Autoconhecimento Espiritualidade

A pureza da alma

Mulher encostada na parede com braços cruzados e outra imagem saindo para o outro lado
Alexandre Lourenção

Você já parou para pensar sobre qual é a relação da sua alma com o pecado original?

Acredito que nossa alma tenha como objetivo aprender virtudes relacionadas ao amor, experienciando as mais diversas emoções como forma de evoluir para o amor incondicional.

E qual a importância disso? Absolutamente toda, porque toda a sua vida é reflexo dessa jornada de sua alma.

Antes de mais nada, entenda uma coisa:

– A dualidade é uma característica de nosso plano, de nossa vida aqui nesta realidade material, limitada por enquanto a este planetinha azul.

Mulher de costas sem roupa abraçando-se
Foto de Romina Farías no Unsplash

O bem e o mal, a luz e a escuridão, o certo e o errado. Todos conceitos humanos, criados pelos humanos como forma de permitir a nossa alma essa experiencia incrível de ser bom ou ruim, certo ou errado.

Nossa alma não reconhece nada disso e muito menos existe alma boa ou má. Novamente, isso é coisa de humanos.

A alma é puro amor e dentro de todo ser humano existe uma alma.

Conceitos como alma ruim ou desalmado fazem parte do imaginário religioso que tem como base que o maior amor do universo, a Fonte Criativa, ou se preferir Deus, é capaz de julgar, condenar e punir pela eternidade sua criação. Deus não nos deu o livre arbítrio para depois julgar nossas escolhas.

O fato é, seja para viver a vida de Bill Gates, Hitler, Gandhi ou Buda, sempre haverá uma alma pura apenas querendo “brincar” neste parque de diversões. Imagine você uma fila interminável de almas esperando para virem viver essa loucura que chamamos de vida, com todos os seus altos e baixos.

Outro ponto importante sobre as almas é que elas também podem vir participar do aprendizado e evolução de uma outra alma e essa é a explicação para mortes prematuras. Pode parecer difícil aceitar, mas nada neste universo é por acaso, e, quando uma pessoa morre, isso faz parte da missão daquela alma, envolta em um conjunto de outros aprendizados e experiências de outras almas. Inclusive entenda que mesmo um suicida também possui uma alma, a questão é que nossa educação é tão disfuncional que em certas situações o humano não consegue lidar com a dualidade, ou talvez até se canse de tanta auto repressão e se entregue de vez à condenação, sem ao menos saber que aquilo tudo só existe em sua cabeça.

Nossas almas vem a este plano aprender através da dor e dos desafios, e toda a nossa educação inicial se baseia em repressão e em condenação.

Osho foi um dos primeiros a citar isso de forma tão contundente no ocidente, e o fato é que isso faz muito sentido.

A criança nasce pura e livre, mas vai aprendendo que precisa ser boazinha para não ir para o inferno. Ou porque senão o bicho papão vai vir buscar. Ou que o Papai Noel não vai trazer o presente desejado. Essa última é ótima, né, porque se a criança nasce em um lar mais simples, como em 70% ou mais dos lares em todo mundo, ela já parte do princípio de que fez algo de errado, porque é óbvio que os pais não terão dinheiro para comprar o que ela deseja. Logo, condenação! Aí ela reprime suas vontades e desejos para não ser mais condenada ainda.

Garotinha em balanço de costas
Foto de Skitterphoto no Pexels

Aprendemos a aceitar a condenação como algo natural, e mesmo que isso venha da cultura religiosa, ela é vista como algo natural, que faz parte do ciclo da vida, ser condenado ou não por Deus. Nos tornamos excelentes juízes pois, se fomos feitos a imagem e semelhança de Deus, então também devemos julgar e condenar. Percebe onde isso vai parar? Mais de dez mil anos de guerras, e sempre em nome de alguma divindade.

Mas lembre-se, isso faz parte do pacote de diversão da alma. É por isso que elas fazem fila para aqui estar.

