Autoconhecimento

A única desculpa que você precisa e irá usar em sua vida

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Todos nós usamos desculpas de tempos em tempos, porém, algumas pessoas costumam usá-las com mais frequência. Mesmo você sendo uma pessoa fiel aos seus compromissos, um trabalhador honesto e um amigo presente, há situações em que você simplesmente não pode comparecer. Seja um evento de família, um prazo no trabalho, sair com seus amigos ou ajudar as crianças na lição de casa, invariavelmente todos nós nos deparamos com situações em que nós temos que “mentir”, a fim de poupar uma mágoa.

Atenção para o que vem a seguir: não daremos uma orientação sobre como ser um melhor mentiroso. Você pode, também, não gostar do conselho a seguir, mas uma vez que você começar a seguir esta orientação, e fazer disso um hábito, você será mais feliz.

O conselho simples e puro: diga a verdade. Não uma versão da verdade, ou uma parte dela, e nem mesmo uma razão para aquela verdade. Tem que ser como dizem por aí “toda a verdade e nada além da verdade”. A razão prática para dizer a verdade é que você nunca vai se esquecer das desculpas que você um dia deu pra alguém. A verdade vai sentar-se lá, como uma rocha. No plano ético, dizer a verdade ajuda a sua integridade. Sendo bom e honesto, você consegue melhorar sua imagem perante aos seus colegas, familiares e amigos, e além de tudo, ser fiel aos seus sentimentos.

Mulheres conversando em um escritório.

Exemplos de alguns tipos de desculpas mais comuns:

• Uma “desculpa” que é uma versão da verdade: Você está atrasado para uma reunião porque acordou muito tarde. O que você diz para o seu chefe? “O trânsito estava terrível hoje!”.

Uma “desculpa” que é parte de uma verdade: Você não quer de jeito nenhum ir àquele chá bar de casamento em que foi convidado, então, você usa o fato de sua família ter vindo de outra cidade para lhe visitar (esta parte é real!) para não ir. E incrivelmente sua família chegará no mesmo horário em que acontecerá o chá bar!

• Uma “desculpa” que é praticamente uma verdade: Você esqueceu do aniversário do seu melhor amigo, e se lembrou só depois de três dias. A sua desculpa é que você acredita ser muito melhor desejar parabéns pessoalmente, mesmo que atrasado. Mesmo isso sendo moderadamente verdade, você de qualquer maneira perdeu o grande dia ao lado do seu amigo.

Você também pode gostar:

Em cada um desses casos, uma desculpa honesta teria envolvido alguma perda, ou talvez admissão de culpa (você não é perfeito). No entanto, você teria, pelo menos, se poupado do fardo de ter que manter suas histórias mentirosas para sua família,  amigos ou seu chefe.

“A longo prazo, isso fará parte da preservação dos seus relacionamentos, permitindo que você conviva de uma forma mais harmônica, e sobre tudo, mais honesta.”

Duas mulheres conversando.

Ser honesto sobre o motivo de sua desculpa, quando a desculpa é comunicada de forma franca, também permite que as outras partes envolvidas sintam empatia por você. Se você fornecer uma explicação que faz sentido (e 100% verdadeiro) eles estão mais inclinados a tentar compreender a situação a partir de sua perspectiva. Todo mundo está atrasado, se esquece de uma ocasião importante, ou prefere uma tarde de domingo sozinho do que na companhia de outras pessoas.

Em uma pesquisa, o psicólogo americano Christopher Barlett estava interessado nos tipos de desculpas que as pessoas dão depois de machucar alguém em alguma situação interpessoal. Se alguém esbarra em outra pessoa (de propósito), pode-se dar desculpas como: “Eu estou tendo um dia ruim” ou “Briguei com o meu namorado”. Este tipo de desculpa fornece informações para investigar, definindo fatores que podem mudar uma desculpa, inicialmente hostil, para uma provocação menos ameaçadora, segundo Barlett. A intenção de dar estas desculpas é reduzir a probabilidade de que a vítima do empurrão fique irritada ou agressiva. A questão é se estas desculpas realmente funcionam (melhor não entrar em confusão).

Dois homens sentados em uma cafeteria conversando.

Apoiando-se na ideia de que uma desculpa honesta é o melhor remédio, Barlett descobriu que, quando a provocação não é grave, a desculpa honesta reduziu a “agressão” por parte da vítima. A chave para que a desculpa se torne eficaz, é tornar ela apreciativa, na qual a pessoa ofendida se sinta empática com a situação.

Justificar o seu comportamento, não vai mudar a sua “desculpa” ou fazer o tempo voltar. Mas, com certeza, pode mudar a maneira como o seu comportamento e suas atitudes são percebidas e recebidas. A longo prazo, isso fará parte da preservação dos seus relacionamentos, permitindo que você conviva de uma forma mais harmônica, e sobre tudo, mais honesta.


• Texto traduzido e adaptado por Natalia Iannone da Equipe Eu Sem Fronteiras

Referência: Susan Krauss Whitbourne e Barlett, C. P. (2013). Excuses, excuses: A meta‐analytic review of how mitigating information can change aggression and an exploration of moderating variables. Aggressive Behavior, 39(6), 472-481.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]