem nada.

3- Disciplina

Assim como os samurais, qualquer pessoa precisa de disciplina se quiser obter bons resultados. Seja estudar um novo idioma, começar exercícios físicos ou reeducar a alimentação; a disciplina se faz necessária na criação e manutenção de novos hábitos. Buscar sempre mais conhecimento também deve ser uma prática constante; estudar e aprender nunca é demais.

4- Benevolência

Empatia e gentileza complementam este preceito. É a capacidade que cada indivíduo tem de disseminar boas práticas e ensinamentos aos menos favorecidos e/ou esclarecidos. Sem esperar nada em troca, ser benevolente é uma forma de renovar energias com o universo e garantir que o retorno de uma boa ação seja gratificante.

5- Dever

Responsável em sua essência, um verdadeiro samurai não foge de suas atividades e muito menos de arcar com as consequências do que faz. Em um mundo repleto de distrações, é uma das bases do bushido em que mais devemos nos espelhar. A velha máxima “primeiro a obrigação, depois a diversão” tem um motivo e não deve ser ignorado. Para se ter direitos, não podemos nos esquecer dos deveres.

6- Autocontrole

Respirar fundo, repensar, reavaliar, pesar prós e contras. Ações que sempre devemos tomar antes de reagir a alguma coisa. A impulsividade quase nunca é uma boa amiga e exercitar o autocontrole é uma prática primordial. Os atos devem vir acompanhados de consciência.

7- Prontidão

Preparação e “jogo de cintura” para agir nas mais diferentes situações. Se em um campo de guerra não há espaço para hesitar, na vida, quanto menos hesitação e mais prontidão, também existem mais chances de sucesso. Seja resiliente para lidar com adversidades ou fatos inesperados e tenha bagagem para saber como agir o mais rápido possível.

8- Coragem

Um samurai nunca sente medo. Os ensinamentos, treinamentos e demais preceitos que seguem asseguram de que ele tem toda sabedoria de como agir e reagir; desta forma, não há espaço para o medo. Na vida moderna, devemos também nos blindar do medo de todas as formas possíveis, pois ele nos impede de avançar. A coragem é uma mola propulsora da vida!


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br