Outro ponto importante é que mesmo quando nos referimos a religião é de extrema importância entender que cada realidade faz parte deste aprendizado da alma, e isso inclui sim todas as religiões, dogmas e doutrinas. Cada ser humano desfruta da sua fé como forma de evolução para o amor. Ou seja, cada um tem o Deus que precisa e não o que merece. Ninguém merece ser julgado, condenado e punido, mas essa crença faz parte de todo evolução, e se libertar disso, ainda mais sem julgar, é uma das grandes iluminações.

Mas e o amor neste plano físico e material, onde está o amor? Pois é, cadê o amor?

Ele está em tudo, na verdade. O amor é uma energia, uma vibração que está presente em todo universo. As partículas de luz, ou as cordas (da teoria das cordas) são a matriz energética de todo universo e elas nada mais são do que a pura energia do Amor Incondicional. Essa matriz compõe os quarks, esses compõem os prótons, elétrons, nêutrons e por último chegamos nos átomos.

Silhueta de pessoa em cima de pedra com estrelas ao fundo
Foto de Snapwire no Pexels

No ensinamento religioso e em nossa educação básica o que existe é uma troca, uma obrigação, na qual devemos ser bons para não sermos condenados. E o ser bom significa pura e simplesmente repressão.

Como uma criança de quatro ou cinco anos vai ter consciência de qualquer coisa, se nem você que está lendo esse texto tem real noção do que é a sua própria consciência e quais são suas crenças e convicções mais profundas? Não tem. Você não entende porquê tantos desejos são inalcançados e porquê tantos desafios são enfrentados em sua vida. E porquê vamos reprimir a criança na sua mais pura ingenuidade e criatividade. Porque como disse Osho, isso não interessa a um sistema baseado no controle, e é assim que funciona nossa sociedade. Isso não tem nada a ver com teoria da conspiração, é assim e acabou. Lembre-se, estamos vivendo uma realidade onde a dualidade é tudo.

Eva não comeu nenhuma maçã e condenou a humanidade a desgraças, a doenças e a toda uma série de infortúnios. A Bíblia afirma que, depois da árvore da sabedoria, Deus escondeu a árvore da imortalidade, pois se não o homem/mulher seria imortal como Deus, e isso é inaceitável. “Eu sou um Deus ciumento”, disse o Criador. A partir deste momento a grande evolução é olhar para essa doutrina com amor incondicional e entender que tudo é uma diversão para nossa alma. Como pode o maior amor do universo ser ciumento? Não pode, mas isso permite que cada um tenha o deus ou a fé que merece a partir da missão de sua alma, mesmo que aprisione a vida a uma realidade de desafios intermináveis, e isso pode, sim, mudar.

Então o que se busca no outro? Amor? Não, controle, possessividade e na sequência seu reflexo maior, o ciúme.

Percebe como é complexo isso, e como a origem dessa crença está exatamente onde se diz existir apenas amor?

Sabe por que um dos maiores medos da humanidade é o da pobreza? Porque a dominação se dá pelo poder financeiro, e, se eu sou pobre, eu posso ser dominado. A dominação sempre existiu e nos primórdios era pela força física.

Garota vistas por tás de grade com mão apoiada e expressão triste
Foto de namo deet no Pexels

Osho entendeu perfeitamente como toda a construção de nossa sociedade, principalmente a ocidental, é no fundo muito disfuncional, e qual o resultado disso tudo? Medo, e aí vem a raiva, reflexo direto do medo, e com isso vem a dominação, guerras, morte e aqui estamos.

Você consegue identificar as repressões que fazem parte do seu consciente? Tudo o que você aprendeu na infância?

Todas elas, na verdade, lhe afastam do verdadeiro amor, e isso leva você a criar os mais incríveis e poderosos desafios em sua vida.

Se por acaso você acha que isso não é sucesso, está na hora de mudar seus paradigmas e começar a criar alegria em vez de desafios, e isso tudo começa pelo amor por você, e não por mais ninguém. Gasparetto dizia com muita graça que desgraça é também um sucesso, só que invertido, pois precisamos ser muito bons para criar os incríveis desafios que vivemos.

E o que estamos aprendendo com tudo isso? Que devemos reprimir nossa essência, abrir mão de nossos desejos e sonhos, cuidar de tudo e todos antes de nós mesmo para não sermos julgados e lançados no inferno.

Mulher com mãos na cabeça e olhos fechados forçando
Foto de David Garrison no Pexels

Mas aí entra o pecado original, então, mesmo que não exista repressão, já nascemos condenados e ponto final. Claro que isso tudo gera um medo em potencial, pois o que é realmente certo e errado? Não sabemos. E medo gera o quê? Raiva, muita raiva.

Entenda, egoísmo é uma palavra que foi criada para tirar nosso poder pessoal.

Primeiro você salva você, resolve suas questões e se re-encontra com o verdadeiro amor que é sua essência. A primeira consequência disso é a benevolência, a compaixão e a tolerância, e aí estamos falando de uma nova consciência que incluí não apenas os homens, mas todo o planeta e todo o universo. Não tem violência, não tem raiva, não tem revolta. Só tem amor, mas a partir da nossa consciência, e da nossa essência, jamais como uma obrigação para evitar uma condenação.

Você também pode gostar

Jamais tivemos uma oportunidade tão singular de permitir que essa consciência se espalhe, exatamente no momento que todos estão confinados em suas casas lidando com suas consciências sem ter muito para onde fugir.

Eu imaginei agora o Universo implorando para você acordar! E também imaginei o Universo esperando que todos despertemos para essa nova consciência.

Pode ser que isso não faça muito sentido, mas isso é a realidade dentro da ilusão que nós mesmos criamos.

Gratidão!

Com amor,

Alexandre Lourenção

Sobre o autor

Alexandre Lourenção

Alexandre Lourenção

Olá, meu nome é Alexandre e venho aqui compartilhar minha missão, que é levar as pessoas a sua melhor versão através da busca espiritual do despertar de consciências.

Hoje atuo como Terapeuta Intuitivo e Quântico, através de técnicas como Thetahealing e Quantum Being, além de ser instrutor oficial de ThetaHealing.

Minha essência e todo meu autodesenvolvimento é focado em mostrar caminhos que permitam às pessoas se desenvolverem em todas as áreas de suas vidas.

Minha formação em humanas inclui uma pós-graduação de Gestão de Pessoas com foco no Desenvolvimento Pessoal, e, desde 2016, atuo com ThetaHealing. Em 2018 iniciei minha formação como instrutor da técnica, e, nesse mesmo ano, fui convidado a participar da coordenação do maior núcleo de Atendimento Popular do Brasil no Instituto Thetahealing Brasil.

Em toda minha vida, busquei intuitivamente na metafísica e na espiritualidade, as respostas para o desenvolvimento das pessoas, e foi no Thetahealing que encontrei a conjunção perfeita de todo esse conhecimento voltado para o bem maior.

Entendi que através das ondas cerebrais theta, é possível não só acessar a totalidade de nossa consciência, que nada mais é do que pura energia, mas também identificar e modificar nosso sistema de crenças subconscientes, responsável por toda a nossa realidade.

Entendi também que tudo no Universo faz parte dessa mesma energia, dessa mesma consciência, e que, acima de tudo, não existe separação, apenas unicidade dentro de uma energia de puro Amor Incondicional.

Respondo ao chamado de levar Luz e Sabedoria para as pessoas, ajudando a transformar o mundo, uma pessoa de cada vez, e me conectei ao projeto Eu Sem Fronteiras levado pela Consciência Universal.

Sou grato a cada ser humano que assume seu poder pessoal.

Gratidão!

Contatos:

Email: [email protected]
Site: alexandrelourencao.com.br
Facebook: alexandre.thetahealing
Instagram: @alexandre.thetahealing